home

Specialized Chisel Expert 1X 2018 - Primeiras Impressões


26 FEV, 2018     Gustavo Figueiredo     21    



No ano passado, a Specialized apresentou a Chisel. uma nova máquina de cross-country construída ao redor de um quadro de alumínio que, potencialmente, é o mais avançado do mercado. Feito com a tecnologia de soldas Smartweld semelhante à utilizada na estradeira Allez, o modelo compartilha a geometria com a Epic HT, versão equipado com quadro de fibra de carbono.

Foto 66695
A Specialized Chisel 2018

Há alguns dias, tivemos a oportunidade de pedalar a Chisel Expert 1X no duríssimo percurso da KMTB, em um evento realizado pela organização da prova em parceria com a Specialized e com a Thule. A seguir, você confere o que nós achamos sobre a bike neste pedal.

Ficha Técnica


Quadro: Specialized D'Aluisio Smartweld M5 Alloy
Suspensão: RockShox Reba RL 29, Solo Air, 51mm offset, 15x110mm
Cubo traseiro: Specialized, 12x148mm, 28 furos
Pneus traseiro: Fast Trak, GRIPTON, 2Bliss Ready, 29 x 2.1"
Aros: Specialized Alloy 29, 25mm largura interna
Raios: Stainless, 14g
Pneu Dianteiro: Fast Trak, GRIPTON 2Bliss, 29 x 2.3"
Cubo Dianteiro: Specialized disc, 15x110mm, 24 furos
Câmbio: SRAM GX, long cage
Centra: Race Face com rosca
Trocador: SRAM GX, trigger, 11v
Corrente: KMC X11
Cassete: SRAM NX, 11v - 11-42t
Pedivela: Race Face Aeffect
Coroa: Aço, 30T
Canote: Specialized 27.2mm
Mesa: Specialized XC
Manoplas: Specialized Sip Grip
Selim: Body Geometry Phenom Comp
Guidão: Specialized Mini-rise, 720mm

Detalhes

Olhando por fotos, a Chisel parece uma bicicleta convencional e sem grandes diferenciais. Porém, ao observa-la de perto, conseguimos detectar alguns detalhes que a engenharia da Specialized introduziu no quadro com o objetivo de deixa-lo rápido, leve e confortável.

Foto 66700
Entradas para cabos de câmbio dianteiro e canote dropper
Foto 66699
O tubo superior afina antes de chegar no tubo do selim

Logo de cara, o que mais chamou atenção foi o tubo superior que possui uma secção quadrada na junção com o Head Tube e depois afunila e vai ficando mais fino e arredondado até chegar no tubo do selim com uma grossura um pouco maior do que um dedão. O canote do selim é bastante flexivel, tendo apenas 27.2mm de diâmetro.

A tônica de tubos estreitos é presente em outras partes do quadro, tornando o conjunto todo muito leve e esbelto. Além disso, nem o chainstay e nem o seatstay possuem pontes, reduzindo mais mais o peso e aumentando o espaço para não acumular lama.

A caixa de direção é tapered e os eixos já utilizam o padrão boost. O cabeamento é interno e, além das aberturas ocupadas pelo cabo do câmbio traseiro e do freio traseiro, ainda existem mais dois furos no tubo inferior - um para o cabo do câmbio dianteiro encontrado na versão 2x e outro para o canote dropper com passagem interna.

Foto 66705
Regulagem de compressão e trava
Foto 66702
Regulagem de retorno

Este modelo ainda é equipado com uma suspensão dianteira RockShox Reba RL com espiga tapered, eixo de 15x110mm e uma trava na parte superior direita que faz as vezes de regulagem de compressão, além de regulagem de retorno e pressão do ar.

