home

Tour de France 2018 - Quem são os favoritos?


28 JUN, 2018     Gustavo Figueiredo    



Ano após ano, o desenrolar da temporada de ciclismo vai nos dando um panorama de como será a prova mais esperada do ano, o Tour de France. A seguir, confira uma breve análise de cada um dos favoritos para a vestir a camisa amarela em Paris depois das 21 etapas da competição que começa no dia 7 de julho.

Foto 68476

Chris Froome - Sky

Apesar de ainda estar em julgamento por ter sido flagrado com uma concentração acima da permitida de um medicamente para asma em sua urina, Chris Froome segue em sua busca pela dobradinha Giro / Tour. Vencedor do Tour e da Vuelta em 2017, o britânico vem de uma boa sequencia de resultados - embora já tenha mostrado sinais de vulnerabilidade em diversas ocasiões.

Apesar de ter focado toda sua preparação na tentativa de dobradinha, claramente começando o Giro abaixo do pico da forma física, muito provavelmente a conquista da camisa rosa cobrou um preço nas pernas de Froome - algo que pode se refletir nos estágios finais do Tour.

Ao seu favor, Froome contará mais uma vez com uma Sky fortíssima. Na lista de ajudantes, teremos nomes como Michal Kwiatkowski, Wout Poels, Egan Bernal e Geraint Thomas, entre outros atletas que certamente farão toda a diferença não só nas montanhas, mas também na traiçoeira primeira semana do Tour.

Nairo Quintana - Movistar

No ano passado, o colombiano tentou - de forma bastante frustrada - vencer o Giro e o Tour. Como resultado, sua preparação ficou prejudicada, com o atleta fechando sua participação no Tour apenas na décima segunda colocação. Culpando o cansaço acumulado das duas competições, nesta temporada Nairo apostou em uma preparação completamente diferente, na tentativa de chegar super descansado para o Tour.

Sua unica demostração de força aconteceu durante o Tour da Suíça, com um ataque que garantiu para ele a segunda colocação na classificação geral. Mais do que isso, a aceleração de Quintana colocou em dificuldades o fortíssimo Richie Porte, vencedor na geral que só não sobrou por conta da colaboração com Jakob Fuglsang.

Ao seu lado - se tudo correr conforme suas expectativas - o colombiano terá a ajuda de Mikel Landa, Alexandro Valverde. Além deles, o diretor Eusebio Unzué preparou um esquadrão que já está sendo tratado como a Movistar mais forte dos últimos anos, sendo capaz inclusive de rivalizar com a Sky em poder de fogo.

Richie Porte - BMC

Ex-gregário de Froome na Sky, Porte é uma promessa que quase sempre sofre com tombos ou outros "azares" quando está aparentemente bem em uma competição. Este ano, o australiano andou bem, principalmente na fase preparatória para o Tour, conquistando uma importante camisa de vencedor na Suíça há apenas alguns dias.

Para vencer, Porte apostou no bom contra-relógio da BMC e em seu excelente desempenho nas montanhas. Com seu motor diesel capaz de manter uma potência elevada por longos períodos, ele mostrou capacidade para "quebrar o pelotão de roda" com um ataque na etapa 5 da competição.

Ao seu lado, Porte terá a ajuda de uma BMC forte, experiente e desesperada para mostrar resultados, já que o time segue sem um patrocinador forte para a temporada 2019. Dentre os destaques tempos o fortíssimo Greg Van Avermaet e Tejay van Garderen, que também andaram muito bem na Suíça.

Romain Bardet - FDJ

O francês é responsável por carregar as expectativas de toda uma nação, já que Thibau Pinot ficou doente no final do Giro e não vai participar do Tour. Em sua carreira, ele já chegou em segundo no Tour em 2016 e em terceiro ano passado.

Nesta temporada, o ciclista da FDJ conquistou um lugar no pódio na Liège-Bastogne-Liège e chegou em terceiro lugar no Critérium du Dauphiné com uma apresentação bastante agressiva. Contra o escalador, jogam seu fraco ITT e também sua equipe, que não é uma das mais fortes na competição.

Tom Dumoulin - Sunweb

O holandês que conquistou um excelente segundo lugar no Giro d'Italia 2018 resolveu participar do Tour de última hora, apesar de ter afirmado que já pensava em tentar correr ambas as competições desde que o ano começou. Esta será a primeira vez que o atleta tentará levar a camisa amarela da Grande Volta Francesa.

O ciclista teve uma temporada relativamente tranquila e sem muitas competições, o que pode ser algo positivo depois de um Giro e de um Tour que já é considerado um dos mais duros de todos os tempos. Apensar disso, ainda não se sabe como o corpo do atleta vai reagir ao cansaço de duas grandes voltas consecutivas.

Mikel Landa - Movistar

Companheiro de Quintana na Movistar, Landa deixou a Sky justamente para conseguir mais liberdade para tentar vencer grandes voltas. Por isso, segundo o próprio time, Landa assumiu a liderança conjunta da equipe juntamente com o colombiano e Alejandro Valverde - o líder definitivo será decidido na competição.

Geraint Thomas - Sky

O principal gregário de Froome está andando como nunca. Nesta temporada, provavelmente apostando em alguma fraqueza ou na suspensão de Froome em seu caso de Salbutamol, o ciclista britânico parece estar bastante bem preparado caso possa assumir a liderança da Sky.

O ciclista conquistou a camisa amarela do Dauphiné de forma bastante convincente, com um desempenho que o colocou acima dos principais adversários de Froome na disputa pela camisa amarela do Tour. Agora, resta saber se a oportunidade vai sorrir para Thomas. Recém vencedor do Campeonato Britânico de contra-relógio e com um ótimo desempenho nas montanhas, ele ainda teria a força da Sky ao seu dispor em caso de problemas com Froome.

Vincenzo Nibali - Bahrain Merida


Com uma temporada silenciosa, Nibali conquistou nesta temporada uma vitória espetacular na Milan San Remo, mas teve uma participação bastante apagada no Critérium du Dauphiné. Apesar disso, o italiano é famoso por não apresentar grandes desempenhos antes de competições de três semanas, preferindo apostar em uma preparação mais conservadora. Ao seu lado o ciclista terá uma equipe forte e competente, com nomos como os irmãos Izaguirre e Domenico Pozzovivo.

Sempre uma ameaça, Nibila afirmou logo depois do Dauphiné não estar preocupado com o baixo desempenho, deixando sub-entendido que estará bem na terceira semana do Tour. Vale ressaltar que serão dias extremamente intensos de competição, e pernas frescas podem fazer toda a diferença nesta situação.


Comentários