home

TSW apresenta sua nova equipe para 2019

Time chega com novas contratações e patrocinadores


5 FEV, 2019     Gustavo Figueiredo     1    



A TSW Bike, marca nacional de bicicletas, apresentou por um release para a imprensa mais detalhes de sua nova equipe para a temporada 2019. O time recebeu reforços de atletas, patrocinadores e ganhou um staff exclusivo. Confira mais detalhes na nota reproduzida na íntegra abaixo.

Release para a imprensa

Equipe TSW/Shimano/Arisun Racing Team

O ano de 2019 marca o crescimento da equipe TSW Racing Team. A parceria entre as marcas TSW Bike, Shimano e Arisun Tires possibilitou a chegada de um quarto atleta e a promessa de bikes mais competitivas para a temporada. A expectativa é que a equipe possa estar sempre em busca dos melhores resultados nas principais provas do país.

Vídeo de apresentação da equipe



Permanecem no time os atletas Carlos Olímpio e Ulan Galinski, remanescentes da equipe de 2018. Além deles, o atleta Wolfgang Soares Olsen, completa a elite masculina. Para a elite feminina, a novidade é a atleta Kelly Olímpio, que ascendeu do projeto Adote um Atleta da TSW, programa que auxilia atletas que se destacam regionalmente.

Outra novidade para 2019, e um grande diferencial para a equipe, é a contratação de um staff exclusivo. Sendo assim, completam o time o team manager Renato Marinho (Rtreino), o mecânico especializado Cesar Lemos Ferreira e psicólogo Esportivo Antônio Tiago Junior. Conheça um pouco mais da história de cada um deles.

Carlos Alberto Olímpio

A experiência do Carlos com a bicicleta começou bem cedo. Aos 04 anos já experimentava as primeiras pedaladas sozinho, sem o auxílio das rodinhas ou do pai, que costumava guiar a sua bike enquanto ele pedalava num campo de futebol de sua cidade. Até os 12 anos a bicicleta era um simples meio de transporte, responsável por levar o pequeno Carlos para outras práticas esportivas, como futebol, basquete, handebol e o atletismo. Mas, nessa mesma época, fez sua primeira trilha:
“Foi aos 12 anos que iniciei minhas primeiras trilhas com a mountain bike do meu pai, ele me acompanhava em outra bike sem marchas. Fazíamos um bate volta na casa da minha vó cerca de 50 km, me admirava vê-lo subir todas as subidas naquela bike.”


Aos 13 anos Carlos teve a oportunidade de viajar com atletas da sua cidade para acompanhar uma prova como expectador. Foi amor à primeira vista. Tanto que ele voltou para a segunda etapa desta mesma prova como competidor.

“Durante a prova eu sofri tanto que coloquei na cabeça que iria treinar e me dedicar a ponto de um dia conquistar um título nacional. Daí para frente viajei muito, conheci muita gente, sofri demais, TREINEI E TREINEI MUITO.”

Entre os principais incentivadores do Carlos está o seu pai, que fez de tudo para que o filho crescesse no esporte. Treinando, correndo atrás de apoio, condução e muitas outras coisas. Hoje, na TSW Racing Team, Carlos tem a oportunidade de competir em alto nível, de ser um atleta profissional.
“Agradeço a TSW BIKE pela oportunidade em que muita gente sonha ter, mas isso não seria possível sem um passado em que percorri degrau a degrau com a ajuda de muita gente e amigos!”

Ulan Bastos Galinski

O garoto Ulan, hoje com 20 anos, aprendeu a andar de bicicleta aos 4 e a partir desse momento que a bike passou a ser uma extensão do seu próprio corpo. A princípio como meio de transporte para a escola, casa de amigos e para andar pela sua cidade, mas além disso, e principalmente, como um meio de praticar um esporte e se divertir.


