MENU

Quarentena olímpica pode tirar van der Poel do Tour de France

Atleta pretendia correr o Tour e a prova de XCO em Tóquio, mas exigência de 14 dias em isolamento deve mudar planos do atleta

Há alguns dias, o neerlandês Matheiu van der Poel afirmou que seu objetivo para 2021 era correr o Tour de France e a prova de XCO das olimpíadas de Tóquio. Porém, noticias divulgadas na mídia Belga sobre as novas regras de isolamento para os jogos olímpicos aparentemente vão "melar" esta possibilidade.

Mathieu van der Poel
Mathieu van der Poel    Bartek Wolinski/Red Bull Content Pool

As duas provas, Tour e XCO Olímpico, são separadas por apenas 9 dias e, segundo reportagens divulgadas nos últimos dias pela imprensa belga, todos os atletas deve ficar ao menos 14 dias em total isolamento depois da chegada no Japão - as novas medidas foram tomadas depois do agravamento da pandemia da Covid-19, que ganhou bastante inércia com uma segunda onda de contaminações.

Na última segunda-feira, o pais oriental proibiu a entrada de estrangeiros não residentes no pais e, atualmente, o Japão tem uma taxa de mais de 3 mil infectados por dia - os números mais altos registrados desde maio deste ano.

Em entrevista ao jornal VTM Nieuws, van der Poel afirmou que, neste caso, sua preferência seria por correr os jogos olímpicos - o Tour está marcado para terminar no dia 18 de julho, com a prova de XCO Olímpico com data definida para o dia 24 do mesmo mês.

Decisão complicada para mais atletas

Obviamente, a quarentena obrigatória de 14 dias em uma país estrangeiro complica não só a vida de van der Poel, mas também de vários outros atletas que tinham a intenção de participar no Tour de France e nos jogos olímpicos, que ainda contam com provas de ciclismo de estrada, contrarrelógio e todas as modalidades de pista.

Dentre os nomes que pretendiam fazer a "dobradinha", temos Julian Alaphilippe, Wout van Aert, Primoz Roglic, Tadej Pogacar, Marc Hirschi e Greg van Avermaet, que venceu os jogos no Rio de Janeiro em 2016.

Segundo o doutor Johan Bellemans, médico do comitê olímpico da Bélgica, a quarentena obrigatória de 14 dias dificulta a preparação final para a prova, pela dificuldade adicional no treinamento. Além disso, a logística das delegações fica mais complicada.

"Se fosse pelo Comitê Olímpico Internacional, a quarentena seria mais curta. Porém, as autoridades do Japão exigem um período de duas semanas", explicou o médico.

De uma forma ou de outra, será ótimo que os jogos aconteçam. Se os outros esportes vão seguir a regra, o ciclismo também deve fazer isso", disse Bellemans.

Soluções?

Por conta das novas regras, o ciclista Greg Van Avermaet sugeriu encurtar o período da quarentena, o que parece ser pouco provável, ou jogar ao menos as provas de ciclismo de estrada e de contrarrelógio para o fim dos jogos olímpicos.

Atualmente, elas estão marcadas para acontecer entre os dias 24 e 28 de julho. As olimpíadas terminam em 8 de agosto.

"Se os ciclistas de estrada tiverem que escolher entre o Tour de France e os jogos, não teremos os melhores atletas nas olimpíadas, finalizou Avermaet.


Relacionados

Comentários



Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.