MENU

Teste - Scott Addict RC 30 2020

Confira como anda a nova estradeira com espirito de competidor de grandes voltas da Scott

A RC 30 é o modelo mais básico da linha Scott Addict RC 2020 que você conheceu nesta matéria do Pedal. Porém, com um pacote bem avançado de componentes e tecnologias extremamente recentes, a última coisa que podemos afirmar é que a RC 30 é uma bike "básica".

Foto 74018
    Paulo Prezoto

O modelo é construído ao redor de um quadro de fibra de carbono extremamente moderno, com um projeto que une desempenho, baixo peso, conforto e aerodinâmica. O pacote de componentes não deixa nada a desejar, sendo composto quase que integralmente pela linha Shimano Ultegra R8000 com freios hidráulicos. No teste a seguir, você confere todos os detalhes desta estradeira com atributos de "all-arounder", mas com forte predileção pelas escaladas.

Ficha Técnica

Quadro: Addict RC Disc HMX / Geometria Road Race / Cabeamento interno
Garfo: Addict HMX Flatmount Disc / espica cônica excêntrica 1 ¼” – 1 ½”
Caixa de direção: Syncros Addict RC Integrada
Câmbio traseiro: Shimano Ultegra RD-R8000-SS 22 velocidades
Câmbio dianteiro: Shimano Ultegra FD-R8000
Trocadores: Shimano Ultegra ST-R8020 Carbono / Dual control 22 velocidades
Freios: Shimano BR-R8070 com rotores de 160mm
Pedivela: Shimano Ultegra FC-R8000 Hollowtech II 52x36 D
Central: Shimano SM-BB71-41B
Guidão: Syncros Creston 2.0 Compact Alloy 31.8mm
Mesa: Syncros RR iC 1 1/4"
Canote: Syncros Duncan 1.0 Aero
Selim: Syncros Belcarra Regular 2.0
Rodas: Syncros RP2.0 Disc 28 furos / Syncros thru-axle plug-in
Corrente: Shimano CN-HG601-11
Cassete: Shimano CS-R7000 11-30
Pneus: Schwalbe ONE Race-Guard Fold 700x28C
Peso divulgado: 7.95Kg
Preço sugerido: R$ 26.999,90

Impressões Iniciais

Nosso primeiro contato com a Scott Addict RC 30 2020 aconteceu na Allsports Store, loja representante da Scott localizada na Zona Sul de São Paulo. A bike estava montada e passando pelos últimos ajustes e, logo de cara, ficamos impressionados com a beleza da pintura. O modelo em questão aposta em uma cor azul muito bonita e com um brilho especial, mas com uma faixa fosca na parte superior do top tube. Ela consegue - não me perguntem como - ser sóbria e chamativa ao mesmo tempo. Somado ao visual super limpo criado pelo cabeamento totalmente interno e a beleza dos componentes Shimano, o modelo transpira uma esportividade requintada, algo fortalecido pela presença dos pneus com faixa creme e do selim em um tom bem semelhante.


De cara, também notamos diversos detalhes de construção que, ao menos em teoria, melhoram bastante a aerodinâmica do modelo. Isso quer dizer que, mesmo tendo sido criada com escaladores em mente, a linha Addict RC 2020 da Scott possui detalhes como o já citado cabeamento totalmente interno e outros, como o canote em seção retangular, os seat-stays rebaixados e o formato dos tubos inspirados nos desenhos das bikes 100% aero da Scott - o central de enormes proporções deixa claro a intensão da Scott em criar uma bike bem rígida.


Além disso, outro detalhe que chamou a atenção um pouco mais tarde foi a construção do garfo e da traseira com tubos totalmente ocos - algo bem diferente do que encontramos normalmente e que pode ser facilmente percebido quando observamos a bike por trás ou desmontamos o eixo ou o câmbio traseiro com montagem direta. No garfo, uma capinha magnética cobre os parafusos da pinça. A princípio, achamos que a solução poderia ser problemática, mas ao longo do teste a tampinha não caiu acidentalmente em nenhuma situação.


Para nosso piloto de testes, o visual da bike beira a perfeição e, ao longo do tempo que passamos com a bike, muitas pessoas diferentes ressaltaram sua beleza. Alguns, porém, questionaram os pneus e o selim com o seguinte argumento: "Ok, o pneu combina com o selim, mas quando eles acabarem e você colocar um pneu normal, o selim vai ficar sobrando" - algo que tivemos que concordar.