“Sempre fui um amante de esportes amava competir e testar meus limites, então quando surgiu a oportunidade aos 14 anos de idade de ir para uma corrida com os amigos me encantei pelo Ciclismo, não simplesmente pela adrenalina e competitividade que a corrida trazia, mais sim pela compaixão e respeito que os atletas tinham um pelo outro fora das pistas”

Após a primeira competição, sempre que podia, Ulan participava de uma prova de forma amadora. Mas em 2015, com 16 anos, começou a encarar o ciclismo mais a sério e participou do campeonato Baiano. A partir daí decidiu se dedicar aos treinos com a orientação de um treinador.
“Foi assim que entendi a importância da disciplina, quando nos esforçamos para conquistar algo que queremos a vida também se esforça para nos ajudar, e no mesmo ano ganhei o título de Campeão Baiano de XCO Júnior, que era um sonho na época”

Após o primeiro título Ulan passou a sonhar mais alto e depois de correr um ano como atleta regional da TSW, foi contratado para fazer parte da equipe principal da marca em 2018 e segue como um dos destaques da equipe em 2019.

“Tenho como grande objetivo um dia me tornar Campeão brasileiro e representar o Brasil nas olimpíadas, sei que é difícil, mas trabalharei duro para isso, temos que acreditar e nos dedicar, esse é um dos segredos para se conquistar. Porém não quero apenas ganhar títulos, quero também ser um incentivador de sonhos, incentivar outras pessoas, crianças a acreditarem em si mesmas e mostrar que se a gente quiser de verdade é possível chegar no topo e realizar sonhos.”

Wolfgang Soares Olsen

O Wolf tinha apenas 02 anos quando a bike entrou em sua vida, em forma de presente de natal. Em seis meses com o novo brinquedo, o pequeno Lobo já se aventurava, sem as rodinhas, nas ladeiras na porta de casa em Petrópolis.


A bike sempre esteve presente na vida do garoto Wolfgang, seja para a diversão, seja como meio de locomoção. A primeira trilha aconteceu entre os 10 e 11 anos, em uma montanha perto de sua casa, mas escondido da mãe, que tinha medo que o filhote machucasse. Foi um caminho sem volta. Aquela sensação de ter o vento batendo no rosto, sentir a adrenalina de estar indo mais distante e o contato com a natureza passaram a ser uma de suas certezas na vida. O contato de Wolf com o universo competitivo da bike aconteceu quando ele tinha 14 anos por causa do pai, que o levou para a primeira prova de MTB.

“Meu pai pedalava com um grupo de ciclistas em sua cidade, Caraguatatuba/SP, aos 14 anos enquanto passava férias na casa dele, tive a oportunidade de ir em uma competição com eles que foi o Big Biker Cup. Aceitei o desafio, mesmo sem estar preparado, não ter o equipamento adequado e sem estar inscrito na corrida.”

Essa primeira corrida não teve nada de história bonita, Wolf sofreu com quilometragem do percurso e não sabe dizer quantas câimbras teve. A única certeza que ele tinha era que queria voltar lá e subir no pódio. Foi aí que a bicicleta deixou de ser somente uma brincadeira e se transformou no sonho de ser um atleta profissional. Três anos mais tarde, com 17 anos, Wolf se sagrava campeão de uma das etapas dessa mesma competição.

De lá para cá foram muitas provas, muitas vitórias e muitos aprendizados e 2019 promete ser um ano especial. Em sua nova equipe, o Lobo de hoje se considera um cara de sorte por conseguir se dedicar exclusivamente ao Mountain Bike e ter tantas pessoas que sonham juntos, acreditam e trabalham tanto para ele poder continuar indo além.

“Gosto sempre de lembrar de onde eu vim e de quem já me ajudou, assim como tantos outros atletas, não foi nada fácil chegar até aqui e isso me inspira e me motiva muito a me dedicar diariamente e honrar a cada um que esteve e que está comigo.”

