home

Teste - Specialized Stumpjumper ST Expert 2019

Andamos com a nova geração de uma das bikes mais versáteis e conhecidas do fabricante norte-americano


22 MAR, 2019     Pedro Cury     1    
     


A Stumpjumper é um dos nomes de bicicleta mais icônicos do mercado. Geração após geração, o modelo conquista o público com uma filosofia mais voltada à múltiplas funções. Em sua atual configuração, a Stumpjumper é classificada pela Specialized como uma trail bike que conta com 10 versões diferentes com uma ampla gama de preços.

Foto 70950
   Pedro Cury

No teste a seguir, você confere todos os detalhes da Specialized Stumpjumper ST Expert 2019, modelo de gama intermediária / avançada equipada com quadro de fibra de carbono e componentes SRAM GX Eagle.

Impressões Iniciais

Ao olhar para a Stump pela primeira vez, ficamos impressionados com a beleza da bike. O desenho diferenciado e assimétrico, com apenas um dos lados recebendo um reforço estrutural entre o tubo superior e o do selim, chama a atenção logo de cara, assim como a pintura toda preta com uma fina camada de verniz sobre o carbono FACT, o que permite ver a trama do material.

Foto 70942
   Pedro Cury
Foto 70949
   Pedro Cury

Quando subimos na bike, imediatamente nos sentimos em uma posição mais propícia para atacar terrenos técnicos, isso apesar de não ser uma bike de curso longo. A bike mantém a porta SWAT no tubo inferior, tecnologia que tornou-se uma das marcas registradas da última versão da Stumpjumper que você conheceu neste teste do Pedal.

Como era de se esperar em uma bicicleta com este nível de construção, os eixos receberam o padrão boost de espaçamento, o acabamento é impecável e o cabeamento é totalmente interno, com tubos de guia passando por dentro do quadro para facilitar a passagem de cabos. Segundo o fabricante, o novo desenho aumentou a rigidez da bike e reduziu em 100 gramas o peso da traseira, que ainda ganhou a capacidade de receber pneus 29 até 3.0''.

Foto 70940
   Pedro Cury

Um detalhe interessante é que a Stumpjumper deixou de usar centrais press-fit em favor de um rosqueado, sempre um ponto positivo na hora da manutenção. Além disso, a borracha de proteção do chain-stay ganhou ranhuras que prometem reduzir ainda mais os barulhos da corrente batendo.

Componentes

O pacote de componentes da Specialized Stumpjumper ST Expert 2019 é bastante convincente. Mesa com 40mm e guidão de 780mm levam a assinatura da própria marca norte-americana, assim como o excelente selim Phenon Comp.

Foto 70941
   Pedro Cury
Foto 70936
   Pedro Cury

O canote retrátil, também feito pela Specialized, é um Command Post IRcc, com 16 posições de micro ajustáveis e 160mm de curso total, trava posicionada no lado esquerdo do guidão e cabeamento interno. Para absorver os impactos, a bike conta com uma suspensão dianteira RockShox Pike RC e com um Shock traseiro RockShox Deluxe RT3 no padrão métrico, ambos com configurações feitas para trabalhar em conjunto com a bike segundo a filosofia Rx Tune da Specialized.

Ficha Técnica

Quadro: FACT 11m, full carbon, aro 29, Porta SWAT, cabeamento interno, central com rosca, espaçamento 12x148mm, 120mm de curso
Suspensão Diant.: RockShox Pike RC, DebonAir, retorno / compressão de baixa velocidade, tapered, espaçamento, 130mm de curso
Amortecedor tras.: RockShox Deluxe RT3, Rx Trail Tune, retorno e 3 níveis de compressão, 190x42.5mm
Rodas: Roval Traverse Carbon 29
Pneus Diant.: Butcher, carcaça GRID, Composto GRIPTON, 2Bliss Ready, 29x2.3"
Pneus Tras.: Purgatory, carcaça GRID, Composto GRIPTON, 2Bliss Ready, 29x2.3"
Freios: SRAM Guide R, pastilhas orgânicas, 200mm diant. 180mm tras.
Passadores: SRAM GX Eagle, trigger, 12V
Câmbio traseiro: SRAM GX Eagle, 12V
Pedivela: FC DESC 6K EAGLE / 170mm / Coroa 30 dentes
Movimento central: SRAM GXP
Cassete: SRAM GX Eagle, 12V, 10-50
Corrente: SRAM GX Eagle, 12V c/ PowerLock
Selim: Body Geometry Phenom Comp, 143mm
Canote: Command Post IRcc, 16 posições, 34.9mm, 160mm de curso
Guidão: Specialized Trail, 7050 - 8° backsweep, 6° upsweep, 27mm rise, 780mm largura, 31.8mm
Manoplas: Specialized Sip Grip
Mesa: Specialized Trail, 5mm rise
Garantia: Vitalícia para quadro, 2 anos para componentes
Preço Sugerido: R$ 38.999,00