O modelo é construído com fibras de carbono Scott HMX, o segundo mais avançado da Scott. Para saber mais detalhes, confira esta matéria com as principais Tecnologias de produção dos quadros de carbono da Scott.

Componentes

Como citamos acima, a bike vem quase toda montada com um grupo Shimano Ultegra R8000 de 22 velocidades com freios hidráulicos, com os cubos Syncros com eixo passante sendo uma das únicas exceções. No cockpit, a Scott apostou nas tecnologias desenvolvidas pela Syncros, marca de componentes que você conheceu neste artigo do Pedal. O pacote conta com um guidão de carbono Syncros Creston 2.0, mesa de alumínio Syncros RR iC e canote de carbono Syncros Duncan 1.0 Aero preso por uma levíssima abraçadeira com tecnologia proprietária da Scott. Para sentar, a marca apostou no selim Syncros Belcarra 2.0.


A rodagem fica a cargo de rodas Syncros RP2.0 com cubos também da Syncros calçando pneus Schwalbe ONE Race-Guard de 28mm e os discos Shimano com tecnologia Ice-Tech são montados no padrão center lock. Fechando o pacote, temos um conjunto de direção Syncros Addict RC integrado e um movimento central Shimano no padrão press-fit.

Pesos, desmontagem e montagem

A bicicleta foi praticamente toda desmontada na oficina especializada H.Bike, localizada na Zona Sul de São Paulo. O quadro foi pesado apenas com o movimento central e, para evitar processos muito complexos, o guidão não foi desmontado.

Foto 74061

O processo de desmontagem da bike foi bem simples, com o mesmo não podendo ser dito da remontagem. Como era de se esperar, a frente integrada adiciona uma boa camada de complexidade na manutenção da bike. O conjunto é bem complicado, apostando em um garfo com espiga cônica com um Sistema com Design Excêntrico recentemente patenteado pela Scott que deixa a espiga levemente inclinada dentro do head-tube, com os cabos passando por dentro da mesa, do rolamento superior, por uma série de espaçadores bi-partidos e selamentos. Certamente, o modelo exige um bom ferramental e mecânicos experientes.

Totais

Total Divulgado: 7.95Kg
Total Aferido: 7.80Kg

Rodas

Roda traseira com fita de aro: 929g
Roda dianteira com fita de aro: 789g
Eixo dianteiro: 33g
Eixo traseiro: 63g
Pneus: 284 / 274g
Disco 160: 130g
Câmara: 92g

Componentes

Quadro com central: 999g
Mesa com guidão, trocadores e cabos:1255g
Garfo: 382g
Selim: 245g
Pinça de freio: 156g / 141g
Caixa:
Canote: 139g
Abraçadeira canote 7g

Transmissão

Cassete: 291g
Pedivela: 682g
Câmbio traseiro: 180g
Câmbio dianteiro: 89g
Corrente: 245g

Geometria

Segundo a Scott, a geometria da nova família Addict RC foi criada para acomodar pneus modernos, que estão ficando maiores e mais largos a cada dia. Por isso, além de abrir espaço na traseira e no garfo para os pneus, os engenheiros da Scott ainda rebaixaram o movimento central e encurtaram a caixa de direção, mantendo assim a agilidade da bike.

Foto 74060

Foto 74059


Quando comparada com outras bikes desta categoria, a Addict RC é bem "no meio do caminho". Isso quer dizer que, apesar de ser uma bike de desempenho com a frente baixa e longa, ela não te deixa nem super baixo e nem super esticado. No geral, a posição de pedalada agradou bastante, unindo conforto e desempenho com uma precisão raramente encontrada em outras bikes. Ao menos para nosso piloto de testes, ela serviu como uma luva.

O Teste

A bike foi testada ao longo de quase dois meses em pedais que desenhamos para avaliar suas habilidades. Neste período, fizemos treinos longos e curtos, além de colocar a Addict RC 30 em subidas e descidas de diversos tipos e inclinações, passando por curvas, retas e também por trechos planos de alta velocidade. Avaliações de aceleração e sprints também fizeram parte do cardápio.

No geral, o modelo impressionou pela habilidade de desempenhar bem em diferentes situações, com a eficiência na transmissão de potencia um de seus maiores destaques. Trata-se de uma bike bem resolvida e que claramente foi criada para ciclistas que gostam de acelerar. Não é a toa que bikes da mesma família são utilizadas pelos ciclistas da Mitchelton-Scott, inclusive por Simon Yates em suas vitórias de etapa no último Tour de France.