Kelly Olímpio

Assim como na história de seu irmão, o envolvimento da Kelly com a bicicleta começou cedo. Aos seis anos ela aprendeu andar de bike incentivada pelo pai, que já era atleta de MTB. Nessa época toda a família costumava fazer passeios de bike pelas cachoeiras e montanhas da região de Caxambu/MG.
O caminho para as competições veio quase que naturalmente, uma vez que essa relação era familiar. Aos 12 anos a pequena Kelly participou de sua primeira prova, uma etapa do Sampa Bikers, em Passa Quatro/MG.


Aos 14 anos ela teve a oportunidade de participar de sua primeira CIMTB e se sagrou campeã da categoria sub23, uma vez que na época ainda não existiam as categorias juvenil e júnior.
Apaixonada por outras modalidades esportivas, como o atletismo, seu coração esteve dividido por um período e ela acabou se afastando um pouco da bike. Mas o amor pela bicicleta falou mais alto, e para a sorte da TSW Bike, a Kelly acabou retornando aos pedais e em 2018 teve a oportunidade de correr pela equipe do projeto Adote um Atleta da marca.

“Minha parceria com a TSW se iniciou no ano passado, através do projeto adote um atleta e este ano passei a integrar a equipe oficial. Desde a época do projeto, a marca tem me dado um apoio fantástico e acredito que essa transição para a equipe oficial, será de grande valia no alcance dos meus objetivos.”

Kelly destaca que entre os seus objetivos para essa temporada estão evoluir tecnicamente, fisicamente e mentalmente, de forma a maximizar seu desempenho, bem como buscar o top 5 na Super Elite feminina nas competições do calendário nacional. Para isso ela conta com o comprometimento da equipe e o empenho de todos.

“Entre as curiosidades sobre mim posso dizer que vim de uma família apaixonada por bike! Não só meu pai e meus irmãos, mas meus tios e meu avô também têm essa paixão pela magrela. Sou um pouco desastrada e tenho o hábito de inclinar a cabeça pro lado quando estou pedalando (este é o charme)!”

Renato Marinho

Nascido em Governador Valadares, o contato do nosso Team Manager com a bike começou cedo, afinal de contas, a bicicleta sempre foi o meio de transporte mais comum na cidade. O bairro onde o jovem Renato Marinho morava era um tradicional ponto de encontro para atletas de MTB, mas, principalmente, de BMX, por possuir uma pista da modalidade. A curiosidade levou à paixão e em 1997, com 14 anos, ele teve sua primeira bike apropriada para as pistas do bairro.

Foto 70881

Entretanto, o MTB foi entrar em sua vida apenas em 2001, quando começou a participar de trilhas com grupos da cidade. Por ser um jovem muito competitivo, logo iniciou a participar de competições regionais da modalidade. Nessa época, o MTB ainda estava se desenvolvendo no Brasil.

“Comecei a participar de provas desde o meu início no MTB. Em 2002 coloquei mais dedicação nos treinos, 3 ou 4x semana, que era muito para a época. Em 2003 comecei acompanhamento com treinador e participei de forma mais seria das competições como Copa Ametur (atual CIMTB), Copa Assitur (Atual Copa Inconfidentes), Iron Biker, e várias provas regionais. Tive a oportunidade de subir em alguns pódios e ter boas colocações, mas o melhor sempre foram os ótimos pegas durante as provas!”

O envolvimento com a modalidade alimentou o desejo de trabalhar com o esporte e, em 2004, Renato optou por se graduar em Educação Física para se tornar treinador. Durante a faculdade ele ainda correu algumas provas, mas quando a coisa apertou, ele preferiu priorizar os estudos. A formatura aconteceu em 2007 e em 2008 surgiu a RTREINO Assessoria Esportiva, com o assessoramento para atletas de ciclismo tendo o MTB como foco. De lá para cá foram muitos alunos de categorias. Entre as experiencias bem-sucedidas que se pode destacar está o início da carreira do atleta campeão nacional e internacional de Enduro, André Bretas.

