Specialized Turbo Levo 2016 - Primeiras impressões


17 MAR, 2016     Pedro Cury    



A Specialized lançou esse ano sua primeira mountain bike de pedal assistido por motor elétrico, a Levo Turbo, que você pode ver aqui. Tivemos a grande oportunidade de testar em primeira mão essa maquina que traz tanta polêmica.

Bicicletas Elétricas - Agora perdeu a graça ?

A história se repete... bicicletas elétricas são sempre vistas com muito preconceito, principalmente por pilotos mais experientes. Os argumentos são sempre bem parecidos: "É trapaça", "Agora perdeu a graça", "se não tiver esforço na conquista, não vale". Porém, ao pedalar uma bike dessas seus conceitos mudam bastante.

imagem
Pedro Cury testa a Turbo Levo. Foto: Luiza Zanini

A bike elétrica não é uma moto, nem veio para substituir a bike tradicional. No caso da pedalada assistida, não existe um acelerador, ela apenas te ajuda quando você está pedalando. E ainda assim, existe um limite de 27 km/h, isto é, quando a velocidade é superior, o motor não entra em funcionamento. Isso significa que em muitas situações no plano e na maioria das descidas, o motor não vai te ajudar em nada.

As subidas não são sem esforço... é preciso pedalar! Pedalando na marcha mais leve, sentado, é possível, lentamente, ultrapassar muitos obstáculos. Porém, se você quiser mais velocidade (e diversão) vai ter que pedalar mais forte e isso cansa de qualquer maneira! Então, imagine que a bicicleta pode cansar como uma bicicleta normal, com a diferença de que você vai andar muito mais rápido!

Essas características trazem uma série de possibilidades:
- Em um rolé que você faria 5 voltas em um circuito, você pode fazer muito mais, no mesmo tempo.
- Um percurso que você precisaria de algumas horas para completar, pode ser feito muito mais rápido. E isso pode ser a diferença entre pedalar nesse circuito ou em um mais curto.
- Para os que não gostam de subir, mas gostam de descer, a bike torna isso possível, pois desce muito bem. Isso também ajuda quem está focado em treinar só técnicas de descida. Teve quem chamasse de "bicicleta de downhill com resgate embutido" .
- Atletas voltando de lesões ou que já estão com idade mais avançada podem fazer circuitos muito mais difíceis.
- Iniciantes no esporte que vivem em lugares apenas com subidas duras, podem iniciar de uma maneira muito mais motivante.

Veja também o que o campeão mundial Ned Overend tem a dizer sobre bicicletas elétricas.

Enfim, são diversas possibilidades! Mas e o desempenho como bike ? Veja nossas primeiras impressões abaixo!

Primeiras impressões - Pedro Cury

"Tive a chance de andar na Levo por algumas horas e em trilhas que estou acostumado a fazer com a bike normal. A bike é basicamente uma Stumpjumper FSR, mas com o motor que te ajuda ao pedalar.

A primeira coisa que impressionou, foi que pude pedalar por uma trilha inclinada, que costumava empurrar boa parte para chegar na descida. Não só consegui pedalar, como pedalei muitas vezes! Acabou aquela coisa de voltar só uma parte para fazer fazer um segmento divertido, ao invés da trilha toda. Não tem motivos para não subir e fazer todo o percurso!

imagem
Pedro Cury testa a Turbo Levo. Foto: Luiza Zanini


Em trilhas mais longas de estradão, as subidas não só passaram a ser fáceis, como ficaram divertidas! As trilhas mudam totalmente! Pode-se escolher a linha difícil propositalmente por exemplo.

A bike também impressionou nas descidas. A primeira impressão que tive foi que seria "engessada" pelo seu peso, sem jogo. Mas uma vez que se pega o jeito, ela não perde tanto para uma bike normal. Apesar de não ter comparado os tempos, acredito que desci próximo do que na bike normal, em trilhas que quase não se pedala.

Em termos de pilotagem, atropelei as pedras da mesma forma e inclinei a bike nas curvas também da mesma maneira que faço com uma bike normal. Uma ajuda que tive do motor, foi em um salto que eu não tinha velocidade o suficiente e pedalei um pouco antes para ganhar um gás extra. Saltando ela é bem equilibrada, o peso é muito concentrado no motor, que fica ao redor do pedivela, um ponto central. Me surpreendeu. Ainda assim, para descer agressivamente, ainda prefiro uma bike normal e mais leve.

A bike é obviamente bem mais pesada. Onde mais se sente é quando você precisa desmontar para empurrar em alguma subida. Não é nada do outro mundo, mas se for preciso carregar a bike para chegar em algum lugar, isso será um problema.

imagem
Pedro Cury testa a Turbo Levo. Foto: Luiza Zanini

Essa foi uma primeira experiência. Muito positiva, mas é preciso andar mais com a bike para ter uma opinião final. Sem dúvida é uma bike que eu gostaria de ter para algumas situações ou no dia que eu quisesse mais me divertir do que realmente treinar forte. Inclusive, essa é mais uma boa aplicação - no dia de treino leve, posso ir para trilhas ao invés de andar de speed".

Veja mais opiniões

Veja o que outros participantes do teste acharam da Specialized Turbo Levo 2016


Comentários





Relacionados