Descendo

Ladeira abaixo, independente da velocidade, a Addict RC 30 passa bastante confidência, principalmente pela solidez de seu quadro e da geometria bem acertada. Em uma das descidas utilizadas no teste, passamos por um trecho de altíssima velocidade, com rachaduras e estufamentos no asfalto, na posição "aero-tuck". Nesta situação, a bike mostrou-se firme e previsível, sem a menor tendência de apresentar comportamentos estranhos.

Foto 74013
    Paulo Prezoto

Como era de se esperar, os freios são capazes de segurar a bike com potência e modulação de sobra, independente da condição climática. Em nosso primeiro pedal com a Addcit RC, eles foram avaliados em um dia chuvoso nas curvas do Pico do Jaraguá. Lá, a presença de muitas árvores da mata atlântica deixa o asfalto sujo e melecado com folhas, frutas e sementes que caem das árvores - situação mais do que "ideal" para avaliar a modulação dos freios.

Nas curvas de diferentes raios, o modelo mantém essa previsibilidade, realizando contornos de maneira bastante neutra e tranquila. Mesmo forçando a barra entradas de curvas com movimentos bruscos, não sentimos nenhuma flexão, com a frente indo sem dramas para onde o guidão aponta.

Porém, apesar de ser totalmente competente nas descidas, a Addict RC não é uma bike super empolgante nesta condição. Exemplificando: digamos que você esteja se aproximando de uma curva. Você sabe que ela é absolutamente capaz de frear no último instante e fazer o contorno no limite, mas por algum motivo você não se sente necessariamente compelido a fazer isso.

Subindo

As subidas, principalmente as mais longas e as montanhas, são o terreno favorito da Scott Addict RC 30, e essa impressão ficou bem clara em pedais envolvendo ladeiras médias e longas, com inclinações maiores. Nosso piloto de testes, que normalmente prefere pedalar sentado e girando, se pegou pedalando em pé muito mais do que de costume. Isso porque, nas subidas, a bike gosta de ser acelerada, com sua traseira transmitindo com muita eficiência cada um dos watts gerados pelo ciclista.

Foto 74014
    Paulo Prezoto

O modelo pesa 7.8kg, que é uma marca competitiva para bikes na sua faixa de preço. Mais do que ser leve e transmitir bem a potência, ela também tem uma posição perfeita para pedalar fora do selim - a bike não é nem curta nem longa, nem alta nem baixa - ela simplesmente ficou na medida, ao menos para nosso piloto.

Toda essa eficiência nas ladeiras, combinada com uma relação formada por uma pedivela mid compact (52 / 36) e um cassete 11 / 30 provaram ser uma formula muito boa para quem realmente gosta de escaladas e subidas de todos os tipos - se faltar marcha na subida, simplesmente fique em pé e confie na eficiência da bike.

Acelerações

Embora nosso piloto de testes não seja um velocista nato, a eficiência da Addict RC 30 nas arrancadas e acelerações é impressionante, com um destaque muito positivo para o comportamento do conjunto nas subidas roladas. Nesta situação, é possível sentir a bike pulando para frente cada vez que se empurra o pedal para baixo, o que permite manter a velocidade com facilidade quando o terreno muda de declive para aclive. O modelo mostrou-se ideal naquele tipo de estrada "montanha russa", em que é preciso manter a velocidade ao longo de um constante sobe e desce.

Foto 74019
    Paulo Prezoto

Pedais longos

A geometria da Scott Addict RC 30 coloca o ciclista em uma posição agressiva, mas confortável para longas distâncias. O selim Syncros Belcarra 2.0 tem um formato que agradou, com uma espuma de alta densidade que realmente mantém os ísquios bem apoiados. Com isso, apenas uma pequena parte do peso é suportada por áreas mais macias da anatomia humana, o que permite manter uma posição aerodinâmica por períodos maiores. Se você gosta e está acostumado com selins mais duros, trata-se de um modelo bem interessante.

Foto 74017
    Paulo Prezoto

Equipada com pneus de 28mm e com um quadro com uma "zona de conforto" na parte superior, a Addict RC 30 filtra bem as irregularidades do terreno, mas está longe de ser uma bike para touring. Isso quer dizer que, apesar de não ser desconfortável, ela tem uma tocada mais "durinha", mais ou menos como um carro esportivo seria.

Porém, aqui fica nossa única ressalva efetiva sobre a bike: o formato oval dos "flats" do guidão. No papel, a proposta pode parecer interessante e, a bem da verdade, se você encaixar a mão por trás do guidão em uma postura mais agressiva, ele funciona muito bem. Porém, quando você coloca as mãos por cima dos flats, é impossível não notar que algo não está encaixando bem, o que inevitavelmente vai acabar levando suas mãos de volta para os trocadores.