Geometria

A Specialized anuncia a Stumpjumper como uma bike "faz tudo", capaz de andar bem em trilhas técnicas e de subir tão bem como uma bike de XC. Ao menos no papel, o fabricante parece ter feito um esforço para atingir este objetivo. A bike está longe de ter um desenho antiquado, mas seus ângulos e comprimentos também não chegam a ser super longos, baixos e relaxados. Comparada à versão anterior, ela mostra uma clara evolução.

A bike testada, no tamanho M, tem 435mm de alcance - número que não pode ser considerado curto, mas também não chega a ser super ousado. A caixa de direção com 67.5 graus também fica no meio do caminho, sendo inclusive 0,5 graus mais ereta do que na versão anterior. A traseira com 437mm pode ser considerada curta, mas existem traseiras menores. O tubo do selim, por outro lado, aposta em uma angulação bastante progressiva de 75.5 graus, garantindo a boa eficiência nas subidas.

Com um entre eixos de 1161mm e um central com 39mm de rebaixo, a Stump nos pareceu uma bike bem equilibrada, caindo bem na categoria de trail bikes com curso intermediário de 130mm na dianteira e 120mm na traseira - realmente um pacote adequado para várias situações.

Na comparação direta com a Camber, bike já testada por nossa equipe, a Stump ST ficou mais longa, baixa e relaxada, com a caixa de direção perdendo um grau de inclinação. Vale destacar que os valores acima referem-se a bike com o chip na posição "low". Na posição "High" sobe o central 6mm, deixando a caixa e o seat-tube meio grau mais em pé.

O Teste

A bike foi testada em diferentes trilhas em Petrópolis por dois pilotos bastante experientes. Pedro Cury, editor do Pedal, e Diego Knob, campeão brasileiro de Downhill e de Enduro. O teste foi realizado com o chassis na posição low e partindo de 25% de SAG, valor indicado pelo fabricante.

Foto 70951
   Pedro Cury

Descendo

Apesar de seus números e curso não indicarem, a Stumpjumper ST Expert 2019 é uma bike muito boa para descidas, opinião compartilhada por ambos os pilotos. Durante o teste, ela mostrou uma boa agilidade e fácil adaptação, com os saltos e os bunnyhops sendo pontos de destaque. Apesar do pouco curso, as suspensões mostram boa progressividade e capacidade de absorver pancadas grandes e aterrizagens.

Nas descidas mais inclinadas, a Stump é agil, estável e mostrou boa capacidade, encarando bem os trechos técnicos que caem dentro de suas limitações - ponto positivo para o guidão largo e para a mesa super curta de 40mm.

Foto 70953
   Pedro Cury

A bike apresentou boa estabilidade e equilíbrio em curvas em diferentes velocidades, embora um dos pilotos tenha relatado uma certa tendência de bater os pedais no chão em trechos de pedalada sobre obstáculos.

Subindo

Com peso total ao redor de 13Kg e uma geometria não completamente voltada para as descidas, a Stumpjumper é uma bike que sobe muito bem - certamente, o tubo do selim mais em pé ajuda bastante nesta hora. Nenhum de nossos pilotos reclamou de falta de rigidez no quadro, mas a suspensão traseira poderia oferecer uma trava mais eficiente e melhor posicionada.

Foto 70952
   Pedro Cury

Segundo um de nossos pilotos, a Stump sobe quase tão bem quanto uma bicicleta de XC, mesmo com sua pequena mesa de 40mm e do largo guidão.

Pedais Longos

A Stumpjumper é o tipo de bike que coloca o ciclista em uma posição bastante confortável para pedalar. Além disso, o projeto da suspensão garante um bom rendimento em trechos planos. Ambos fatores privilegiam as pedaladas longas, mas não necessariamente em alta velocidade - principalmente graças ao arraste um pouco alto dos pneus.

O modelo é equipado com o prático reservatório SWAT, que permite carregar ferramentas, bomba, câmara de ar e até alguns alimentos de forma bastante eficiente. Além disso, ela possui apenas um suporte de garrafinha em uma posição um pouco distante, algo que não chega a atrapalhar a proposta da bike.

