Teste - Luzes Specialized Stix Sport Combo


29 OUT, 2015     Gustavo Figuereido    



Encontrar um bom sistema de iluminação para sua bicicleta depende de diversos fatores. O primeiro passo é saber se as luzes servirão para iluminar o caminho ou para mostrar sua presença na via. Depois, temos que pensar em praticidade, peso, resistência aos elementos e, como não poderia deixar de ser, a estética do equipamento. Dessa vez testamos as luzes Stix Sport Combo da Specialized, composta pelo parte dianteira de luz branca e a traseira de luz vermelha.

Principais características

Segundo a Specialized, o kit oferece 70 lumens de potência na frente e 14 atrás, mantendo você seguro quando escurece.

Os suportes das luzes são presos com abraçadeiras próprias de borracha elástica, permitindo muita facilidade para prender e tirar no guidão ou no canote. Essa facilidade é muito importante para quem deixa a bike presa na rua e precisa tirar os acessórios para que não sejam roubados. As luzes são presas aos suportes pelo pino de USB e cobertas por uma capa de borracha que protege os contatos e ainda funciona como trava.

imagem
Abraçadeiras elásticas são simples e práticas


Para carregar, basta plugar o farol ou a lanterna em uma porta USB energizada. Segundo o fabricante, a bateria pode durar até 14 horas na frente e 18 na traseira, dependendo do moto de utilização selecionado.

Modos de funcionamento

Tanto a luz dianteira como a traseira possuem seis modos de funcionamento. Embora seja muito legal ter diferentes opções, poderiam acabar dificultando a tarefa de ligar e desligar o sistema.

Porém, a Specialized adicionou um item bem bacana: ao escolher um modo e segurar o botão, o sistema desliga e ao religar, o modo selecionado naquele momento será acessado automaticamente. Com isso, fica mais fácil utilizar sua função favorita.

Outro "segredinho" do Specialized Stix é o indicador de carga. Cada vez que o sistema é desligado, as luzes se acendem com padrões diferentes para mostrar quanta bateria ainda resta. Porém, não ficou claro no manual como esses códigos funcionam. Perguntando a marca, esclareceram que se acender continuamente é que a carga está acima de 50% e se piscar apenas um dos leds, está abaixo de 50%.

Modos de funcionamento - Igual no dianteiro e no traseiro



Ficha Tecnica

Potência dianteira: 37 a 70 lumens
Tempo de trabalho dianteira: 1,5 a 14 horas
Potência traseira: 7 a 14 lumens
Tempo de trabalho traseira: 2,8 a 18 horas
Indicador de bateria: 4 estágios
Modos de trabalho: Steady High, Steady Low, Power Surge, Power Flash, Disco Flash e Eco Flash
Carregador: porta USB

imagem
O acabamento é de alta qualidade


O Teste

Para testar o Stix, utilizamos o equipamento durante a noite e durante o dia. A noite, além de montar as luzes em outra bicicleta para observar sua potência, ainda rodamos por lugares com pouca iluminação pública em uma tentativa de verificar a capacidade de iluminação do equipamento. Em uma das situações, usamos na escuridão total, no asfalto, sem qualquer iluminação.

Em nosso teste, a luz dianteira totalmente carregada demorou 8 horas para descarregar completamente no modo 4, que pisca as duas luzes ao mesmo tempo. Curiosamente, a luz traseira aguentou apenas alguns minutos a mais antes de parar.

Para quem está acostumado com modelos que utilizam pilhas, a durabilidade das baterias não é muito grande e o conjunto perde potência mais rápido. Além disso, ele para de funcionar de uma hora para a outra, diferente de alguns modelos com pilhas que vão ficando cada vez mais fracos antes de finalmente apagarem. Porém, como o processo de carregar é simples, basta lembrar-se de realiza-lo com maior frequência.

imagem
Para carregar, basta plugar em uma porta USB


O encaixe no suporte é simples, rápido e seguro


Construção

Ao manusear a Specialized Stix, é fácil perceber que trata-se de um componente bem construído. A textura emborrachada é agradável ao toque e parece ser bastante resistente. Durante o teste, coloquei a lampada dentro do bolso da camisa junto com a chave de casa (uma situação completamente plausível), e ele saiu sem nenhum arranhão.

imagem
Conjunto é robusto e resistente à arranhões


Também passei a ponta da chave na lateral e na lente e ambas resistiram sem apresentar riscos. Além disso, a estrutura de plástico emborrachado foi fundida sobre os componentes eletrônicos, criando um visual bastante limpo e praticamente impenetrável pela água. Isso também quer dizer que, em caso de danos, dificilmente a unidade poderá ser reparada.

Luz traseira

Assim como a luz dianteira, a traseira também possui 6 modos de trabalho e oferece excelente visibilidade. Neste caso, a lente de grande ângulo torna-se ainda mais eficiente, já que a lâmpada traseira é colocada na vertical se montada no canote.

Porém, como a abraçadeira de borracha não possui nenhum tipo de regulagem, é impossível mudar o ângulo da lanterna para compensar a inclinação do canote. Todavia, quando o conjunto é montado isso não parece prejudicar a excelente visibilidade.

imagem
Conjunto oferece boa visibilidade mesmo de lado


Luz dianteira

Ao ligar o pequeno componente, a primeira coisa que se percebe é a sua excelente potência, apesar do baixo peso e tamanho. Outro ponto que merece destaque é a lente com grande ângulo de dispersão. Com isso, é possível ver a luz mesmo de lado, definitivamente algo positivo no trânsito.

A luz dianteira pode ser colocada imediatamente à frente da mesa, deixando o visual da bike muito clean. A Specialized parece ter calculado o encaixe do sistema milimetricamente, deixando a bike com uma aparência de "essa lâmpada nasceu aí". Inclusive, ao entrar em uma bicicletária com a luz ligada, um mecânico olhou de longe e perguntou se era a mesa que estava piscando. Pessoas vieram me perguntar sobre as luzes em mais de uma ocasião, sempre elogiando o desenho das peças.

Porém, se estiver pensando em usar a luz como um farol, não se empolgue - ele até quebra um galho em um local totalmente escuro, mas está longe de ser o suficiente para servir como única fonte de luz para o ciclista, seja no asfalto ou na terra.

Conclusão

O Specialized Stix é um excelente sinalizador, graças ao grande ângulo de visão que proporciona. Além disso, o baixo peso e a facilidade de carregar por USB são pontos bastante positivos. Também não podemos esquecer de mencionar o visual bem resolvido.

imagem
O Stix pode ficar bem no meio da mesa, deixando o visual limpo


A única ressalva fica por conta da durabilidade da bateria. É importante lembrar-se de carregar o equipamento antes de sair de casa. A parte boa é que, mesmo com uma carga rápida de 10 minutos, conseguimos rodar por mais de duas horas sem que elas parassem de funcionar - mais do que o suficiente para um treino rápido ou para voltar do trabalho para casa a noite.

Também vale lembrar que o Stix não é um sistema de iluminação, mas em condição de escuridão extrema é melhor do que nada. Onde o sistema realmente se destaca, é no uso urbano como sinalizador.

Pontos positivos

- Luz forte faz o ciclista se notado de dia e de noite
- Recarrega por USB
- Instalação fácil e diversas possibilidades de montagem

Pontos negativos

- Bateria precisa ser carregada com frequência
- Não tem potência suficiente para funcionar como farol

Site internacional:specialized.com
Site nacional: specialized.com.br

Piloto de teste:
Gustavo Pacheco e Pedro Cury


Comentários





Relacionados