MENU

Tour de France 2020 - Organização confirma prova entre 29 de agosto e 20 de setembro

Prova foi adiada por conta da pandemia do Novo Coronavírus. Segundo organização, percurso não sofre alterações

A organização do Tour de France anunciou, nesta quarta-feira (15), a nova data da prova, que será realizada de 29 de agosto a 20 de setembro. A decisão foi tomada após discurso do presidente francês, Emmanuel Macron, sugerindo proibição de eventos de grande porte até meados de julho. A medida foi tomada pelas autoridades locais como parte da luta contra a propagação da COVID-19.

ASO / Divulgação
ASO / Divulgação

Os organizadores do Tour de France em acordo com a Union Cycliste Internationale (UCI) decidiram então adiar a prova, que seria aberta em 27 de junho inicialmente e teria seu grand finale em 19 de julho. O comunicado enviado pelos dirigentes do Tour de France confirma que a prova seguirá a mesma rota, sem alterações, de Nice a Paris.

Christian Prudhomme, diretor de prova, apareceu no programa de televisão Le Journal de 13 heures, transmitido no horário do almoço pela France Télévisions, para confirmar a informação. Historicamente, este seria o Tour realizado mas perto do fim do ano, já que a edição de 1908 terminou no dia 9 de agosto.

"O Tour vai acontecer dois meses depois do planejado. Nunca foi realizado tão tarde em sua história, mas ele vai acontecer entre os dias 29 de agosto até o dia 20 de setembro, no mesmo percurso. Eu falei ontem pelo telefone com 49 representantes eleitos das cidades e eles me deram o apoio", afirmou Prudhomme.

A importância econômica do Tour de France para as equipes e seus patrocinadores garante que a grande volta francesa tenha preferência sobre todas as outras competições no calendário revisado da UCI. Por isso, todas as outras competições devem ser remarcadas ao redor da nova data do Tour.

Em entrevista ao jornal belga Het Nieuwsblad, Patrick Lefevere, diretor da Deceuncink-QuickStep, afirmou categoricamente: "Sem o Tour de France, todo o modelo do ciclismo entra em colapso".


Conteúdo Relacionado

Comentários