As trocas de marcha ficam por conta do grupo SRAM GX de 11 velocidades, com uma coroa de 30 dentes e um cassete 11/42 fazendo a relação. Os freios são os SRAM Level TL com disco dianteiro de 180mm e traseiro de 160mm.
Foto 66698
O grupo funciona bem, mas a relação tem seus limites
Foto 66704
Trocador SRAM GX
Foto 66703
Os excelentes freios SRAM


Geometria

No papel, a Chisel segue uma personalidade bastante "xczeira old school", mas com boas pitadas de modernidade. Isso porque, apesar da mesa de 90mm, relativamente longa se comparado com algumas bikes mais "moderninhas", ela possui quase 60cm de tubo superior e um alcance de 418mm, além de uma traseira bastante curta de 430mm.

Foto 66708
Geometria da Specialized Chisel 2018

Com uma distância entre eixos de apenas 1100mm, temos uma bicicleta que promete muita agilidade e respostas rápidas, com uma caixa um pouco mais relaxada para encarar os trechos mais técnicos em descida. O headtube tem 69,8 graus de inclinação, com o tubo do selim angulado bem reto, com 74 graus.

Impressões ao pedalar

Antes de sair para pedalar, por não conhecermos os terreno, calibramos os pneus com algumas libras pressão a mais do que a usual. Além disso, regulamos a suspensão com 22% de SAG.

Ao dar as primeiras pedalas com a Chisel Expert 2018, ainda com as pernas descansadas, pudemos sentir bem toda a disposição que ela tem para acelerar. Em um sprint em pé, ela parece apresentar uma certa flexibilidade, mas mesmo assim acelera de forma decisiva.

Foto 66696
A mesa de 90mm

Vale relembrar que o piloto que testou a Chisel é relativamente leve e tem uma característica de pedala com mais giro e menos potência. Por isso, ciclistas grandes, pesados ou extremamente fortes podem sentir algum efeito colateral da flexibilidade do quadro, mas não pudemos verificar isso.

Diferente da maioria das bicicletas de alumínio que passam aquela sensação áspera e morta na hora de absorver impactos e vibrações, a Chisel mostrou-se viva e ativa, filtrando o terreno de forma pouco comum em bikes feitas com este material.

Durante pedal, encaramos uma longa e inclinada subida sob forte sol. Nesta situação, a relação de marcha com uma coroa de 30 dentes e um cassete 11-42 mostrou estar no limite. Em muitas ocasiões, uma marcha mais reduzida teria sido ótimo para descansar um pouco as pernas.

Foto 66706
A traseira boost e os excelente freios SRAM

Embora em nenhum momento tenhamos colocado o pé no chão por falta de marchas, a verdade é que a amplitude dos sistemas 1x11 é bastante limitada, principalmente se comparada aos sistemas 2x10, 2x10 ou 1x12.

Infelizmente, embora o pedal tivesse muitas subidas, nenhuma delas teve desafios super técnicos entre pedras e erosões. Mesmo assim, nos trechos que exigiram precisão da frente para encarar linhas mais apertadas, ela se saiu bem, mas a mesa longa passa uma sensação de indecisão em alguns momentos, exigindo concentração do ciclista.

Nas descidas, a bicicleta também nos pareceu um pouco arisca e, embora tenhamos descido tudo o que encontramos pela frente, a verdade é que em alguns momentos sentimos falta de uma plataforma um pouco mais estável.

Foto 66707
Pneus Specialized Fast Trak Gripton

Durante o pedal, também encaramos uma descida em altíssima velocidade com muitas pedras e cobertura bem solta, terreno onde a bicicleta se comportou muito bem. Ao contornar curvas, ela nos pareceu bastante neutra e sem tendencias de abrir ou fechar o tangenciamento.

Vale ressaltar que a regulagem da suspensão acabou ficando um pouco dura (o que obviamente só ficou evidente nas descidas já no final do pedal) e isso pode ter influenciado negativamente no comportamento da Chisel. Por isso, uma avaliação mais completa, inclusive com pneus um pouco mais vazios, seria bem-vinda.

O destaque positivo fica por conta dos excelentes freios da bicicleta. Durante o teste, eles foram submetidos a condições extremas e, apesar do forte cheiro de sapatas queimadas e discos super-quentes, não sentimos nenhum sinal de fadiga.