Em 2014, atento ao mercado, Renato percebeu uma carência em relação à Nutrição Esportiva com foco no ciclismo e resolveu fazer outra graduação. Formou-se em 2018 e atualmente é educador físico e nutricionista. Agora, em 2019, Renato assume a responsabilidade de gerenciar a equipe TSW/Shimano/Arisun e promete dedicação total ao time.

Cesar Lemos Ferreira

Até os seus 14 anos a bike estava longe de fazer parte da vida do Cesar. Foi o seu irmão, nessa época, que lhe incentivou a aprender a pedalar. A paixão foi avassaladora. Aos poucos as distâncias iam aumentando ao mesmo tempo em que a curiosidade e o conhecimento sobre as bikes também aumentavam. Ainda nessa época, meio que naturalmente e por gostar de fazer, Cesar foi se tornando o mecânico dos amigos.

Foto 70883

Em 1999, com 22 anos e entrosado com a turma mais profissional do ciclismo de Petrópolis, também começou a participar de algumas provas. Em 2000 recebeu um convite para trabalhar em uma loja da cidade, já como mecânico.

“Em 2003, fui para outra loja mais conhecida no centro da cidade e fiquei até 2006. Quando saí dessa loja, fui convidado por outra maior, de um ex-campeão de mountain bike do Rio de Janeiro. Enquanto estive lá, procurei me especializar em tudo que podia na mecânica. Fiquei até 2012, quando resolvi montar minha própria loja, em sociedade com um grande amigo.”

Atualmente o Cesar cuida das bicicletas da maioria dos competidores da Associação de Triathlon de Petrópolis, além de ser mecânico conhecido de muitos atletas do ciclismo e MTB da cidade, entre eles, nosso atleta Wolfgang. Essa parceria entre os dois motivou o convite para que o Cesar se tornasse o mecânico oficial do time TSW/Shimano/Arisun Racing Team.

“Tenho a convicção de que esse ano será de grande responsabilidade e também de grande crescimento profissional para mim. Trabalharei para garantir que todos os atletas da equipe estejam com suas bikes sempre 100% para as competições, e estarei sempre pronto para resolver de forma eficiente qualquer imprevisto. A equipe com certeza terá grandes resultados esse ano, e eu espero, com meu trabalho, fazer parte de todas as conquistas.”

Antônio Tiago Júnior

A história do psicólogo Antônio Tiago Júnior com a bike começou com as famosas croisinhas, entretanto, ele só podia curtir quando um amigo emprestava uma. Vindo de uma família bem humilde, Toninho, como é conhecido, só conseguiu a sua primeira bike quando jovem, depois de estar trabalhando e talvez tenha sido esse desejo reprimido da infância que tenha alimentado a paixão que o profissional tem com a sua magrela hoje.

Foto 70880

Um pouco mais velho, e mais experiente com a bicicleta, Toninho, já como estudante de psicologia, participou de algumas provas na sua modalidade predileta, o downhill.

“Passei um bom tempo praticando e competindo campeonatos na modalidade downhill. Fui em brasileiro, mineiros, capixabas entre outros. No 8° período da faculdade, conheci a psicologia do esporte, e ali entendi que essa seria uma área ótima para minha atuação.

A parceria com atletas da TSW Bike começou de forma experimental em 2018 e para esse ano sua participação na equipe tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento físico/mental dos atletas e a manutenção da sinergia do time.

“A expectativa para 2019 é de total confiança nos atletas que mostram um amadurecimento grande em relação ao ano passado (2018). Percebo que com a entrada de nossos atletas, a maturidade tende ser mais produtiva. Penso também que somos um corpo e que precisamos estar em sintonia para que o desempenho deles seja favorável e consequentemente conquistemos os resultados esperados”.






Comentários

  • avatar

    Zena Miranda   

    Zena Miranda   

    Parabéns Antônio pelo sucesso!
    2 mes(es) atrás - Denunciar




  • Relacionados