Freios

Fortes, bonitos, duráveis e precisos, os freios hidráulicos Shimano Ultegra que equipam a Addcit RC 30 funcionaram com perfeição ao longo do teste. Como já citamos acima, eles possuem uma boa modulação, o que permitiu frenagens seguras mesmo no piso molhado. Diferente de muitas bikes de estrada, a Scott veio com dois discos de 160mm que, assim como as pastilhas, contam com a tecnologia Ice-Tech que promete mais resistência ao calor e durabilidade - a montagem das pinças é feita no padrão flat mount.


O modelo ainda aposta em um manete com regulagem de alcance, que pode ser feita por um parafuso abaixo do trocador, e acionamento com servo-wave, que aproxima as pastilhas do disco mais rapidamente na primeira parte do curso do manete. Durante as frenagens, os manetes tem um engate rápido e sólido, proporcionando um bom controle sobre o sistema.

Transmissão

O Ultegra R8000 é o segundo grupo mecânico mais avançado da Shimano e, como era de se esperar, desempenha como tal. Suas trocas são sempre precisas e eficientes, com aquela sensação macia, mas com cliques precisos e bem pronunciados. O formato do trocador, como já dissemos em outros testes, é meio quadradão por conta do sistema hidráulico, mas apesar disso a ergonomia é muito boa.


O câmbio traseiro com desenho Shadow é extremamente bonito, com a haste da fixação direta dando um charme especial bem high-tech para a traseira da bike. O câmbio dianteiro também está muito bonito e eficiente, dispensando inclusive o dial de ajuste para regular a tensão do cabo. Ambos são capazes de trocar para cima e para baixo sem engasgos, mesmo quando estamos fazendo força nos pedais. Nas trocas, o curso do manete é curto, significando que você não precisa de muito movimento para realizar as trocas como nas linhas mais simples da Shimano.


Rodas e pneus

Com um peso total de 1718g, as rodas da Scott Addict RC 30 não chegam a ser pesadas, mas estão longe de serem leves. Elas são construídas ao redor de cubos Syncros de 28 furos, com aros de alumínio também Syncros. Os eixos são passantes de 12mm tanto na frente quanto atrás, com o traseiro possuindo uma alavanca integrada - o dianteiro precisa de uma chave allen para ser retirado.

Foto 74033

Trata-se de um conjunto robusto que certamente funcionara perfeitamente para treinos. Porém, caso seu objetivo seja obter desempenho o máximo em competições, talvez elas mereçam uma substituição.

Foto 74044

Um detalhe bem legal é que fita de aro, pneu e aro são preparados para montagens tubeless, bastando adicionar uma válvula e o selante para rodar sem câmara - algo que seria bem legal, já que os pneus Schwalbe ONE Race-Guard entram bem apertados. Rodando com câmara, tivemos alguns furos, mas todos eles foram causados por "araminhos de pneu de caminhão" - a bem da verdade, ainda estamos para ver um pneu de estrada com bom desempenho que suporte esta "moléstia" que atormenta tantos acostamentos de rodovias brasileiras.

Pros

- Anda bem em todos os terrenos

Contras

- Rodas não são leves

Conclusão

A Scott Addict RC 30 é uma excelente bicicleta para terrenos e situações variadas de estrada. Mesmo que seu melhor desempenho seja nas subidas, ela faz todo o resto com enorme competência e não é nem um pouco difícil de imaginar um modelo semelhante sendo utilizado para vencer as principais competições de bike do mundo como o Tour, o Giro e até mesmo o importantíssimo campeonato de quem chega primeiro na loja de conveniência para tomar um café.

Foto 74105
    Paulo Prezoto

Como era de se esperar de qualquer produto da Scott, o nível de acabamento, a tecnologia e a atenção aos detalhes é impressionante, mesmo que isso seja acompanhado de uma complexidade mecânica. Quando falamos em preço e em peso, a bike mantem-se competitiva com outros modelos importados da mesma gama, mas assim como outras bikes da Scott, percebemos que a Addict RC 30 tem um espírito diferenciado que pode ser sentido ao pedalar.

Piloto e avaliador: Gustavo Figueiredo - Strava

Vestuário: Sapatilha Bontrager Velocis, capacete Scott Centric Plus.

Para saber mais sobre a bike, acesse a página da Addict RC 30 no site da Scott.