MENU

Specialized Epic 2021 chega com novo Brain e geometria agressiva

Bike aposta em ângulo de caixa de direção mais relaxado e quadro renovado ainda mais leve.

     

Quando falamos em bikes de cross-country de alto rendimento, o nome Specialized Epic é um dos mais destacados do mercado. Afinal, ao longo de suas diversas iterações, a bike apresentada pela primeira vez em 2002 sempre foi sinônimo de vitórias em provas de XCO e XCM ao redor do mundo.


Agora, com a apresentação da nova Epic 2021 e da Epic Evo 2021, a marca norte-americana promete dar um novo passo nessa evolução. Para isso, a bike manteve seu desenho com o shock posicionado abaixo do tubo superior - apesar disso, o modelo foi totalmente reformulado.

Geometria

Como era de se esperar, a Epic continua seguindo a tendência atual do "long, low, slack", que prega pela criação de bicicletas com o triangulo dianteiro mais longo, o movimento central mais baixo e a caixa de direção mais relaxada, o que permite mais controle em situações técnicas e descidas.

Foto 75425

Vale destacar que, assim como antes, existem duas versões da bike. A "convencional", indicada para XC de alto rendimento, tem 100mm de suspensão em ambas as extremidades.

Já a Evo usa o mesmo triângulo dianteiro, mas com um garfo de 120mm e uma suspensão traseira de 110mm para quem quer desempenho com uma dose extra de diversão. Além do shock, a Specialized modificou o triângulo traseiro da Evo, o que modificou inclusive a cinemática - leia mais abaixo.


No geral, a bike realmente ficou mais longa, baixa e relaxada. A caixa de direção perdeu 2 graus de inclinação, ficando relaxados 67.5 graus. A Evo é ainda mais "deitada", ficando em 66,5 graus - números encontrados em bikes de Enduro de alguns anos atrás.

O tubo do selim da Evo ficou com 74.5 graus, o que é em pé, mas não muito. Já a Epic é 1 grau mais reta, ficando com 75.5 graus.

O alcance to tamanho M ficou em 445mm, com a Evo ficando em 436mm. Mais voltada para o XC, a Epic utiliza uma mesa de 70mm. A Evo utilizando uma de 60mm.

Isso quer dizer que o alcance cresceu em 12mm, sanando uma das "reclamações" feitas sobre a antiga geometria do modelo, considerada muito tradicional por alguns.

Em ambas as bikes, o central ficou 9mm mais baixo, o que deve melhorar o comportamento da bike, principalmente em velocidades maiores.

Tirando a caixa de direção levemente mais inclinada do que de costume, a Epic pode ser considerada uma bike de XC com uma geometria moderna, mas sem grandes exageros.

O mesmo vale para a Evo, que realmente promete oferecer uma dose extra de controle em descidas inclinadas e trechos mais técnicos.

Novo quadro

Além de modernizar consideravelmente a geometria da Epic, o que promete melhorar seu comportamento nas descidas, a Epic recebeu um novo quadro que ficou mais leve. Isso foi feito com diversas melhorias pontuais no quadro, com otimizações feitas com análises computacionais.

Foto 75420

A Specialized afirma que agora, os quadros básicos pesam o mesmo que o S-Works antigo, e que o novo S-Works ficou 100g mais leve.

Além disso, para melhorar a rigidez, toda a traseira foi reforçada, com foco no pivô, nos stays e na ponte do triângulo traseiro. Nos modelos S-Works, o link da suspensão é feito em carbono, enquanto nas outras bikes ele é feito de metal.

Um detalhe interessante é que, como de costume, a Specialized apostou na construção rider first engineered, que cria a mesma experiência de pedalar para ciclistas de diferentes pesos e tamanhos - por conta disso, além de mudanças em todo o projeto, até o tubo inferior das bikes maiores é mais grosso.

Em ambos os modelos, o tamanho máximo de pneus é o 2.3. Porém, a Evo pode receber pneus 2.4 na dianteira.

Novidades no Brain

Desde sua primeira iteração, o Brain é uma marca registrada da Epic. O sistema promete diferenciar a força que vem do ciclista das forças que vem do chão, evitando que a suspensão se movimente quando você pedala, mas liberando seu curso quando a roda encontra um obstáculo.

Foto 75415
    Nataniel Giacomozzi

Ao longo dos anos, o projeto foi sendo aprimorado. Amado por uns, odiado por outros, o fato é que ele foi melhorando ao longo dos anos. Segundo a Specialized, o mesmo aconteceu agora.

No garfo, o ponto em que o Brain passa a atuar ficou mais "justo", saindo de 25mm para 15mm, melhorando a resposta da bike em sprints. Além disso, o "ponto" de engate do Brain pode ser ajustado para 0 ou 25mm.

Foto 75421

Na traseira, o shock recebeu melhorias para tornar-se mais resistente contra torções laterais. Mudanças no sistema de selamentos foram feitas para melhorar a durabilidade do componente.

