home

Scott Spark 2017 - Em detalhes

A bike que ganhou ouro olímpico conta agora com diversas configurações


22 AGO, 2016     Gustavo Figueiredo     1    



Neste ano, conferimos de perto o lançamento das novidades da Scott para 2017, em Lenzerheide, na Suíça. Durante o evento, conhecemos a reformulada linha de bikes full-suspension que chegou para atender a diversos tipos de ciclista, indo de competidores de cross-country ao ciclista que deseja a opção de pneus 27,5+ para trilhas mais agressivas. Também pedalamos quase todas os modelos da Scott Spark 2017, que você pode conferir aqui.

imagem
Scott Spark RC LT

Tecnologias

Novo dropout e encaixe de freio
Na Spark de gama superior, o sistema IDS SL dropout não existe mais. A gancheira agora tem uma nova fixação no quadro, totalmente diferente, encaixando diretamente na junção entre o tubo de corrente e seat stays, por onde passa o eixo traseiro.

imagem

O encaixe de freio ganhou uma solução ainda mais inteligente - ao invés de os dois pontos de fixação estarem localizados no tubo de corrente, um deles se mantem no tubo, mas o outro fica fixado através do eixo traseiro, tirando assim mais uma pequena estrutura do quadro e passando a força resultante pro eixo que é uma estrutura bem mais robusta.

Ambas as soluções diminuem os reforços e emendas na parte traseira do quadro, deixando-o mais confortável e leve.

Padrão de eixos Boost
As duas novas bikes agora contam com o novo padrão de eixo Boost no modelos superiores, com 110mm no eixo dianteiro e 148mm no eixo traseiro. Esse novo padrão está sendo usado em diversas bikes, pois permite não só o melhor uso de pneus 27.5+, mas também uma enraição mais forte em rodas 29” e uma melhor geometria.

imagem

Novas Fibras HMX-SL
Os modelos top de linha, designados com a sigla SL, agora contam com novas fibras de carbono, que a Scott chama de HMX-SL. Além das fibras já usadas, três novas fibras MR70, HR40 e YS60 foram introduzidas, resultando em um quadro mais leve, forte e rígido.

Guia de Corrente Integrado
Os modelos de 1 coroa já possuem um guia de corrente integrado. Com os rigores técnicos das novas pistas e com cassetes de catracas cada vez maiores, a queda de corrente pode ser mais frequentes. O guia integrado de apenas 23 gramas resolve o problema para coroas de 30 a 36 dentes.

TwinLoc
Já consagrado há anos nas bikes da Scott, o sistema de ajuste de suspensões no guidon permite ajustar até 3 posições de funcionamento de uma ou ambas suspensões ao mesmo tempo. A novidade é que agora é possível montar as alavancas na parte debaixo do guidon e do lado esquerdo, deixando-a mais protegida e flexível para o uso com alavanca de canotes e passadores para uma cora.

Scott Spark 2017 - Novo sistema de suspensão, opção 120mm e pneus Plus
A Spark sofreu ainda mais mudanças para o ano anterior. Além de contar com os novos dropouts, encaixe de freios e eixos boost, o sistema de suspensão traseiro é totalmente diferente. A redução de peso foi grande - o quadro Spark RC SL 29" pesa apenas 1.779g, enquanto a versão 27.5" pesa 1.749g - resultando em mais de 200g em um quadro que já era o mais leve do segmento.

Nova suspensão traseira
imagem

Uma das mudanças mais significativas foi o novo sistema de suspensão traseira. O amortecedor agora fica na posição vertical e invertido, paralelo ao tubo de selim, e não mais fixado no tubo superior. Com isso, a força resultante do amortecimento vai para o tubo inferior, perto do movimento central, uma área já reforçada por causa do pedivela. Dessa forma, foi possível construir um tubo superior mais leve, já que não há mais forças de amortecimento pra se preocupar.

imagem

A balança e link estão totalmente reformulados. Não existe mais o pivô entre o seat stay e o tubo de corrente. Essa mudança, juntamente com o novo dropout e encaixe de freio já citados, faz com que a balança seja composta de apenas 3 partes ao invés de 18 da Spark anterior, economizando 130 g. O link traseiro passa a ser de carbono, caindo pra metade do peso da Spark anterior.

Outra mudança do amortecedor está no sistema métrico Trunnion, que permitiu um amortecedor menor para mesma quantidade de curso. Com isso foi possível colocá-lo mais próximo ao tubo de selim com uma estrutura mais compacta, com uma altura de quadro menor, um link mais leve e ainda com espaço para uma garrafa d’agua.

Para completar, a curva de amortecimento está totalmente reformulada. Agora é mais sensível no inicio do curso, para os pequenos impactos, mas oferece melhor suporte a partir do ponto de sag, para melhor comportamento ao pedalar e resposta à curvas.

Com isso, além de não perder velocidade em pequenas ondulações, o novo comportamento da suspensão traseira ainda possibilita uma melhor absorção de impactos maiores antes de atingir o final do curso.

imagem

Geometria

A geometria ficou mais agressiva. Na versão 29”, os tubos de corrente ficaram 13mm menores, com 435mm. O ângulo de direção ficou 1.3 graus mais inclinado, com 68.5. O tubo de selim está mais inclinado, com 73.8 graus e a bike conta com maior reach, menor stack e altura do quadro (standover) 28mm menor.

Spark RC, Spark e Spark Plus - Mesmo conceito, bikes diferentes

A Spark conta agora com 3 linhas de bikes, que compartilham todas essas tecnologias, porém contam com algumas mudanças para usos diferentes. A Spark RC é a máquina para competições de cross-country. Conta com apenas uma coroa e 100mm de curso máximo, 70 mm no modo intermediário e trava total. Também é a única com opção de carbono HMX-SL.

imagem

A Spark é a versão mais “trail”, contando com 120mm de suspensão total, 85mm na posição intermediária e trava total. Já a Spark Plus é a versão mais agressiva. Conta com os grandes pneus 27.5+, 130mm de curso na dianteira e 120mm de curso na roda traseira.

A bike de Nino Schurter

Como podemos ver na foto abaixo, a bike de Nino tem uma montagem diferente. O quadro é o mesmo que um Spark RC SL, porém o piloto usa rodas e suspensões DT Swiss, além de outros pneus.

imagem
A bike de Nino Schurter

O piloto esteve no evento rapidamente e conseguimos falar com ele. A pergunta que todos queriam saber é o por que do uso das rodas 29" agora, já que ele sempre declarou que preferia as 27.5". O piloto suíço nos disse que as rodas 29" tem realmente uma vantagem em alguns tipos de pista, mas nunca conseguiu se adaptar a geometria das versões antigas. Com as novas bikes, ele se sente melhor.

Perguntamos se a pista do Rio também fez diferença nessa decisão, já que a medalha de ouro é seu principal objetivo da temporada. E a resposta foi positiva. Nino acha que rodas 29" serão melhores na pista olímpica.


Comentários

  • avatar

    Muchacho   

    Muchacho   

    Boa Reportagem! :-)
    3 ano(s) atrás - Denunciar




  • Relacionados