home

Teste - Sense Impact Carbon Comp 2018


1 DEZ, 2017     Gustavo Figuereido     7    



A Impact Carbon Comp 2018 é uma mountain bike com foco no cross-country feita pela brasileira Sense Bike. O modelo conta com quadro em fibra de carbono exclusivo feito em parceria com a Swift Carbon, empresa Sul-Africana especialista na criação de quadros feitos com o material.

No teste a seguir, você conhece todos os detalhes de construção e pilotagem da hardtail de fibra de carbono mais barata da marca. Acima dela, a Sense ainda oferece a Impact Carbon Evo.

Foto 66091
A Impact Carbon Comp 2018   Pedro Cury

Ficha Técnica

Quadro: Carbono Toray, eixo passante de 12mm, espaçamento 142mm, post mount, tamanhos M e L.
Suspensão: Rock Shox Reba RL-R, 100mm, tapered, eixo 15mm.
Aros: Sentec 29" Comp, compatível com Tubeless, 28F.
Cubos: Sentec Comp, coma rolamentos, ultra light.
Raios: Sapim Leader, inox.
Pneus: Vittoria Mezcal, 29x2.10.
Discos: Shimano SM-RT66 160mm.
Alavancas de câmbio: SRAM NX 11V.
Câmbio traseiro: SRAM NX 1X11V.
Pedivela: SRAM NX 1x11 30D, braço de 175mm.
Movimento central: SRAM PF30.
Cassete: SRAM CS PG 1130, 11V, 11-42D.
Corrente: SRAM CN PC1110 11V.
Selim: Selle Royal MTB Lite.
Canote: FSA VDrive, 27.2mm X 400mm.
Guidão: FSA VDrive, 685 mm.
Manoplas: Sense SL com trava.
Mesa: FSA OS168, 90mm.
Conjunto de freio: Shimano M615
Garantia: 3 anos quadro, demais componentes de acordo com cada fabricante.
Peso divulgado: 10,8 Kgs*
Preço Sugerido: R$ 11.990

Impressões iniciais

A Sense Impact Carbon Comp possui uma bela pintura que combina cinza claro, preto e verde. A bike possui cabeamento totalmente interno, inclusive para a mangueira de freio no padrão post mount mas está disponível apenas nos tamanhos M e L.

Foto 65838
   Pedro Cury
Foto 65839
   Pedro Cury
Foto 65843
   Pedro Cury


O quadro é feito com um mix de fibras Toray 1000, 800 e resina com nanotubos de carbono que fornecem até 30% mais resistência - processo chamado de CNT. O movimento central é um PF 30. Além disso, o modelo foi projetado com seat stays flexíveis que proporcionam mais conforto, caixa de direção cônica e e eixo traseiro passante de 12mm com 142mm de largura (não boost).

Componentes

A bike vem com canote FSA VDrive e selim Selle Royal MTB Lite. A mesa de 90mm e o guidão de 685mm também são FSA Vdrive, montado com manoplas Sense SL com trava.

Foto 65836
   Pedro Cury
Foto 65841
   Pedro Cury

A suspensão dianteira é uma Rock Shox Reba Rock Shox Reba RL-R com 100mm, espiga 1-1/8"-1/5" Tapered e eixo de 15mm.

Pesos

Como de praxe, realizamo a pesagem completa de todos os componentes da bicicleta. Você pode conferir as imagens na galeria.

Foto 65918
   Pedro Cury

Totais

Total Divulgado:10.8kg
Total Aferido: 10.91kg

Rodas

Pneus (unidade): 620g
Câmara da ar: 240g
Fita de aro: 24g
Roda Traseira (sem fita): 1010g
Roda Dianteira (sem fita): 830g
Discos: 112g
Blocagem Dianteira: 69g
Blocagem Traseira: 74g

Componentes

Manoplas: 92g
Canote de selim: 280g
Mesa: 132g
Selim: 287g
Guidão: 215g
Suspensão Dianteira: 1.590 com trava
Quadro: 1.392g com rolamentos do central
Freios - Par completo: 595g

Transmissão

Corrente: 252g
Cassete: 521g
Câmbio Traseiro: 312g
Pedivela: 778g
Trocador: 144g

Geometria

No papel, a Sense Impact Carbon Comp é uma bicicleta de cross-country com um projeto mais tradicional. Com um tubo superior de 581mm, ela não é das mais longas, tendo um alcance de 404mm no tamanho médio.

