home

Testes com freios a disco de estrada podem ser reiniciados em Junho


3 MAI, 2016     Gustavo Figueiredo     1    
     


Recentemente, os testes com freios a disco no pelotão profissional de estrada, que deveriam durar durante todo o ano de 2016, foram interrompidos depois que o atleta Francisco Ventoso, da Movistar, afirmou ter sofrido um corte profundo na perna depois de colidir com uma bicicleta equipada com este tipo de tecnologia.

imagem


Porém, logo de início da proibição, muitas dúvidas foram levantadas sobre a veracidade deste fato, já que não existe uma forma de verificar exatamente o que aconteceu. De uma forma ou de outra,a UCI suspendeu imediatamente os testes com freios a disco, já que a reação dentro do pelotão profissional foi muito forte, com inúmeros atletas e organizações vindo a público para acusar a UCI de não ter cuidado com a segurança dos atletas. Mais recentemente, as federações Francesa e Espanhola de ciclismo proibiram o uso dos discos até em provas amadoras.

Porém, de acordo com o site CyclingTips, algumas notas vazadas são conta que não só os testes com discos devem recomeçar em Junho como a investigação forense do acidente de Ventoso indica que sua lesão foi causada por uma coroa e não por um disco.

Conferência Privada

Segundo o site, a Comissão de Equipamentos da UCI teria feito uma conferência privada com a WFSG (Federação dos Fabricantes de Equipamentos Esportivos) na qual vários pontos foram discutidos. O site citado afirma ter conseguido acesso às notas desta conferência. Segundo a fonte, a parte mais importante é o depoimento de um médico forense que afirma que a lesão foi causada por uma coroa e não por um disco - informação que o site não conseguiu confirmar.

De uma forma ou de outra, a Comissão de Equipamento da UCI reconheceu que muitos atletas preocupam-se com bordas afiadas em disco, com a possibilidade de queimaduras que podem acontecer em descidas longas, com a mistura de diferentes freios dentro do pelotão e que é preciso fazer algo para contornar este problema.

Para Junho, aparentemente os fabricantes adorarão discos com as bordas arredondadas para evitar ao menos o risco de corte nas beiradas. Depois, o site informa que novas medidas como retirada dos desenhos de "serra" e até a adoção de capas protetoras podem ser introduzidas.

Amadores

Outro ponto ventilado na conferência foi a proibição em provas amadoras que aconteceu na França e na Espanha. Segundo a fonte, a WFSGI pediu para a UCI converse com as federações destes países para que eles voltem a permitir os discos em provas amadoras, já que nenhum incidente envolvendo discos aconteceu neste tipo de competição.

A fonte ainda informa que uma nova reunião está agendada para Setembro para avaliar a efetividade destas medidas e determinar o futuro dos freios a disco no ciclismo de estrada.

Fonte: CyclingTips


Comentários

  • avatar

    Filipe_SC    São José - SC

    Filipe_SC    São José - SC

    Nunca vi tanta resistência em aderir uma tecnologia que no fundo nem é tão nova assim. Há inúmeras formas de se machucar em uma colisão de bike, e se esse fosse o ponto principal as coroas das bikes teriam que ser proibidas, pois um disco cheio de dentes é muito fácil cravejar sua perna em uma colisão.
    3 ano(s) atrás - Denunciar




  • Relacionados