MENU

Roubos e furtos de bicicletas têm queda de 34% no estado de São Paulo em 2020

Dados da Secretaria de Segurança Pública do estado analisados pela Aliança Bike, apontam redução; isolamento social teve impacto direto nos números

De janeiro a novembro de 2020, o estado de São Paulo apontou queda de 34% nos registros de roubo e furto de bicicletas, em comparação com o mesmo período de 2019. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Governo Estadual, tratados e analisados pela Aliança Bike (Associação Brasileira do Setor de Bicicletas). Em números totais, foram 12.397 roubos e furtos em todo o estado, sendo que aproximadamente 20% ocorreram apenas na capital paulista.

Foto 77338

Do número extraído do sistema de Registro Digital de Ocorrências (RDO), ferramenta que conta com os boletins de ocorrências das delegacias de polícia, 85% destes crimes foram causados por furtos e os outros 15% correspondem a roubos. É considerado furto quando o bem é retirado da vítima sem estabelecer contato com ela; roubo é quando a subtração do bem é acompanhada do que chamamos de assalto, com contato pessoal, violência ou ameaça.

O início de 2020 já demonstrava um número de ocorrências menor do que o registrado no ano passado, mas foi com o início do isolamento social, provocado pela pandemia do coronavírus, que os números tiveram um decréscimo mais agudo. O mês de abril, por exemplo, teve 70% menos roubos e furtos de bicicletas do que o mesmo período em 2019.

Desde abril, porém, a incidência destas ocorrências vem aumentando consistentemente. Desde julho os números têm se mantido estáveis, entre 170 e 200 ocorrências. Em novembro, o número total foi de 1.166 crimes envolvendo bicicletas – 25% menor do que o registrado em novembro do ano passado.

Em relação à capital paulista, um dado preocupante: em novembro de 2020, os registros de roubo superaram o registrado em 2019. Foram 67 neste ano, contra 59 no ano passado.

“Pelos dados analisados, é possível perceber que o início da quarentena no estado de São Paulo teve impacto direto na redução de roubos e furtos. Ao mesmo tempo, a tendência de alta no gráfico a partir de julho mostra que, infelizmente, é possível que os números totais destes crimes voltem ao patamar pré-pandemia já agora em dezembro ou a partir de janeiro”, comenta Daniel Guth, diretor executivo da Aliança Bike.

Os dados da cidade de São Paulo

A capital paulista foi o local de 20% de todos os roubos e furtos de bicicletas no estado. Em números totais, foram 2.465 crimes desta natureza no município: 1.921 furtos (78%) e 544 roubos (22%) registrados. Este número representa uma queda de 25% nos 3.086 casos documentados em 2019.

Foto 77339

Diferentemente dos dados estaduais, os números destes crimes na cidade de São Paulo, no início do ano, estavam piores do que 2019. Em janeiro, os números apontavam acréscimo de 7%. Com a pandemia e o início do isolamento social, a partir de março, as ocorrências começaram a sofrer acentuada queda: o pico de diferença percentual foi de 51% entre abril de 2020 e abril de 2019.

Desde abril, porém, os índices vêm piorando na cidade, sendo que novembro foi o pior mês desde fevereiro em número de roubos e furtos, com 252 ao todo. Esse número é puxado especialmente pelo aumento de roubos na cidade, que cresceram 37% entre outubro e novembro.

Roubos de bicicletas

Representando 15% do total destes crimes, os roubos de bicicleta no estado de São Paulo totalizaram 1.856 ocorrências de janeiro a novembro de 2020. Isso dá uma média de 169 roubos por mês, 5,6 roubos por dia ou a aproximadamente um roubo a cada 4 horas.

A cidade de São Paulo representa quase 1/3 deste total, com 545 roubos em 2020, até o mês de novembro. Na média, são quase 50 roubos de bicicleta por mês – sendo que 92% deles ocorreram em vias públicas.

Na capital paulista, os distritos policiais com o maior número de registros de roubos de bike foram D.P. Jardins, D.P. Vila Jacuí, D.P. Campos Elíseos, D.P. Pinheiros, D.P. Perdizes, D.P. Vila Matilde e D.P. Morumbi.

Os casos são bastante distribuídos entre diversos distritos paulistanos, mas alguns pontos são recorrentes. É o caso do D.P. Vila Jacuí, onde está a ciclovia do Parque Ecológico do Tietê, e o D.P. Campos Elíseos, região em que está a chamada Cracolândia.

Furtos de bicicletas

Grande maioria das ocorrências relacionadas a bikes, os furtos no estado de São Paulo totalizaram 10.541 ocorrências de janeiro a novembro de 2020. Na média, são 958 registros mensais, 32 por dia e 1,33 por hora. Em comparação com 2019, os dados apontam queda de 37% nestes crimes.

A capital paulista representa cerca de 18% deste total, com 1.921 furtos (174 por mês ou cerca de 1 a cada 4 horas). Do total, 12% ocorreram em estabelecimentos comerciais, 44% em via pública e 3,33% em equipamentos públicos – 46 furtos de bicicletas foram registrados em estações como bicicletários de terminais de ônibus, metrô e trem.

Os distritos paulistanos com maior incidência de furtos foram D.P. Jardins, D.P. Pinheiros, D.P. Itaim Bibi, D.P. Monções, D.P. Perdizes e D.P. Campos Elíseos. Os números apontam para uma concentração dos furtos de bicicletas no centro expandido da cidade.


Relacionados

Comentários



Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.