home

Relato - Como foi correr o Sense Enduro Cup 2019 #1

Nosso editor Pedro Cury participou da primeira etapa do Sense Enduro Cup 2019. Confira seu relato da prova


12 ABR, 2019     Pedro Cury    
     


Anunciado ainda no inicio desse ano, o Sense Enduro Cup estreiou sua primeira edição no último final de semana, num cenário que até então não estava muito animador para a modalidade no país. Afinal poucas provas de relevância haviam sido anunciadas para 2019.

Foto 71497
   Ney Evangelista

Cenário do Enduro

De 2014 para cá, tivemos campeonatos legais, com multi-etapas, sendo os mais famosos o Montanhas Race e o Brasil Enduro Series. Em 2016, tivemos a oportunidade de correr duas etapas do BES como você viu neste relato.

Foto 71498
   Ney Evangelista

Sendo o primeiro campeonato de enduro organizado pela Sense, e anunciado somente 1 mês antes da primeira etapa, foi gerada alguma desconfiança se realmente ele seria um campeonato legal. Caso você não conheça a modalidade, confira mais detalhes neste artigo sobre como são as provas de Enduro.

A Sense acertou em cheio ao reunir no final de Janeiro um grupo muito influente e experiente de competidores da modalidade, em um bate-papo para descobrir quais as necessidades e como fazer um evento realmente bom para todos.

Semanas depois, o evento já contava com alguns diferenciais, como uma chancela da Confederação Brasileira de Ciclismo para ser válido como campeonato brasileiro da modalidade, sorteio de viagens para assistir uma etapa do mundial (EWS) e a parceria com Diego Knob para construção e ajuste das trilhas.

O evento

Se iniciando na sexta feira com a entrega de kits, o evento já impressionou pela grande estrutura montada. De cara, me deparei com uma grande área coberta batizada de "Arena" pela organização. Nela, todas as atividades do evento foram centralizadas. O espaço era amplo e capaz de acomodar não só os competidores, mas também expectadores e famílias.

Foto 71502
   Ney Evangelista
Foto 71503
   Ney Evangelista

As opções no local eram várias, indo de food trucks variados, lojas expondo produtos e uma tela com os tempos da competição rolando em tempo real. Além disso, vários shows aconteceram ao vivo, além de música o tempo inteiro com apresentações de DJ. O local ainda contava com um pátio onde os pilotos poderiam ficar em contato direto com o público.

Foto 71501
   Ney Evangelista

Pistas

Uma das maiores reclamações dos pilotos em relação a outros campeonatos era quanto às pistas e nível de exigência das provas. Alguns achavam fáceis e curtas demais e outros até achavam tecnicamente difíceis, mas também arriscadas e sem estrutura para socorro.

Foto 71499
   Ney Evangelista
Foto 71511
   Ney Evangelista

Comparando com apenas duas etapas do Brasil Enduro Series que participei, as pistas do Sense Enduro Cup foram muito mais difíceis tecnicamente e com uma exigência física também maior. Assim como essas duas etapas, a pista também tinham suas partes mais perigosas bem sinalizadas e nenhum trecho realmente crítico.

Foto 71509
   Ney Evangelista
Foto 71508
   Ney Evangelista

Porém, como um competidor eventual e sem ter acompanhado presencialmente nenhuma etapa internacional do EWS, perguntei a opinião de alguns competidores experientes.

Foto 71505
   Ney Evangelista
Foto 71504
   Ney Evangelista

"A gente contou com uma prova de nível técnico alto, mas principalmente físico muito alta, próximo de provas do EWS. Mesmo com baixa quilometragem, ela foi duríssima", disse Andre Bretas, vencedor da elite.

Foto 71500
   Ney Evangelista

A prova foi espetacular. Um evento pra abrilhantar e resgatar a essência do Enduro no Brasil. - Andre Bretas, vencedor da elite



"Achei o evento muito bom, especiais muito legais, pouco frequentadas pela galera daqui. A pista branca, por exemplo, ninguém andava há mais de 20 anos!" disse Léo Mattioli, atleta com experiência internacional no Enduro e quarto colocado na Elite.

"A prova foi super dinâmica, tudo dentro do esperado em termos de sinalização e segurança QG cabuloso, infra de muito legal que causou uma ótima impressão nos pilotos e convidados, evento nota 1000, com apenas alguns pontos que podem ser melhorados", complementou Mattioli. .

As especiais em vídeo



Para a próxima etapa que está marcada para acontecer em Petrópolis, meu objetivo é treinar melhor para evoluir meu desempenho, já que senti algumas dificuldades durante a prova, principalmente com a parte física. No mais, a Sense Exalt que nós testemos recentemente na África do Sul agradou bastante, encarando a prova sem nenhuma dificuldade.

Para mais informações, acesse o site oficial do Sense Enduro Cup.


Comentários



Relacionados