O sistema de travamento inercial também recebeu melhorias, com um novo reservatório de nitrogênio mais longo e fino que fica escondido pelo chain-stay. Ele permite um funcionamento mais macio e silencioso.

Foto 75418

Além disso, a regulagem de atuação foi puxada para cima, criando uma configuração ainda mais firme para quem assim desejar. Apesar disso, segundo a Specialized, a transição entre os modos abertos e travados ficou mais suave.

Com as mudanças, a marca promete ampliar a durabilidade dos componentes e também os intervalos de manutenção. Vale destacar que os modelos da linha Evo não utilizam o Brain.

Cinemática

Seguindo a mesma tendência encontrada na geometria da Epic, a Specialized também modernizou o comportamento da suspensão traseira da bike. Com isso, a curva de progressão ficou mais agressiva, indicando que a bike terá mais resistência ao fim do curso mesmo com uma boa leitura de terreno.

Foto 75424

Na Evo, a traseira foi bem altera, com o link ganhando um segundo ponto de apoio para alterar bastante o comportamento da traseira da bike, criando um conjunto ainda mais apto a encarar terrenos mais agressivos.

Epic Evo

Além das diferenças de curso, cinemática e triângulo traseiro, a linha Evo ainda recebe algumas outras alterações, sendo as mais notáveis o uso de canotes retráteis em toda a gama e suspensões dianteiras mais robustas, sempre com garfos de 34mm de diâmetro nas hastes.

Foto 75416

Outra diferença interessante é que, junto com o novo triângulo traseiros, a Evo ganhou um flip-chip, recurso ausente na Epic que permite regular a suspensão traseira, rebaixando o movimento central e relaxando os ângulos da caixa de do canote em 0.5 graus.

Preços

Epic Comp: R$36,499.00
Epic Expert: R$49,999.00
Epic Pro: R$64,999.00
Epic Sworks: R$87,999.00
Epic SW Kit Quadro: R$39,999.00

Epic Evo Comp: R$37,499.00
Epic Evo Expert: R$50,999.00
Epic S-works: R$87,999.00

Conclusão

A ideia da Specialized com a nova linha Epic foi criar duas bikes de XC, uma para um público mais competitivo e outra para quem quer alto rendimento, mas com mais capacidade em descidas do que uma XCzeira 100% pura.

Por isso, a Epic é claramente uma bike de XC com um desenho bastante moderno, com a Evo sendo uma bike voltada para quem curte altas velocidades e trilhas mais técnicas, mas não necessariamente quer encarar uma bike Trail, que costuma ser um pouco mais lenta e pesada.

Ao menos no papel, a marca norte-americana parece ter acertado.

Mais informações no site da Specialized.

     


Conteúdo Relacionado

Comentários

Acho interessante o pessoal falar que tá caro kkkkkkkkkk ninguém vai no site da Ferrari e fala que é um porcaria de carro e que é cara.. a empresa não tá fazendo bike para pobre comprar ela tá seu publico com o chinelo tem, a escova de dente tem, o sabonete etc .. essa bike é para quem tem dinheiro e o cara que tem dinheiro não é um babaca só pq compra e fica dando rolezinho na rua ... Tem gente que quer competir com isso são mundos diferentes cada um cuida do seu espaço.. um rolex custa 1.000,00 para ver horas kkk.. quando aparece um cara com uma bike bem inferior na maioria todo mundo critica ele nem sabe se ele tem o não condição de comprar uma melhor.. seja mais simples aplaude a Empresa que fabricou , porque se você fosse o dona dela não iria tá nem ai para seu e o meu comentário ...

Uma bike desse valor e pra playboy que quer se amostrar que comprou uma bike cara ...pega uma speed e anda todo dia 100 km e aí sim se pode falar que anda de bike

Cara isso é só status nada justifica um valor desse ! Aí ele vem dizer que tem qualidade tudo bem , quero dizer que um carro de 80 mil não tem qualidade, agora pega a matéria prima de um carro e vê quantas bike da pra construir.

Fanboys tentando justificar o injustificável é uma piada
Só pra efeito de comparação uma Bmw GS 650,que também é importada e tem muita tecnologia embarcada custa 33k,mais barata que a Epic de entrada
Ou com o valor dessa Epic Comp também dá pra comprar 3 Honda CRF 230
Enfim,gosto muito de bike mas não sou trouxa nem sou fanboy de marca nenhuma,só acho engraçado como tem gente que defende preços absurdos

na minha opinião, o problema do preço em nosso país, temos pouco poder de compra, por n motivos. Para uma bike importada então, R' desvalorizado - impostos - margem abusiva , entre outras, só a nível de comparação o cidadão americano com bom-médio emprego compra tranquilo. Agora o desenvolvimento dos caras é foda, nenhuma brasileira faz isso. se vc pegar as full nacionais são caras também, não tanto como as importadas mas as nacionais fazem todo esse desenvolvimento ? mas como já falaram aí, tem para todos os bolsos, gostos e rendimentos.