Foto 65919

Para formar o entre-eixos de apenas 1.071mm, o fabricante aposta na curta traseira de 440mm e em um front center (distânica entre o central e o eixo dianteiro) de 639mm, com a caixa de direção angulada a 71 graus, com o ângulo de 73.3 graus para o seat-tube.
.
Embora possa parecer um projeto um pouco ultrapassado para os padrões mais modernos de caixas deitadas e frentes longas, o quadro produzido pela Swift é bastante arisco - tendendo a agradar o piloto mais tradicional de cross-country.

O Teste

Por se tratar de uma bicicleta de altíssimo rendimento indicada para ciclistas profissionais ou competitivos, pedimos a ajuda do piloto Igor Ramon para a realização do teste. Natural do Rio de Janeiro, Igor coleciona títulos estaduais de XCO e XCM, tendo vencido o Rockyman, o Lagos Cup e o Paracambike, dentre outras conquistas.

No geral, a bicicleta agradou bastante, principalmente pela excelente responsividade e acelerações positivas, com a única ressalva ficando por conta de terrenos extremamente técnicos.

Subindo

Em subidas de estradão ou asfalto, sentimos a Sense bastante rígida pedalando em pé ou sentado, e em nenhum momento sentimos a potência sendo desperdiçada. Já nos trechos mais técnicos e soltos, a tração foi bem eficiente - ponto positivo para os pneus Vittoria Mezcal.

Foto 65847
   Pedro Cury

A geometria "esperta" agradou em cheio, principalmente nos trechos de maior dificuldade. Trata-se de uma bicicleta bastante capaz encarar ascensões bastante complicadas, principalmente graças a velocidade da dianteira. No geral, a Sense Impact Carbon Comp sobe como uma hardtail de carbono voltada ao XC deve subir - de forma rápida e sem perda de tempo.

Descendo

Em descidas de baixa e média velocidade e dificuldade técnica, a Sense Impact Carbon Comp comporta-se extremamente bem. No single, nosso piloto relatou muita agilidade e facilidade nas curvas e mudanças de direção. Isso, aliado a boa responsividade, cria aquele cenário que faz você querer acelerar cada vez mais.

Foto 65848
   Pedro Cury

Porém, em terrenos muito inclinados, nos drops grandes e sobre as raízes, a bicicleta mostra-se um pouco limitada, assim como em velocidades super elevadas - nestes casos, existe uma sensação de instabilidade - provavelmente fruto da geometria mais tradicional aliada ao guidão de apenas 685mm.

Nas raízes, por exemplo, sentimos a necessidade de reduzir um pouco a velocidade para evitar perder o controle. Além disso, ela tende a desacelerar um pouco ao bater a roda da frente em obstáculos mais altos.

Pedais Longos

Apesar de ter uma proposta extremamente competitiva, a Impact Carbon Comp é uma bicicleta muito confortável - dentro das limitações de uma hardtail, é claro.

Isso quer dizer que, apesar de ser bem rígida, o modelo não sacrifica o piloto - um ponto importante em pedais e provas longas. Esse efeito também deve ter forte influência do projeto bem acertado do quadro que utiliza seat-stays mais finos, aumentando assim sua flexibilidade.

Suspensão

A Rock Shox Reba é um modelo bastante consagrado, com um comportamento bem evoluído e que satisfaz muito. A suspensão encaixa-se bem na configuração da bicicleta, funcionando de forma bastante harmoniosa com o conjunto.

