home

Brasil Ride 2020 - Série inclui modalidade e-bike em seu circuito

XCO Series contará com categoria elétricas. Festival Brasil Ride marcará história como a primeira prova de ebike com três etapas no País


5 FEV, 2020     Gustavo Figueiredo    
     


Sempre atenta às novidades e tendências do mercado de ciclismo, a Brasil Ride realizará, em 2020, quatro provas com a presença da modalidade e-mountain bike (bicicletas elétricas) em dois de seus eventos. Estreante nesta temporada, o XCO Series Brasil Ride contará com a categoria das bicicletas assistidas nas três disputas, dia 15 de março, 31 de maio e 5 de julho, sempre em Amparo (SP). Já o Festival Brasil Ride, entre 11 e 13 de junho, em Botucatu (SP), marcará história no País, com a primeira prova de bike elétrica por etapas.


Foto 74303
   Fabio Piva / Brasil Ride

Adriana Nascimento, ciclista campeã em diversas categorias do MTB nacional e praticante do E-MTB, avalia o cenário das bicicletas assistidas e elogia a organização do evento. "As e-bikes foram rapidamente ampliando seu espaço com a inclusão e o despertar para a saúde e diversão. E, a Brasil Ride, com a sua filosofia de acompanhar tendências, além de abrir a porta do esporte para um público praticamente ilimitado, vai impulsionar a tecnologia e desenvolvimento de soluções ao criar a categoria E-MTB nas suas provas de XCO e Festival Brasil Ride. Afinal, a competição é um excelente laboratório de testes", enaltece Adriana.

O responsável de Bikes Turbo para América Latina na Specialized, Marcelo Catalan, faz uma análise do momento das bicicletas de pedal assistido no Brasil e no mundo. "O crescimento da utilização das bicicletas elétricas é constante de uma forma geral, em todos âmbitos do ciclismo. Obviamente a maior fatia é na locomoção, com os países europeus, por exemplo, já trocando o carro pelas e-bikes. No esporte, é uma questão de inclusão. Crescimento e oportunidade para mais pessoas praticarem a atividade, percorrendo trajetos mais longos e subirem mais alto ou descer trilhas mais íngremes", comenta Catalan.

Foto 74304
   Fabio Piva / Brasil Ride

"A chegada das e-bikes nas competições é algo incrível. Existem estudos que mostram que os ciclistas de bicicletas elétricas fazem três vezes mais exercício físico do que o normal, porque ele passa a pedalar mais e utilizar a bike mais vezes, em circunstâncias que ele não faria normalmente. A Brasil Ride é uma prova desafiadora e a inclusão da categoria E-MTB abre oportunidade para que, quem por motivos próprios ainda não disputava a prova, se encoraje a participar. Ciclismo é saudável, ecológico e muda a vida das pessoas", acrescenta Catalan.

Inovar está, desde sempre, no DNA da Brasil Ride, que em 2018 realizou a primeira prova apenas com bikes elétricas no País, durante a sexta edição do Festival Brasil Ride. "Queremos estar sempre na frente. Fizemos a primeira competição exclusiva e-bike no Brasil e agora faremos a primeira prova de etapas, além de termos também um XCO Series de e-bike. Tudo isso neste ano. Outras novidades já estão sendo desenhadas", conta Mario Roma, fundador da Brasil Ride. "Eu uso e-bike de MTB e Estrada e acredito que estou vivendo uma revolução no mundo da bicicleta, uma nova bicicleta", completa Roma.

Foto 74305
   Divulgação

Evolução das tecnologias


Catalan também avalia a principal área de investimento em tecnologia por parte das marcas de bicicleta quando o assunto é bike elétrica. "Os grandes avanços que teremos em termos de tecnologia daqui para frente vão estar nos motores mais eficientes e mais leves. A tecnologia de bateria está bem avançada. Obviamente, há outras formas de energia, mas ainda está distante de haver uma mudança. A tendência é termos motores menores e que usam melhor a própria pedalada do ciclista. Esse é caminho mais inteligente a ser seguido. Buscar a eficiência na operação do sistema motriz como um todo", finaliza Catalan.


Comentários



Relacionados