home

Trek 2019 - Madone SLR e SL em detalhes

Fomos aos EUA conhecer de perto e pedalar a nova versão No. 6


6 JUL, 2018     Pedro Cury     2    



Tivemos a chance de visitar a sede da Trek em Waterloo, nos EUA e pedalar em primeira mão a nova Madone SLR. Já aclamada pelo público brasileiro, a bike de estrada equilibra uma construção aerodinâmica com a mesma qualidade de pilotagem das bikes tradicionais. Ou seja, apesar de ter grandes benefícios aerodinâmicos, a Madone traz também conforto e desempenho.

Foto 68626
Trek Madone SLR 2019 com pintura ICON   Pedro Cury
Foto 68646
Trek Madone 2019 - Versões Disco e Ferradura
Foto 68633
Trek Madone SLR 2019 - Versão Disco

Novidades - Tecnologias

IsoSpeed ajustavel no tubo superior

Para quem não conhece, o IsoSpeed é um mecanismo que desacopla o tubo superior do tubo do selim, permitindo uma flexão para absorver impactos. Com ele, além do rolé ficar com menos vibrações, os impactos também são minimizados no corpo do ciclista, diminuindo a fadiga em trajetos mais longos - tudo isso sem qualquer perda de eficiência da pedalada.

Foto 68642
Foto 68656
Mecanismo interno do IsoSpeed   Pedro Cury

A nova versão ajustável deste sistema permite configurar a quantidade de flexão do quadro, mudando assim a sensação de conforto. Comparada com a versão anterior, a nova Madone é 17% mais flexível no ajuste mais suave e 21% mais rígida no mais duro.

Batente de Retorno

A Trek acrescentou um batente de amortecimento ao mecanismo do IsoSpeed, para ajudar a minimizar o retorno dos impactos. O tubo de selim através do IsoSpeed, flexiona quando recebe um impacto para absorvê-lo, porém retornava à posição original de forma brusca, o que algumas vezes obrigava o ciclista a se reposicionar no selim - característica que pode se tornar irritante e gerar fadiga. Agora, o novo sistema tem até 13% a menos de velocidade de retorno, gerando mais estabilidade para o ciclista.

Foto 68679
Novo IsoSpeed agora conta controle de retorno

Lembramos também que o sistema de ajuste é montado no tubo superior, diferente da Domane que é no tubo do selim. Para o ajuste, basta uma chave allen. O processo é simples e leva menos de 1 minuto. Outra vantagem do novo sistema é a possibilidade conseguir os mesmos valores de conforto vertical (compliance) em todos os tamanhos de quadro, o que não acontecia antes.

Freios à disco, mas sem abandonar os de aro

A nova Madone SLR pode vir com freios tradicionais ou à disco. A versão de aro é um pouco mais leve, mas a versão de disco não penaliza em nada a aerodinâmica da bike.

Foto 68641

O design dos freios a aro foi bastante reformulado com objetivo de ficar mais funcional e com manutenção mais fácil. Agora cada lado tem um parafuso de ajuste das pastilhas para facilitar o alinhamento de acordo com o desgaste e para conseguir uma melhor força de frenagem. Também é possível usar aros de largura 23 a 28.5mm sem ter que fazer reajustes.

O freio dianteiro agora está na parte de trás do garfo, em uma posição mais aerodinâmica e esteticamente agradável, inclusive com a parte externa podendo combinar com a cor do garfo e quadro. A rota do conduíte também foi otimizada e permite ter menos cabo de aço exposto ao vento.

Foto 68645
Foto 68658
   Pedro Cury

Uma diferença importante é que os freios a aro permitem pneus de até 25c enquanto os à disco cabem até 28C. Não pedalamos com os freios a aro, mas podemos dizer que os freios a disco funcionam muito bem, conforme contamos no nosso Primeiras Impressões da Trek Madone SLR 2019 que você vai conferir em breve.

SLR com nova geometria H1.5

Desenvolvida em parceria com as equipes Trek-Segafredo e Trek-Drops, a Madone SLR agora tem uma nova geometria H1.5, intermediária entre a mais agressiva H1 e a mais confortável H2. A ideia da marca foi achar uma posição otimizada, que continua atendendo com eficiência uma enorme gama de ciclistas, mas diminuindo a complexidade de desenvolver e aperfeiçoar tantas variações de quadros.