Foto 65837
   Pedro Cury

O modelo vem equipado com trava remota OneLoc que possui um acionamento muito simples, permitindo travar totalmente os movimentos da suspensão. Durante o teste, o chassis comportou-se bem, sem sinais de flexibilidade exagerada e com um bom controle do curso.

As opções de regulagens são básicas, porém eficientes. Ao todo, ela conta com regulagem de pressão do ar e de retorno. Internamente, ainda é possível o controle do volume da câmara de ar para alterar a progressividade de funcionamento com os bottomless tokens.

Freios

Os freios Shimano Deore M615 possuem uma excelente modulação e a fama de terem baixíssima manutenção. O manete tem uma pegada bem agradável, com uma sensação de solides e praticamente livre daquela sensação "borrachuda".

Foto 65842
   Pedro Cury

Montado com discos de apenas 160mm, o modelo nos pareceu pecar um pouco no quesito potência, principalmente quando o terreno é muito inclinado e em derrapagens para corrigir a trajetória. Todavia, em nenhum momento sentimos fadiga no conjunto.

Transmissão


O SRAM NX de 11 velocidades não é um grupo topo de linha, mas seu funcionamento durante o teste foi preciso e eficiente. Para ciclistas bem treinados, o cassete 11-42 mostrou-se suficiente nas subidas, mas a coroa de apenas 30 dentes mostrou-se limitado em altas velocidades - uma coroa de 32 dentes talvez fosse mais adequada para este tipo de ciclista.

Foto 65834
   Pedro Cury
Foto 65833
   Pedro Cury

Rodas e Pneus

Com apenas 620g gramas cada os pneus Vittoria Mezcal 2.1 são excelentes, proporcionando bastante tração nas subidas e uma baixa resistência a rolagem. As rodas, por outro lado, mostraram um pouco de fragilidade - ao final de alguns pedais, foi preciso reapertar a raiação.

Foto 65845
   Pedro Cury

Somando as rodas traseira e dianteira juntas pesaram 1.830g. Os modelos vem da própria Sense e são as Sentec Comp 29, que vem equipadas com raios Sapim e comparatibilidade para montagem sem câmara - um fato bastante bem-vindo é a largura interna do aro com 23mm.

Pros

- Quadro Exclusivo
- Agilidade em baixa velocidade

Contras

- Guidão de 685mm
- Instabilidade em terrenos agressivos

Conclusão

A Sense Impact Carbon Comp é uma bicicleta de cross-country bastante eficiente, com uma configuração que se encaixa bem nas características das provas nacionais de XCO e XCM. A bicicleta se destaca pela grande agilidade. Porém, em terrenos muito agressivos, sua maior força também é sua principal fraqueza, já que ela tende a ser instável em trechos muito velozes ou terrenos muito casca-grossa.

Foto 65846
   Pedro Cury

Para saber mais, acesse o site oficial da Sense ou a página oficial da Sense Impact Carbon Comp 2018.

Piloto: Igor Ramon - Perfil no Strava


Fotos (23)

foto 0 -  foto 1 -  foto 2 -  Mais Fotos

Comentários

  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    A bike é linda mesmo, George. Mais ainda ao vivo.
    12 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Preço Sugerido: R' 11.990
    12 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    George pessoa   

    George pessoa   

    Tenho grande interesse nessa linda bike
    13 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Rodnei dos santos    

    Rodnei dos santos    

    Qual o valor desta bike ?
    13 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Marcelo   

    Marcelo   

    Qual mesa vc sugere Fabio?? Att
    13 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Fabio    São Paulo - SP

    Fabio    São Paulo - SP

    Gostei da iniciativa de divulgarem a origem do quadro. Mas em pleno 2017 não dá para aceitar bike com mesa de 90mm, guidao menor que 720mm e disco dianteiro de 160mm.
    15 dias atrás - Denunciar




  • Relacionados