Conclusão

Com quadro leve, componentes bem escolhidos e uma geometria que mistura toques de modernidade e características mais "clássicas", a Chisel mostrou ser uma boa bike de XC. Com ela, o ciclista terá uma máquina muito boa para encarar provas de XCO, onde sua agilidade certamente vai agradar em cheio. Já para o XCM, marchas mais pesadas farão falta para andar no pelotão.

Para trilhas mais técnicas, gostaríamos de ver um tubo superior um pouco mais longo e uma mesa um pouco mais curta para facilitar na transposição de trechos mais cabeludos. Todavia, ressaltamos que este foi apenas um primeiro pedal com a bike e o tempo de adaptação foi curto, até pela dureza do trajeto escolhido.

Percurso do teste no Strava.

Para saber mais acesse a página da Chisel Expert 1X no site oficial da Specialized Brasil.


Comentários

  • avatar

    Fernando Filippos   

    Fernando Filippos   

    Qual é o peso ?
    2 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Lucio    

    Lucio    

    Bom dia e uma bike bacana tenho uma specialzend rockshop 3 coroas quero trocar para uma de grupo melhor que ande bem em estradão e leve nas subidas pois aqui em Pernambuco ha boas trilhas com subidas brutas e leves mais estou em duvida qual relação de grupo
    3 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Carlos, acredito que seja possível trocar o cassete por um 11x50. Se tiver com mais dúvidas dê uma conferida neste tópico do foum: https://www.pedal.com.br/forum/grupo-sram-11v-com-cassete-1146_topic89298.html

    4 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

       

       

    Muito obrigado pela resposta. Sábado andei em um Chisel Expert 2 x 11 em Araçatuba, realmente é possível modificar a suspa (Reba) pedalando. Na linha 2019 a Chisel Expert só vai vir com 1 x 12. Se for possivel responder outra pergunta, quanto a minha bike Sran Nx 11 com 32 e 11/42, posso modificar o cassete pra 11/50? Será que preciso modificar quais componentes? Antecipadamente agradeço...
    4 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Carlos, a alavanca em cima da suspa pode ser usada como trava sim, mas não é remota. Da pra mudar pedalando mas tem que tirar a mão do guidão. Se você não for muito forte, uma relação com duas coroas pode ajudar, ou então um cassete com relação bem leve, mas ai vai faltar na descida.
    4 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Carlos Giunco   

    Carlos Giunco   

    Olá, sou um iniciante tardio, com 47 anos...Atualmente pedalo em uma Audax Sram Nx 11, coroa 32 e cassete 11/42. No entanto, uso bastante a trava remota de suspensão no estradão de terra. Nesta bike não tem trava remota. É possivel modificar a suspa mesmo pedalando? No meu caso talvez fosse melhor esta bike na configuração 2 x 11, não é?
    4 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Alan    

    Alan    

    Mudei algumas coisas na minha chisel como o kit.. que era sram e coloquei um shimano xt 1x11 .. só tenho coisas boas para relatar sobre a bike.. muito agressiva e no single track consigui pegar todos os kom que não tinha, ainda permitindo melhorar meu desempenho... a bike tem uma geometria incrível tanto em trechos de técnicas quanto em stradoes “
    8 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Barrels, justamente por isso se chama primeiras impressões e não teste. Um teste completo exige ficar com a bike algumas semanas, rodando por trilhas conhecidas, testando diferentes configurações e ajustando a bike tim tim por tim tim, inclusive trocando componentes para testar hipóteses e desmontagem completa para pesagem.

    No link que tem no texto você vai ver que o pedal foi realizado durante um evento de reconhecimento, então obviamente não conhecíamos o percurso e justamente por isso fomos conservadores com a pressão do pneu - já pensou que chato parar um grupo com 30 pessoas que estão trabalhando porque você furou?

