MENU

Strade Bianche é adiada por Coronavírus. Tirreno-Adriatico e Milan-San Remo correm o mesmo risco

Autoridades italianas proibiram eventos esportivos para tentar conter a proliferação do COVID-19

A RCS Sport, organizadora de diversas competições de ciclismo como a Strade Bianche, acaba de anunciar que a competição não deve acontecer neste sábado, dia 7 de março, conforme previsto no calendário. O resultado veio depois de uma reunião entre a RCS e membros do governo italiano, que proibiu a realização de eventos esportivos em todo o país para evitar a proliferação do Coronavírus na noite da quarta-feira, dia 4.

Foto 74583
    Strade Bianche / Divulgação

"Estamos tristes em anunciar que a Strade Bianche não será disputada. Depois do decreto de ontem a noite, fizemos uma reunião com as autoridades e surgiu a impossibilidade de realizar a prova", afirmou a organização em nota. Com isso, tanto tanto a versão masculina quanto a feminina da prova foram adiadas.

"Até as 7 da noite achávamos que a prova poderia acontecer. Mas então chegou o decreto e a RCS nos explicou que dificuldades sanitárias nos forçaram a tomar uma decisão. Mas, estamos convencidos de que a prova foi apenas adiada e não cancelada", explicou Siena Luigi De Mossi, prefeito de Siena. Segundo a RCS, as provas poderiam acontecer em setembro, depois do Giro d'Italia.

Apesar de nenhuma decisão ter sido anunciada sobre a realização da Tirreno-Adriatico, marcada para começar na próxima quarta-feira, e da Milan-San Remo, que deve acontecer no dia 21 de março, é bem provável que estas provas também sejam canceladas, até porque diversas equipes já anunciaram que não vão participar de nenhuma competição na Itália até que a situação se normalize.

Astana, Jumbo-Visma e Groupama-FDJ, por exemplo, já haviam anunciado sua ausência da Strade Bianche, da Tirreno-Adriatico, da Milan-San Remo. A Mitchelton-Scott também não estará presente em nenhuma competição até 22 de março. Além disso, a Ineos não pretende competir até a Volta da Catalunha.

Os médicos de outras equipes como a CCC, Sunweb, Israel Start-Up Nation, Cofidis, Lotto Soudal, Movistar, Alpecin-Fenix, Rally Cycling and Total Direct Énergie escreveram para a UCI pedindo o cancelamento da Paris-Nice e da Tirreno-Adriatico.




Relacionados

Comentários



Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.