MENU

Rumor - Novo câmbio SRAM XX1 AXS

Vazam fotos da versão mais recente do câmbio que levou Nino ao top do podium em 2022

Assim com os últimos lançamentos da Apple, agora é a SRAM que é vítima de vazamentos de fotos de seus produtos antes do lançamento. Em um inusitado anúncio em uma plataforma de comércio on-line americana foi encontrada uma versão um tanto diferente. Ao invés de ser uma versão tradicional do já conhecido XX! AXS top de linha que mostramos aqui em 2019, o anuncio trazia um conjunto de câmbio, trocadores e demais acessórios para montar um conjunto XX1 Eagle AXS do que se acredita ser a versão 2023/24 do grupo top de linha da gigante americana SRAM LLC.

SRAM XX1 Eagle AXS
SRAM XX1 Eagle AXS    Michal Cerveny


Pelo que podemos notar, essa é a versão final do câmbio usado por Nino Schurter em várias etapas da Copa do Mundo e na conquista do Campeonato Mundial de XCO em 2022. Agora, ela aparece em sua roupagem definitiva. Antes caracterizado pelos adereços BlackBox (como a SRAM chama seus protótipos), a versão final aparece até com a caixa, cabos e demais itens que o consumidor final recebe ao comprar um equipamento SRAM AXS.

Protótipos

Desenho dos elementos modulares patenteados - reprodução: Bikerumor
Desenho dos elementos modulares patenteados - reprodução: Bikerumor

Esse novo grupo não é exatamente um segredo ou uma surpresa. A SRAM tem um programa bem estruturado de testes em competições chamado BLACKBOX. As peças e componentes protótipos suficientemente seguros e já tragam um ganho de performance aferido em outros testes; Elas são colocadas à prova de fogo como em Copas do Mundo, Mundiais e até no Tour de France (para os componentes de estrada).

A equipe do astro suíço - bastante generosa durante as comemorações do último título mundial - divulgou algumas fotos que mostra em detalhes o novo grupo.
foto: divulgação / Scott
foto: divulgação / Scott


O novo XX1 Eagle AXS

Nas fotos podemos verificar alguns dos detalhes mais importantes desse novo grupo. A posição das baterias do sistema AXS mudou, mas as baterias, não (ufa, ainda poderemos usar a bateria do canote no câmbio). Essa mudança se dá justamente por conta da maior inovação do novo grupo, com montagem integrada ao quadro.

Publicidade



Mas, calma, não é motivo para desespero ou para os dedos ultrarrápidos dos nossos seguidores nos comentários. A solução da SRAM até que é bem “engenhosa”. Como podemos ver em alguns arquivos de patentes do sistema garimpados na internet, a montagem do novo câmbio se dá pelo sistema UDH (Universal Dealer Hanger) ou seja, gancheira universal. Esse sistema de gancheiras foi lançado pela SRAM há cerca de três anos e rapidamente ganhou a preferência dos grandes fabricantes, que rapidamente se adaptaram para acomodar a inovação e facilitar a vida dos ciclistas e dos lojistas, pois agora um único modelo de gancheira serve para várias marcas e modelos (ufa, ouviram nossas preces!).
Desenho patenteado pela marca - reprodução: Bikerumor
Desenho patenteado pela marca - reprodução: Bikerumor


Esse sistema de gancheira abraça o quadro bem na junção com o eixo passante traseiro, assim possibilitando que o câmbio faça o mesmo. Mas calma, se você bater seu câmbio não vai quebrá-lo com facilidade, isso porque a SRAM usa um sistema de desengate eletrônico que faz o câmbio recuar no caso de uma pancada e voltar a posição original sem danos.

Mas sempre tem alguém que faz uma proeza e tem um tombo épico e consegue quebrar tudo. Para esses ciclistas (des)afortunados, a SRAM criou um sistema de montagem do câmbio ao quadro com peças substituíveis.
Parte do desenho patenteado - reprodução: Bikerumor
Parte do desenho patenteado - reprodução: Bikerumor


Esse sistema de montagem direta com peças recuperáveis promete ser compatível entre todas as versões da linha EAGLE AXS (e talvez dos a cabo, se eles resistirem ao tempo). Assim se você conseguir quebrar uma dessas partes e no bikeshop não tiver da mesma cor ou modelo, você pode montar uma peça equivalente de uma GX, XO1 ou outro modelo, sem problemas. A temática é seguir a mesma compatibilidade entre linhas já vista nas famílias de câmbios de 11 e 12 marchas para MTB e gravel da marca. Nas fotos podemos verificar a versão topo de gama do câmbio traseiro eletrônico e seu trocador wireless, o qual teve algumas mudanças fundamentais e agora tem cerca de metade do tamanho da versão inicial.

O design do novo grupo é bastante diferente das versões anteriores, mas o que mais nos questiona agora é o preço. Com a versão atual do câmbio traseiro XX1 EAGLE AXS flutuando na casa dos R$10.000,00 (apenas do câmbio, cerca de R$11.500,00 com o trocador e carregador), quanto será que custará a versão atualizada?

Bom, só o tempo e o lançamento oficial nos dirão. Enquanto isso, acompanhem aqui no Pedal.com.br mais informações das novidades do mercado bike.

Fonte: Bikerumor e PinkBike


Relacionados

Comentários

Outras notícias

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.