Suspensão

No geral, as suspensões da ST Expert agradaram, mas o garfo RockShox Pike RC mostrou-se menos suave do que a suspensão traseira. Em um primeiro momento, ambos os pilotos sentiram uma deficiência na leitura de terreno e na absorção de pequenos impactos na dianteira da bike com a configuração recomendada pelo fabricante.

Foto 70947
   Pedro Cury

Depois de alguns pedais e de uma pequena redução de pressão, a dianteira passou a se comportar bem melhor, indicando uma grande sensibilidade da mola a ar DebonAir. Por falar em regulagens, tanto o garfo quanto o shock RockShox Deluxe RT3 possuem um pacote intermediário de opções de regulagens.

Foto 70938
   Pedro Cury
Foto 70937
   Pedro Cury

Na frente, a suspensão pode ter sua pressão ajustada, assim como a compressão de baixa velocidade e o retorno. Ela possui 51mm de offset, espiga cônica e eixo Maxle Stealth 15x110 e 130mm de curso. O Shock, por sua vez, é construído no padrão métrico e tem 190x42.5mm, controle de pressão de ar, retorno e compressão com 3 posições. Embora a última função endureça o trabalho da suspensão traseira, ela não pode ser considerada uma trava.

Freios

Os freios SRAM Guide R equipados com grandes discos de 200mm na frente e 180mm na traseira fazem um excelente trabalho na hora de ancorar a bicicleta. Até porque, ao todo são 8 pistões comprimindo pastilhas de material orgânico contra uma grande superfície de contato.

Foto 70945
   Pedro Cury

Transmissão


Nas diversas ocasiões em que testamos bicicletas equipadas com o grupo SRAM GX Eagle, saímos satisfeitos com a boa precisão e com o funcionamento relativamente silencioso do conjunto. A Stump vem equipada com um cassete 10/50 impulsionado por uma coroa de apenas 30 dentes.

Foto 70943
   Pedro Cury
Foto 70947
   Pedro Cury

Esta configuração proporciona marchas extremamente leves para as subidas, mas podem deixar a desejar em trechos de falso plano em descida ou ladeiras de velocidade mais elevada onde é preciso pedalar. Vale ressaltar que a Stumpjumper é uma bike trail e que este tipo de limitação só é realmente um problema se você estiver com pressa em um trecho de falso plano - algo que normalmente só acontece em competições de XC.

Rodas e Pneus

O conjunto rotativo da Stumpjumper agradou, principalmente graças aos aros Roval Traverse Carbon com 30mm de largura interna, dando um excelente suporte para os pneus Butcher e Purgatory, ambos com composto Gripton, carcaça Grid e tecnologia tubeless 2Bliss.

Os pneus foram utilizados com pressões relativamente baixas, girando na casa dos 22 PSI. Mesmo em terrenos esburacados, com muitas raízes e pedras, não tivemos problemas de furos ou deslocamento lateral excessivo dos pneus, muito provavelmente graças ao reforço estrutural fornecido pela carcaça Grid.

Pros

- Comportamento geral
- Eficiência de Subida
- Porta SWAT

Contras

- Pouca diferença entre os modos da suspensão traseira

Conclusão

Assim como prometido, a Stumpjumper segue sua evolução como uma bicicleta capaz de desempenhar múltiplas funções com um único objeto: levar diversão para o ciclista. Capaz de subir e de descer com grande desenvoltura, o modelo agradou pela velocidade e pela versatilidade.

Foto 70954
   Pedro Cury

Para melhorar, a suspensão poderia apresentar um sistema de travamento mais eficiente, até porque pedalar no Brasil costuma significar longas subidas sem grandes obstáculos tecnicos e até alguns trechos de deslocamento no asfalto - cenário em que travar tudo é sempre uma boa opção.

No geral, sentimos que a bike é claramente superior à sua versão anterior, corrigindo a falta de progressividade de sua suspensão traseira e evoluindo sua geometria para um padrão mais moderno de desenho.

Para saber mais, acesse a página da Stumpjumper ST Expert no site oficial da Specialized.

Pilotos:
Diego Knob - Perfil no Strava
Pedro Cury - Perfil no Strava


Comentários

  • avatar

    utR    Brasília - DF

    utR    Brasília - DF

    Show de matéria. Só ficou faltando colocar o peso da bike no texto. Esqueceram de substituir o XX.
    5 mes(es) atrás - Denunciar




  • Relacionados