Enquanto o povo continuar á deixar esse tipo de exploração vai ser sempre dessa forma.Não adianta ficar-mos aqui reclamando.

Pode ter a geometria top, mas a 2020 é muito mais bonita, bike está parecendo a Oggi Cattura Pro. Pelo valor iria de Spark ou Scalpel!

Qualquer bike acima de 15.000 é para quem compete e tem patrocinio. Que esta fora disso é otario que quer aparecer. Com 15.000 monto uma bike ultra competitiva pelo Ali e pagando impostos. Alem do mais desafio qualquer um que comentou aqui para uma prova. Jlider.agronomo@gmail.com... babacas.

Bom dia. Achei q em ternos de desenho, um retrocesso, o quadro ficou muito feio.
Sobre o preço, apesar de ter 3 super bikes, passei achar um absurdo, um desrespeito e oportunismo deste mercado de modinhas.
Muito se falaram sobre aros, 26, 27,5 e 29, e no entanto, mesmo de 27, e o mundo de 29, nino ganhava tudo, o q podemos concluir, que na h q tá valendo, o que manda é o piloto.
Falar q um bike bacana tem q ser caro é um absurdo, por a matéria prima p produção é carbono, q é barato.
Um bike tem menos tecnologia q um Ford 29

O brain faz a diferença , mas o preço dói de mais e pra mim eu prefiro a Scott rc 900 top com esse preço .Hoje as bike nacionais estão atendendo ,mas nada se super bike elas são .

Muito engraçado isso, os caras querem andar numa Ferrari mas querem pagar o preço de um Fusca, não adianta chorar, não importa se é Specialized, Cervélo, Trek ou outra qualquer, quem quer uma bike boa vai pagar por isso, se acha muito caro, compra uma Caloi ou então uma Barra Forte.

Só quem já usou sabe geometria igual não tem, na hora de vender fácil, custo benefício melhor preço no mercado entre as top.
Mtb Specialized
Speed Colnago
O resto na hora de vender 50% menos.

Depois do filme torrado com o Brain anterior, veremos...

Hj em nosso pais, temos bikes nacionais suficientemente boas afim de suprir nossa performance, ja foi o tempo de investir em algo fora no normal. Gosto da Spz, tenho Spz, mas é um absurdo seus preços, e como disse o amigo acima, se tratando de brain, se vc tem uma maquina dessa e não usa o tanto que deveria usar, certeza de um gasto maior de grana.

Mundança de preço abusiva! Tive 4 bikes spz, a epic foi a que mais decepcionou. Brain é uma chateação ,difícil manutenção, se gasta uma grana e no fim das contas nunca fica bom. A epic atual, no valor de 25k, entrega cambio sram Nx, uma relação que não poderia estar numa bike que se define como de competição.

Mundança de preço abusiva! Tive 4 bikes spz, a epic foi a que mais decepcionou. Brain é uma chateação ,difícil manutenção, se gasta uma grana e no fim das contas nunca fica bom. A epic atual, no valor de 25k, entrega cambio sram Nx, uma relação que não poderia estar numa bike que se define como de competição.

Vergonha... Esse valor não condiz com a matéria prima e tecnologia empregada nem tão pouco com a realidade econômica do país . Bicicleta com valor de carro popular e de luxo.

Desafio esta marca a construir uma bike top a preço acessível , duvido que consiga , já tive uma também não quero nunca mais , vc não consegue fazer a manutenção da sua bike , porque não se consegue encontrar peças no mercado. Isso é muito ruim .

Se não tem dinheiro pra comprar não adianta chorar.

Eu queria, mas esses preços estão fora da (minha) realidade... Porque tão absurdamente caras? 80 mil o cara compra uma puta moto esportiva que envolve muito mais peças, e muito mais engenharia?

Não vai vender. Pode vender para um público muito específico. Soul Vesúvio, Sense e Caloi vão voltar a ponta. MUITO, MUITO CARO!!!

Muito caro... exagerando ... mas brasileiro acha bonito e paga????????????

Tive duas epics 2019 (uma comp e uma expert) ambas com problemas no shox brain, tratado ao final de 4 garantias com desconfiança e salto alto da marca que não reconhece as centenas de casos de problemas do shox brain no Brasil. No fim das contas rompi não pela bike em si mas pela atitude da marca para comigo e outros...

A epic está muito atrás da spark ja tem um bom tempo , esse novo teram disfarçar a uma cópia da Scott

É sério estes preços? Não acredito, deve ser fake new, com nossa renda per capita excelente no Brasil... JAMAIS PAGAREI um preço deste absurdo em uma bicicleta, fala sério...

Ridícula a política de preços dessa marca
Já tive 3 bikes da marca,hoje em dia não quero nem de graça
Tentam elitizar e gourmetizar o esporte ainda mais
#vergonhaalheia

não importa o produto. cliente especialized típico vai comprar.

Usaram o mesmo quadro nas 2. O STA deveria ser maior na Evo e é o contrário. No fim a normal ficou um STA muito alto para uma bike XC.