home

Teste - Sense Impact Evo 2018


28 OUT, 2017     Gustavo Figuereido     4    



Com um novo quadro de alumínio 6061 batizado de SL, tubos hidroformados de tripla espessura e uma nova geometria, a Impact Evo 2018 é, segundo a Sense, a evolução da Impact Pro 2017, bike que você conheceu neste teste do Pedal.

Foto 65690
   Paulo Prezoto

No teste que você confere a seguir, esmiuçamos esta bike equipada com grupo Deore e suspensão a ar que tem o preço sugerido de R$5.490,00.

Ficha Técnica

Quadro - Alumínio SL 6061 Triple & Double butted- tratamento térmico T6, caixa tapered e freio Post Mount
Suspensão - Rock Shox 30 SOLO AIR 29" 100mm, com ajuste do rebound e trava no guidão.
Aros - Vzan Strike Disc 29"
Cubos - Shimano Deore M6000
Pneus - Vittoria Saguaro 29x2.20 talão de arame
Disco - Shimano SM-RT30, 160mm, Centerlock
Alavancas de câmbio - Shimano Deore SL-M6000 20V
Câmbio dianteiro - Shimano Deore FD-M6025, 2X10V
Câmbio traseiro - Shimano Deore Shadow RD-M6000, 10V
Pedivela - Shimano Deore M6000 26/36D, 175mm ou 170mm para bikes S
Cassete - Shimano CS-HG500-10V, 11/42D
Selim - Sense SL
Canote - Sense SL2, 31.6mm x 400mm
Guidão - Sense SL1, 31.8mm x 700mm
Manoplas - Sense com trava
Mesa - Sense SL2, 31.8mm x 90mm
Freios - Shimano Deore M-500 hidráulico
Garantia - 5 anos quadro, demais componentes de acordo com cada fabricante
Tamanhos Disponíveis - S/M/L/XL

Impressões iniciais

Com freios post mount, cabeamento parcialmente interno, caixa tapered e um bom trabalho de alisamento em todas as soldas, a Impact Evo 2018 chama a atenção pelo visual agressivo e pela bela combinação de grafismos em amarelo e pintura preta fosca.

Foto 65691
   Paulo Prezoto

O quadro ganhou mais espaço para o pneu traseiro, o que ajuda a evitar o "empacotamento" quando o terreno tem muita lama. Além disso o problema no roteamento da mangueira do freio traseiro, problema detectado por nós no teste da Impact Pro 2017, também foi resolvido.

Assim como a versão anterior, o quadro também possui 5 anos de garantia contra defeitos de fabricação.

Componentes

A bike vem montada com componentes Sense SL, com um selim que aposta na espuma fina e de boa densidade. Além disso, também temos novas manoplas de borracha com trava. O guidão tem 700mm de largura e a mesa 90mm.

Foto 65692
Canote, Selin e demais componentes levam a marca da Sense   Paulo Prezoto

A suspensão dianteira é uma Rock Shox 30 SOLO AIR com regulagem de pressão do ar e retorno, trava PopLoc no guidão, eixo de 9mm, espiga reta, 100mm de curso, hastes de 30mm e offset de 51mm.

Pesos

Realizamos uma desmontagem completa e pesagem dos principais componentes na H.Bike, oficina localizada na zona sul de São Paulo,

Foto 65693
Canote, Selin e demais componentes levam a marca da Sense   Gustavo Figueiredo

Totais
Total Divulgado: 13 Kg
Total Aferido: 13,120 Kg

Rodas
Pneus (unidade): 975g
Câmara da ar: 210g
Roda Traseira (com fita): 1195g
Roda Dianteira (com fita): 1015g
Discos: 165g
Blocagem Dianteira: 70g
Blocagem Traseira: 65g

Componentes
Canote de selim: 360g
Mesa: 140g
Selim: 305g
Guidão: 265g
Suspensão Dianteira: 2.180g
Quadro: 1.845g

Transmissão
Corrente: 255g
Cassete: 430g
Câmbio Traseiro: 325g
Câmbio Dianteiro: 135g
Pedivela: 745g
Trocadores: 130g com cabo

Geometria

Para a nova geração de quadros da linha Impact, a Sense apostou em algumas estratégias para tentar tornar a bicicleta mais ágil. Para isso, o fabricante encurtou as proporções dianteiras e traseiras, reduzindo a distância entre-eixos.

Foto 65694

O chainstay (rabeira) foi de 445 para 440 mm, com o front-center - distância entre o movimento central e o eixo dianteiro - caindo de 685 mm para 670,5 mm. Com isso, a bicicleta teve sua distância entre-eixos reduzida de 1113,1 mm para 1104 mm.

Como era de se esperar, o tubo superior também encolheu, perdendo cerca de 10 mm. A caixa de direção manteve os mesmos 69,3 graus, com o ângulo do seat tube também praticamente inalterado - 72.5 contra 73 graus no modelo atual.

O stack - altura do topo da caixa de direção em relação ao movimento central - também segue praticamente inalterado, girando na casa dos 600 mm. Vale lembrar que essas medidas são válidas para o tamanho M.

