home

Specialized 2016 - Allez Sprint, agilidade para provas de critério

Uma bike feita especialmente para as curvas e arrancadas deste tipo de competição


13 AGO, 2015     Gustavo Figueiredo    



Circuitos travados em ruas ou estacionamentos, pelotão compacto fazendo curvas fechadas em alta velocidade, acelerações e frenagens bruscas, muitos tombos e diversos ataques são a receita básica de uma prova de critério.

Com estas características que proporcionam emoção para ciclistas, diversão para espectadores e simplicidade de organização, este tipo de competição não para de crescer no mundo inteiro e certamente tende a se popularizar no Brasil. Para enfrenter este tipo de desafio, a Specialized desenvolveu a Allez Sprint, uma bike feita especialmente para provas de critério.

Aplicado a tecnologia Smartweld não só na caixa de direção mas também no novo movimento central hidroformado, a bike promete muita agilidade para fazer curvas rápidas e muita eficiência para transmitir toda a potência do ciclista para as rodas. Segundo a Specialized, em um sprint de 200 metros, ela chegaria 4 bicicletas à frente da Allez anterior.

Movimento Central

O coração desta bicicleta é o novo movimento central de grandes proporções. Ao olhar para a peça, ela lembra muito uma de fibra de carbono. Mas na verdade é feita com duas metades hidroformadas de alumínio que são unidas pelo processo de brazzing, uma fusão em alta temperatura nas áreas de contato entre os componentes.

imagem
Repare na linha central criada pelo processo de fusão


Depois, esta peça única é unida ao restante do quadro com soldas Smartweld. O resultado é impressionante – segundo a Specialized, a traseira da Allez Sprint é quase tão eficiente na transmissão de potência quanto a da nova Tarmac.

Conversando com a equipe de desenvolvimento, nos foi explicado que a única forma de aumentar a rigidez sem ganhar peso é criar peças de maior diâmetro e com mais área de contato. Isso explica o formato do movimento central de bikes de carbono e também o da nova Allez, que difere completamente dos modelos tubulares mais comuns.

Caixa de direção

A caixa de direção da bicicleta também é hidroformada e resulta da união do tubo superior, tubo inferior e head tube. Em cada tamanho da bicicleta, a Specialized utiliza um head tube e um garfo diferente, garantindo muita agilidade na tocada.

imagem
Acabamento anodizado deixa as soldas Smartweld à mostra


Geometria

Com a traseira super curta e a caixa de direção mais fechada do que a Tarmac, a Allez Sprint promete acelerações fortes e muita agilidade em baixas velocidades. Além disso, o movimento central é um pouco mais alto do que o da Tarmac, permitindo deitar mais a bicicleta em mudanças de direção sem que os pedais toquem no chão, o que costuma resultar em tombos.

Com isso, o ciclista tem mais facilidade para fazer curvas pedalando, o que é ideal para provas realizadas em espaço apertados, com muitas curvas e arrancadas.

Aerodinâmica

Para aumentar a penetração aerodinâmica, a Allez Sprint utiliza um seat tube aero e o canote idêntico ao da Venge. Outra solução que veio diretamente de sua prima de carbono é o seat stay montado em uma posição mais baixa, o que garante um melhor fluxo de ar na traseira da bike.

Componentes

A Allez Sprint utiliza pontos de contato Body Geometry que proporcionam uma melhor ergonomia. Além disso, a bike vem equipada com os pneus S-Works Turbo 2, os mais rápidos do mercado segundo a marca.

Um detalhe bastante interessante é o grupo com apenas uma coroa SRAM, combinado a um cassete de 10/42 de 11 velocidades. A ideia é reduzir o peso e o arrasto aerodinâmico sem perder o range da relação, o que seria ideal para provas em circuitos travados com subidas curtas e explosivas.

imagem
Grupo SRAM Force 1x11


Conclusão

A Allez Sprint faz parte da nova geração de bikes que agregam alta tecnologia e rendimento em quadros feitos de alumínio, algo que já se tornou tendência no mercado atual. Além disso, o modelo vem de encontro com as necessidades dos praticantes de um tipo de prova que tente a crescer cada vez mais. No papel, ela tem tudo para apresentar um desempenho bastante interessante sem custar tanto quanto uma bike de carbono.


Fotos (6)

foto 0 -  foto 1 -  foto 2 -  Mais Fotos

Comentários



Relacionados