Foto 68631
Trek Madone SLR 2019 - Versão Disco
Foto 68628
Trek Madone SLR 2019 - Freios tradicionais
Foto 68629
Trek Madone SLR 2019 - Freios tradicionais

A nova geometria é o ponto de partida certo para uma maior gama de atletas, já que combina características de uma geometria agressiva de competição com um posicionamento que o atleta consegue manter por mais tempo com conforto.

A Madone SLR só estará disponível na nova geometria H1.5. Todos os modelos serão oferecidos nos tamanhos de 50 a 62 cm. Já a versão SL vem com a já conhecida geometria H2, que aposta em uma posição um pouco mais confortável.

Além disso, ambos os modelos ganharam detalhes estéticos e de integração como o novo sistema de iluminação traseiro que vai preso ao selim e o parafuso de regulagem de altura do canote embutido.

Foto 68636
Integração do selim com luz Bontrager Flair RT
Foto 68649
Carbono OCLV 700 - O mais avançado da Trek

O quadro da Madone SLR para freios ferradura pesa 1117g, enquanto a versão para freios a disco fica na casa dos 1131g. A versão é construída com a série 700 do carbono OCLV - a mais avançara até o momento. Já o modelo SL utiliza o carbono OCLV série 500 - um pouco mais pesado.

Novo guidon e avanço em duas peças

O desafio da Trek com o guidon e avanço era atender a necessidade de fit de uma maior gama de atletas, mas sem perder as características aerodinâmicas.

Foto 68657
Guidão antigo (acima) VS Novo   Pedro Cury
Foto 68637
Novo Guidon da Trek Madone
Foto 68639
Novo Guidon da Trek Madone

Para isso, os engenheiros resolveram sair do design de uma peça e separar novamente o guidon do avanço. Mas ao invés de seguir os desenhos tradicionais, a marca criou essas peças com um desenho aerodinâmico, com visual bem integrado e com possibilidade de ajustes, que lembra bem a versão anterior. O guidon também tem uma angulação um pouco diferente, que segundo a marca o torna mais ergonômico.

Os avanços estarão disponíveis de 90mm a 130mm, com -7 ou - 14 graus. Já os guidons terão mais uma largura, indo de 38cm a 44cm. Tudo isso torna também os ajustes mais fáceis e baratos. Com essa mudança, é possível ter até 40 configurações diferentes, ao invés de 26 da versão anterior, sem contar o maior refinamento com a possibilidade de rotação de + e - 5 graus.

Project One com nova pintura ICON

Foto 68680
Trek Madone com pintura ICON Prismatic Pearl

Em conjunto com o lançamento da bike, a Trek também anuncia as novas pinturas para bikes do Project One. Tivemos a oportunidade de ver pessoalmente e você pode confirir mais detalhes das pinturas ICON aqui.

Central de Controle melhorado

A porte por onde passam os cabos de freio e de marcha foi reposicionada para o tubo inferior. Na versão mecânica ela da acesso aos conduítes de freio e de marcha e no eletrônico a bateria e a fiação. Além disso, o plug de carregamento do Di2 agora fica no guidão

Foto 68654
   Pedro Cury

Modelos Masculinos e Femininos com o mesmo quadro
A nova Madone SLR vem com modelos específicos para homens e mulheres. O quadro é o mesmo, mas cada modelo tem áreas de contato diferentes, como selim, guidon e avanço em medidas diferentes para se adequar melhor a cada gênero.

O objetivo da nova Madone foi manter a mesma aerodinâmica do modelo anterior, mas reduzindo seu peso e adicionando diversos novos recursos como a tecnologia do IsoSpeed regulável, batente de retorno e guidão separado da mesa.

Pelo que pudemos conferir, a Trek atingiu sua meta com a nova Madone, criando uma bicicleta que certamente evoluiu em relação à sua versão anterior em praticamente todos os quesitos de desempenho. Veja o que achamos do nosso primeiro pedal com a Madone SLR 9 Disc.

Aqui no Brasil, a Madone deve chegar em breve. Já em julho, a SLR6 Disc estará disponível, com a SLR9 chegando em setembro. Além disso, a espetacular pintura ICON também já estará disponível em julho.

Para maiores informações, acesse o site oficial da Trek.