Esta salada de números quer dizer que, em alguns aspectos, a Impact Evo se aproxima de bicicletas de cross-country modernas, principalmente em sua porção dianteira. Já a traseira é um pouco mais longa seguindo o mesmo parâmetro de comparação.

O Teste

A Impact Evo 2018 foi testada em diferentes tipos de trilha, indo do estradão de terra batida ao single mais fechado, além de pistas com características de XCO. Testamos a bike em trechos mais técnicos, com muitos drops, pedras soltas, erosões e também na lama e piso molhado.

Para o teste, utilizamos a mesa na posição mais baixa possível e, no geral, a mudança de comportamento em relação a versão anterior é notável, com a Impact ganhando uma pilotagem mais viva, com agilidade extra para desviar de obstáculos e trocar de direção.

Subindo

A Impact Evo é uma bicicleta que sobe bem, seja a subida técnica ou não. A nova geometria mostrou-se mais apta a enfrentar trechos mais lentos e inclinados, com a agilidade extra facilitando as mudanças de direção mesmo quando se está "devagar quase parando".

Foto 65695
   Paulo Prezoto

Nas subidas de estradão, a bicicleta desenvolve bem, principalmente com a trava da suspensão acionada. O único ponto negativo é o guidão praticamente sem back sweep, o que acaba mantendo os cotovelos em uma posição cansativa.

Pedalando em pé e fazendo força não sentimos nenhum problema de flexibilidade e perda de potência nas rodas, quadro ou pedivela. Nas subidas explosivas e pedalando fora do selim é preciso acionar a trava para evitar movimentos excessivos da suspensão.

Descendo

Quando a trilha aponta para baixo, a Impact Evo tem o comportamento típico de uma bike de XC. Ela é ágil e não reclama em buracos e erosões. Nas descidas super inclinadas e nos drops, o encurtamento do tubo superior permite jogar o quadril para trás do banco com mais facilidade se comparado ao modelo anterior.

Foto 65696
   Paulo Prezoto

Nos singles, ela responde rapidamente aos comandos do ciclista, funcionando especialmente bem em velocidades médias. Em descidas de estradão com terreno irregular a bicicleta é arisca mas não chega a ser instável.

Provavelmente graças a combinação entre pneus largos, rodas estreitas e suspensão com hastes de 30mm, espiga reta e eixo de 9mm, a Impact Evo acaba perdendo a precisão em velocidades mais altas ou quando atacamos a trilha de maneira realmente agressiva.

No geral, porém, a bicicleta comporta-se muito bem ladeira abaixo, passando uma sensação de segurança e previsibilidade - fruto da boa geometria do quadro, mostrando que os fundamentos estão corretos.

Pedais longos

Felizmente, a Impact Evo 2018 vem equipada com dois suportes de garrafinha. Além disso, embora a geometria coloque o piloto em uma posição mais deitado sobre a bike, é possível erguer e inverter a mesa. Essa opção torna a bike mais confortável pera pedais longos, já que o tubo superior mais curto acaba colocando menos peso sobre os braços.

Como é de se esperar em uma bicicleta voltada ao desempenho, a Impact Evo não vem com furação para para lamas e bagageiro. O selim mostrou-se confortável para longas jornadas, apostando na espuma fina e de alta densidade para apoiar bem o peso nos ísquios.

Suspensão

Apesar de ser um modelo simples, a Rock Shox 30 possui um bom comportamento, com a pressão de ar e o controle de retorno sendo facilmente ajustáveis. Para obter o acerto ideal, utilizamos cerca de 25% de SAG e o retorno na segunda posição mais lenta das cinco possíveis.

Foto 65699
   Paulo Prezoto
Foto 65698
   Paulo Prezoto
Foto 65697
   Paulo Prezoto

O curso da suspensão é bem progressivo, sendo macio no início e endurecendo de forma bastante evidente da metade do curso em diante. Com isso, a leitura de terreno é bastante suave e é praticamente impossível atingir o fim de curso com uma pancada seca.

Embora estas características sejam excelentes para o conforto, a Rock Shox 30 apresenta bastante movimentação ao se pedalar em pé ou mesmo sentado despejando toda a potência. Com isso, o uso da trava mostra-se indispensável.

Além disso, a suspensão guarda outro "segredo" da Impact Evo - apesar da caixa de direção ser tapered, o garfo utiliza uma espiga reta e um adaptador. Embora isso possa contribuir um pouco para a falta de precisão em tocadas agressivas, a caixa cônica amplia muito as opções de boas suspensões para upgrade, com inúmeros modelos de altíssimo desempenho disponíveis no mercado.

Freios

Como de costume, os freios hidráulicos da Shimano não deixam a desejar. Na Impact Evo, o conjunto escolhido foi o MT500 com seus manetes para apenas um dedo com o alcance ajustável por chave allen.

Foto 65701
   Paulo Prezoto
Foto 65700
   Paulo Prezoto

Durante o teste não sentimos nenhum sinal de super aquecimento e, frenagem após frenagem, o conjunto mostrou-se consistente, com boa potência e modulação, passando a sensação geral de solidez.

