home

Scott Foil 2016 - Mais aerodinâmica e leve


7 JUL, 2015     Péricles    
     


Mais aerodinâmica, menos peso, maior rigidez e mais conforto, é o que promete a nova Scott Foil 2016. Seguindo a tendência já adotada por Specialized, Trek e outros grandes fabricantes, a Scott acaba de colocar no mercado sua nova Foil, uma bike criada para fazer de tudo muito bem.

imagem

Desde sua introdução em 2010,a Foil sempre foi uma excelente bicicleta. Porém, o modelo já estava envelhecendo. Depois de dois anos e meio de desenvolvimento, a Scott finalmente lançou a evolução de sua linha “aero all-rounder”.

Aerodinâmica

Quando o assunto é leveza, nenhuma Scott supera a Addict. Porém, quando olhamos para a nova Foil, fica claro que o foco da engenharia da marca foi a aerodinâmica. Para isso, basta observar a parte da frente da bike com seu sistema de mesa e guidão integrados Syncros, que possui um desenho similar ao da Canyon Aeroad CF SLX.

imagem

Pesando meros 395g, o modelo possui integração total com o sistema Di2, dois tipos de suporte para Garmin e espaçadores aero. Vale lembrar que este sistema será comercializado nos modelos top da Foil, sendo disponibilizado como upgrade pela Scott para os modelos inferiores da linha.

Outro detalhe interessante foi a reconstrução completa do head tube. Neste, os rolamentos foram distanciados, permitindo a criação de uma frente mais estreita. Além disso, down tube veio para mais perto do garfo, evitando assim a turbulência que se forma atrás da coroa – um detalhe que melhora até 33% o arrasto do quadro segundo o fabricante. Como era de se esperar, o cabeamento é todo interno e compatível com sistemas mecânicos ou eletrônicos.

imagem

Rigidez e conforto

Para tornar o quadro ainda mais responsivo, a Scott aumentou a largura do movimento central da nova Foil. Além disso, os chain stays foram reforçados. O head tube ganhou a configuração 1 1/2” – 1 1/4” com a espiga de 1 1/4” – tudo para melhorar a transmissão de potência e a estabilidade direcional da bicicleta.

Para contornar um dos piores problemas da antiga Foil, a Scott apostou na já conhecida receita dos seat stays finos, o que aumenta a capacidade de absorção de impactos do quadro. Para levar esta solução ao extremo e de quebra melhorar a aerodinâmica, os freios traseiros foram instalados logo atrás do movimento central.

Além disso, o seat tube e o top tube também foram redesenhados - o primeiro teve seu diâmetro reduzido, enquanto o segundo foi achatado para aumentar a flexibilidade. Segundo o fabricante, o novo Foil é 89% mais flexível na vertical do que o antigo.


Fotos (6)

foto 0 -  foto 1 -  foto 2 -  Mais Fotos

Comentários



Relacionados