MENU

Vendas de bicicletas disparam na Austrália durante pandemia

Lojas australianas estão com dificuldade para atender demanda que cresceu vertiginosamente nas últimas semanas

Segundo esta matéria do The Guardian, a venda de bicicletas na Austrália sofreu um enorme aumento nas últimas semanas.

"Somos o novo papel higiênico e todo mundo quer um pedaço, disse Grant Kaplan, gerente de uma loja de bikes chamada Giant Sydney, localizada na cidade de Sidnei. Segundo ele, nas últimas semanas, as vendas cresceram tanto que eles tiveram que parar de fazer reparos em bicicletas, já que os mecânicos estão ocupados montando novas bicicletas para os clientes.

O gerente ainda afirmou que a expectativa de vendas para um sábado é de 10 mil dólares australianos, mas que nas duas últimas semanas ele teria vendido quatro vezes este valor. Segundo Nathan Ziino, outro lojista da região, o fenômeno pode ser explicado.

Para ele, as famílias estão cansadas de caminhar como forma de exercício. Além disso, com as crianças em casa por conta do cancelamento das aulas, a busca por atividades aumentou bastante. Segundo ele, já que as academias, piscinas e outros equipamentos esportivos estão fechados, a bike é uma das poucas alternativas de atividade físicas que ainda podem ser realizadas.

Outro item que disparou nas vendas foram os rolos de treino. Segundo explicou Ziino, isso acontece porque as medidas restritivas na Austrália são grandes e pessoas que não possuem um lugar para pedalar perto de casa são impedidas pela polícia de colocar a bike no carro e dirigir para um lugar longe sem justificativa.

Futuro para vendas de urbanas

Segundo afirmou Grant Kaplan, quando as medidas de isolamento começarem a diminuir e as pessoas começarem a voltar para o trabalho, uma segunda onda de vendas de bike é esperada: a das bikes urbanas.

"Ninguém quer ficar preso em um ônibus no inverno, durante a temporada de gripe, ainda mais com o coronavírus", afirmou. Até por isso, a Bicycle Network, maior representante dos interesses dos ciclistas na Australia, já teria entrado com um pedido para ampliar a malha cicloviária, transformando inclusive ruas e avenidas em espaços para ciclistas.

Aqui no Brasil, segundo o último relatório da Abraciclo, a produção de bicicletas despencou no último mês, com os números recuando para valores semelhantes aos encontrados em 2015.

“A queda da produção registrada em março já sinaliza o impacto da pandemia de coronavírus (covid-19), que na segunda quinzena obrigou as fábricas a se ajustarem e, em seguida, 75% delas suspenderam temporariamente suas operações fabris para preservarem a saúde de seus colaboradores e evitarem a formação de altos estoques diante das notórias dificuldades de comercialização no mercado nacional”, analisa Cyro Gazola, vice-presidente do segmento de Bicicletas da Abraciclo.


Relacionados

Comentários

Verdade.. comi bola ... nao tinha visto o link do final.. Abs

Em plena pandemia, a cidade de Niterói liberou o funcionamento dos cicles e lojas de bike, mesmo com restrições em todo o comércio. No momento atual é o transporte mais seguro e ecológico.

O problema são os altos impostos para a produção de bicicletas no Brasil, você compra uma e paga quase 3

a visao do mercado nacional, está na mesma matéria. leia tudo.

obrigado pela reportagem! Seria interessante ter a visão do nosso mercado tb....



Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.