Na Impact Evo, a montagem é no padrão post-mount, uma clara evolução se comparado ao modelo anterior.

Transmissão
Para carregar a potência do ciclista, a Sense optou por uma transmissão Shimano Deore M6000 de 2x10 velocidades, com coroas na combinação 26 / 36 dentes e cassete 11 / 42 - relação que agradou em cheio, com uma boa amplitude de marchas e capaz de enfrentar uma grande variedade de situações.

Foto 65702
   Paulo Prezoto

O câmbio traseiro é um Deore Shadow+ com trava, sendo as trocas dianteiras realizadas por um câmbio também Deore com abraçadeira baixa e puxada por baixo. No geral, o conjunto mostrou-se muito eficiente, com a corrente batendo no quadro somente em situações mais extremas.

A separação de apenas 10 dentes entre as coroas provou ser uma excelente combinação. Em um de nossos locais de teste, por exemplo, a relação permitiu passar pelo mesmo trecho na coroa pequena ou na grande sem cruzar demais a corrente, facilitando encontrar a marcha certa no trecho seguinte - uma subida, no caso.

O cassete tem relação 11-13-15-18-21-24-28-32-37-42 não apresenta intervalos muito grande entre os pinhões, sendo o único ponto com um "buraco" maior entre os pinhões 15 e 18. O trocador sem visor de marcha permite subir até três pinhões de uma vez no cassete, com as marchas descendo com um gatilho 2 way release.

Rodas e pneus

A Impact Evo vem com rodas que combinam cubos Deore M6000, aros Vzan Strike e pneus Vittoria Saguaro 2.2 em sua versão de arame. Pesando elevados 975g gramas por pneu, certamente trata-se de um modelo bem inferior ao Saguaro dobrável escolhido para a Impact Pro 2017.

Foto 65704
   Paulo Prezoto

Outro detalhe é a opção pelo aro Strike - embora ele seja mais leve do que o Extreme, a diferença fica em apenas 50g por unidade e o Extreme tem 19,16 mm de largura interna contra apenas 17mm do Strike. Com isso, o pneu tem menos suporte, dobra mais e exige o uso de uma pressão um pouco mais elevada, além de ficar limitado a largura máxima 2.2'' segundo recomendação da própria Vzan.

De uma forma ou de outra, o Saguaro mantém a excelente tração no seco e no molhado, além de ser resistente, rolar bem e furar muito pouco - um pneu que pode ser usado tranquilamente para treinos, deixando um par de alto desempenho para dias de corrida e pedais especiais. Neste caso, convém levar sempre um bom par de espátulas, já que o pneu é bem duro de tirar e colocar.

Pros
- Geometria
- Relação de marchas

Contras
- Pneus pesados
- Guidão com pouco back sweep

Conclusão

A Sense Impact Evo certamente é uma evolução da versão anterior, sendo uma bicicleta mais ágil e com um quadro mais leve e moderno. Sua geometria vai privilegiar o ciclista amador que gosta de treinar forte e participar de competições de XC, com o quadro com caixa cônica permitindo uma boa possibilidade de upgrades.

Foto 65703
   Paulo Prezoto

Seu pacote de componentes satisfaz, sendo a única ressalva ficando por conta do peso elevado dos pneus e pelo guidão com pouco back sweep. Vale lembrar que ciclistas pesados e muito agressivos podem se dar melhor com a Impact SL, que já vem com uma suspensão de hastes mais grossas, eixo de 15 e espiga cônica. Para quem deseja gastar menos, a Sense ainda oferece a Impact Pro 2018 que também ganhou alterações no quadro e suspensão a ar.

Para saber mais, acesse o site oficial da Sense Bike.

Piloto: Gustavo Figueiredo - Strava

Vestuário

Capacete ASW Fun 17, bretelle ASW Active RAce 18, camiseta ASW Active Cube ML 18, luvas ASW Active Fechada e meia ASW Active 17.


Fotos (20)

foto 0 -  foto 1 -  foto 2 -  Mais Fotos

Comentários

  • avatar

    Dudu   

    Dudu   

    Gostei muito desse lançamento, vai ser minha próxima magrela.
    12 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Faraway   

    Faraway   

    Roda é uma parte fundamental da bicicleta e dificilmente os fabricantes, principalmente os nacionais, capricham nesse quesito. Por melhor que seja o resto da bike, se as rodas completas forem pesadas ela vira uma carroça.

    17 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    newhouse    Embu - SP

    newhouse    Embu - SP

    A sense vem claramente trabalhando na evolução do seus quadros de alumínio, isso é ótimo. Se continuarem nesse nível, logo teremos quadros de alumínio nacionais no mesmo nível dos importados.
    19 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Fabio    São Paulo - SP

    Fabio    São Paulo - SP

    Bom ângulo na direção. Bom conjunto. Mas merecia um guidão mais largo e disco dianteiro maior e isso não mudaria o preço.
    21 dias atrás - Denunciar




  • Relacionados