    No mais, o SAG de 22%, seja para um piloto leve ou pesado, é um bom ponto de partida, mas neste modelo de suspensão não funcionou legal. Com mais tempo teríamos baixado a pressão, colocado tokens e tudo mais.

    Na lista de textos relacionados abaixo você pode comparar melhor a diferença que fazemos entre Teste e um Primeiras Impressões. De uma forma ou de outra, vou deixar um link de um teste completo aqui embaixo para facilitar.

    Abraços!

    Teste Completo Suspensão DT Swiss
    https://www.pedal.com.br/teste-suspensao-dt-swiss-opm-odl-100-2017_texto12579.html

    Teste Completo Sense Impact Evo
    https://www.pedal.com.br/teste-sense-impact-evo-2018_texto12473.html


    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Eugenio   

    Eugenio   

    Tem a versão 2x11,36/26-11/42. pelo mesmo preço, R'10.9Ko peso da que vcs testaram é 11Kg... é um ótimo peso para uma bike de alumínio é a primeira que vem com smartweld para MTB o que permitiu fazer um alumínio mais leve, a historia de Chuck Texeira, eng da Specialized é muito interessante... ele colocou de volta o Alumínio para bikes mais competitivas...
    Meu objetivo, é poder comprar a versão 2x11... algum dia.....
    Gostei muito do review, bem objetivo, o do Bike radar, feito faz quase dois meses é similar ao de vcs em as conclusões
    abraços !

    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Barrels   

    Barrels   

    Difícil de entender o teste. Para ter a melhor sensação da bike deveriam melhorar o set up de acordo com pista. Ainda mais com pneus cheios e um sag de 22% para um piloto leve! A bike vai parecer um cabrito pulando! Certamente que a sensação vai ser de uma bike arisca.
    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    ALESSANDRO   

    ALESSANDRO   

    Olá pessoal, desculpe o meu jeito, mas só pra fins de informação, a spz stumpjumper Word cup 2015 11v, a spz epic 2018 11v, entre outras de 11v equipadas com cassetetes gx já veem com freehub XD ex: https://www.specialized.com/br/pt/stumpjumper-elite-carbon-world-cup/p/93296?color=187159-93296
    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Rodrigo   

    Rodrigo   

    Vale lembrar que a Chisel já tem rodas com 25 mm internos e pneu 2.3 na dianteira, assim o volume de ar a ser usado é menor que normalmente usado em Bikes convencionais com aros comuns, isso traz maior tração e aderência em curvas com mais conforto, o freehub XD a própria Specialized tem para venda, é encontrado em revendas autorizadas.
    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Mauricio Aparecido Godói    

    Mauricio Aparecido Godói    

    E a bike fixa ? Kkkkk

    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    luiz   

    luiz   

    Já viram as novas Soul's de alumínio? aquilo sim é bike!!
    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    RANIERE   

    RANIERE   

    Um dia vou ter condições de comprar uma bike dessas. Muito linda!

    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    CIRO   

    CIRO   

    boa matéria, mas corrigindo.

    o correto é mais giro e menos TORQUE ao invés de mais giro e menos potência.

    Poténcia = torique x rotação.


    abraço

    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Érico    

    Érico    

    A linha auge da Audax ( a partir da 600) já vem com relação 10/42. No caso da Chisel li em um fórum gringo que não existe freehub XD nem pra comprar, mas não sei se procede.
    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Fabio, não tenho certeza, mas acho que nenhuma bike 11v original tem cubo XD, mas posso estar enganado. Quanto ao pneu, complicado avaliar assim em tão pouco tempo e em um percurso desconhecido.
    10 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Fabio   

    Fabio   

    Realmente não dá para entender essa mesa enorme, sendo que na Crave já usavam menor. Ruim também essa roda sem XD Drive.
    Não sabia que tinha passagens para cabo de canote ajustável, sendo que é bem complicado achar um de 27,2mm.
    E como se comportou esse Fast Trak na dianteira?

    10 mes(es) atrás - Denunciar




  • Relacionados