home

Trek Procaliber 6 2018 - Primeiras Impressões


6 SET, 2017     Gustavo Figuereido     3    



A Procaliber 6 é uma hardtail de alumínio com uma configuração um pouco diferente da maioria de suas concorrentes. Isso porque o modelo estréia o quadro Procaliber com IsoSpeed feito em alumínio - para quem não conhece, o IsoSpeed é um desacoplador que isola o tubo superior do tudo do selim que surgiu na estradeira Domane.

Em um evento realizado no Nore Bike Park, em Itú, tivemos a oportunidade de conhecer e pedalar a bike durante alguns quilômetros. Confira a seguir nossas primeiras impressões sobre ela.

Foto 64316

Configuração

A bike vem equipada com suspensão RockShox Recon Gold RL e grupo Shimano SLX 2x11 velocidades com um câmbio traseiro Deore XT M8000, cassete 11-42 e coroas 36/26 na pedivela Race Face Aeffect,.

As rodas são montadas com cubos Bontrager 110/148 e aros Bontrager Duster Elite, calçados com pneus Bontrager Bontrager XR2 Team Issue 2.2. Com um cockpit todo Bontrager, guidão com 720, a bike possui uma boa escolha de peças, com o peso divulgado na casa dos 12.38 kg no tamanho 17,5.

Um detalhe interessante é que ela já vem com rotas de cabo para instalação de canote retrátil e com um canote de 31.6mm, medida mais comum deste tipo de componente e que costuma contar com os modelos de maior curso.

Geometria

Construída com o conceito G2 de geometrias de bike 29 da Trek, a Procaliber 6 compartilha a geometria com suas primas de carbono - trata-se de um projeto de XC voltado ao alto desempenho em terrenos técnicos.

Nossa bike de teste 17,5 possuía a curta traseira de 435 mm, top tube com 59.9 cm e 69.5 graus de caixa - segundo a tendência de bikes com a frente longa e com caixa mais relaxada também para o XC.

Foto 64317

Além disso, a frente é baixa e o coloca o piloto em uma posição longa e deitada sobre a bike. No papel e também sobre os pedais, fica clara a intenção da Trek em criar uma máquina voltada ao cross-country em terrenos técnicos.

Como ela anda?

No teste, encaramos o percurso mais técnico do Nore Bike Park, passando por mergulhos, singles, trechos com pedras, alguns drops e uma subida mais longa com curvas em zig-zag no single.

Ao dar as primeiras pedaladas, imediatamente é possível sentir a boa aceleração proporcionada pelo rígido quadro com cubo traseiro de 148mm e eixo de 12mm. Todavia, o conforto também está presente - fruto da clara deflexão do tubo do selim.

Foto 64315

Segundo a Trek, a Procaliber 6 possui uma capacidade de flexão apenas 20% inferior à versão de carbono - cerca de 2mm. A marca afirma que, se comparada à Superfly de alumínio, a Procaliber feita de metal possui 40% mais flexibilidade nesta área, aumentando em muito o conforto. Na prática, isso quer dizer que você realmente pode sentir pequenas pedras e buracos sendo suavizados - embora a sensação esteja longe de uma bike full-suspension.

Nos obstáculos e trechos mais técnicos, a Procaliber passou confiança suficiente para praticamente mergulhar as cegas em um percurso completamente desconhecido por nossa equipe, com os pneus Bontrager XR2 Team Issue fazendo um bom trabalho na superfície seca e batida com alguns trechos com uma cobertura solta por cima.

Na longa subida em zig-zag, deu para sentir que a bike traciona muito bem, passando pelos cotovelos com obstáculos sem grandes dificuldades. Nas descidas mais rápidas também não tivemos problemas, com a bike deitando e encaixando nas curvas muito bem.

A ressalva ficou pelos cotovelos e trocas de direção em velocidade mais baixa na descida - situação que a bike pareceu um pouco "amarrada", tendendo a abrir um pouco a linha ideal da curva e exigindo mais de jogo de corpo para realizar um bom contorno.

No geral, a posição mais deitada e a frente longo aguçam o impeto de pedalar com força, algo realçado pela excelente capacidade de aceleração e tração da Procaliber 6.

Conclusão


A Procaliber 6 é uma bike perfeita para quem quer acelerar forte mas deseja manter uma boa dose de conforto em sua pedalada - inclusive se a ideia for poupar energias em competições de XCO ou XCM. O pacote de componentes agrada, assim como a posição de pilotagem. Mas, a dirigibilidade exigiu alguns quilômetros de adaptação.

Mais informações no site oficial da Trek Brasil.

Vestuário

Bretelle Free Force Neo Classic tamanho P, Camisa Free Force.

Link para o teste Procaliber 6 2018 no Strava.


Comentários

  • avatar

    Monark   

    Monark   

    Fassam análise e teste com bikes antigas também!por exemplo a melhor de todas A Monark fassam teste com a Monark Monark barra circular Monark crescente 10 seria uma boa matéria para ler não temos que falar só sobre as bikes dessa atualidade,mas sim também das antigas aquelas clássicas que são raras hoje que até mesmo ela vence uma dessas de hoje então pessoal aguardo aí os testes seria e é uma boa faser
    15 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Lino gouvea   

    Lino gouvea   

    Bom dia galera minha bike e uma marlyn 7 equipada com relação 2/9 32/32. Atrás 12/40 bem escalonada Susp rock shock Reba RL CUBOS NOVATEC A combinação perfeita top demais
    15 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Igor_DH    Niterói - RJ

    Igor_DH    Niterói - RJ

    Mas o precinho, deve ser o mesmo de uma de carbono.
    15 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Robert, conversamos com o pessoal da Trek e eles falaram que o site será atualizado em breve. Eles ainda falaram que teremos mais novidades ainda em Setembro.
    16 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Fabio    São Paulo - SP

    Fabio    São Paulo - SP

    Para que achava que alumínio não tinha resistência a fadiga. rs
    16 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Robert Resende   

    Robert Resende   

    Bom dia, certeza que o nome da bike é este mesmo pois no site da trek não tem nenhuma informação sobre ela.
    16 dias atrás - Denunciar




  • Relacionados