home

Entendendo - Tecnologias de quadros de carbono Sense


15 DEZ, 2017     Gustavo Figueiredo     5    



Há alguns anos, a Sense Bike, fabricante nacional de bicicletas, uniu forças com a Sul-Africana Swift Carbon para oferecer quadros de fibra de carbono de alta tecnologia, evitando assim o uso de quadros genéricos feitos na Ásia.

Foto 65651

Entendendo a Fibra de Carbono

A tecnologia de fibra de carbono não é recente, porém ficou mais popular ultimamente em diversos produtos. Nem por isso, deixou de evoluir a cada ano.

De forma bastante resumida, o material é composto por dezenas de camadas de tecido (as fibras) coladas por uma resina. Porém, há tipos de fibras com propriedades diferentes, como peso e resistência. Pra completar, a quantidade de camadas e direção dessas fibras vai fazer diferença no produto final.

Foto 65652

Um quadro mais simples pode ter uma mesma fibra em toda sua construção, sem muito planejamento e preocupação com que áreas devem ter quantas camadas e em que direção. Será um quadro mais pesado e sem muita mudança no comportamento nas diferentes situações.

Já um quadro top de linha terá diferentes fibras em diferentes áreas, para oferecer conforto, resistência e baixo peso. Em alguns casos, as marcas chegam a mudar completamente o tipo e a forma das camadas de carbono de um mesmo quadro em seus diferentes tamanhos. Claro que para isso o projeto e construção são muito mais complexos e caros.

Os quadros ultra-leves que unem conforto e resistência suficientes para aguentar provas de nível mundial, são meticulosamente projetados. O processo vai envolver centenas de simulações de computador e alguns protótipos até que se chegue no resultado desejável. Esses projetos podem levar de 2 a 3 anos em alguns casos.

Como as marcas usam o carbono

O carbono virou o material da moda. Portanto, muitas marcas oferecem projetos mais simples apenas para atender a demanda. É possível ver quadros de carbono mais pesados do que alguns de alumínio. Enquanto isso, outras marcas vão pelo caminho oposto, buscando a maior qualidade possível.

Foto 65653
O molde de um quadro de fibra de carbono

Para entender mais sobre esse assunto, conversamos com o gerente de marketing da Swift Carbon e responsável pelos quadros que equipam bikes como a Impact Carbon, a Invictus e Prologue da Sense.



Métodos de construção em carbono

Atualmente exitem três maneiras básicas de se fazer um quadro de carbono na Ásia: Molde Fechado, Molde Aberto e Molde Exclusivo.

Molde fechado - Trata-se da forma de produção mais barata e menos exclusiva. Basicamente é um quadro que não pode receber nenhum tipo de alteração, apenas sendo adesivado e pintado com diferentes cores para diferentes marcas de bicicleta.

Atualmente, este tipo de quadro pode facilmente ser encontrado a venda pela internet, sendo comercializados diretamente pelo fabricante ou em grandes sites de vendas de produtos do oriente. Com isso, é possível perceber a falta de exclusividade deste tipo de quadro, já que é possível para o consumidor comum ter exatamente o mesmo produto de uma marca, sendo a única diferença a pintura e os adesivos.

Alguns destes quadros tem a durabilidade comprovada, mas normalmente eles ficam abaixo dos modelos topo de linha quando o assunto é peso, desempenho e características de pilotagem.

Moldes abertos - Assim como o molde fechado, o quadro é projetado pela empresa que fabricará o modelo. Porém, neste caso, a marca de bicicleta pode alterar alguns detalhes como tipos de fibra e em alguns detalhes estéticos. Características estruturais e geometria, por outro lado, não podem ser modificados.

Foto 65654
Nos moldes abertos, apenas algumas partes podem ser customizadas

Vale ressaltar que este tipo de quadro acaba diluindo o custo de produção básica entre várias marcas. Com isso, cada marca terá um modelo "exclusivo", porém a diferença será mais cosmética do que estrutural.

Moldes exclusivos - Quadros feitos assim utilizam design e engenharia exclusivos, o que resulta na criação de um molde único para aquele modelo de bicicleta. No caso da Swift e da Sense, por exemplo, todo o projeto é feito dentro da própria Swift, sendo apenas a manufatura do quadro realizada em uma linha de montagem em uma planta na Ásia.

Foto 65655
Todas as bikes de carbono da Sense são feitas com o processo de molde exclusivo   Thiago Lemos

Por não haver diluição de custos entre várias marcas, esta é a maneira mais cara de se fabricar um quadro na Ásia. Porém, assim como outras grandes marcas do mundo inteiro, este processo garante um produto muito mais exclusivo, com conforto, rigidez, aerodinâmica e características de pilotagem escolhidas a dedo por uma equipe de engenheiros.

Lembre-se que esse tipo de quadro nada tem a ver com os "OEMs" vendidos no mercado, que normalmente não passam de falsificações sem nenhuma garantia de procedência que apenas imitam esteticamente quadros de outras marcas.

Outros diferenciais dos quadros Sense e Swift

Além do método de construção, os quadros de fibra de carbono produzidos pela Swift para a Sense incorporam algumas tecnologias que merecem destaque.

Carbon Nano Tecnology - Os quadros incorporam nanotubos (macro partículas) em sua resina de fibra de carbono. Esta tecnologia oferece um quadro de alto padrão, mais leve, rígido e 20-30% mais resistente do que um de fibra de carbono convencional. Ao todo, são necessárias cerca de 48 pessoas e 25 dias de trabalho para produzir um quadro.

Fibras Toray - A japonesa Toray é um renomado fabricante de fibras de carbono de altíssima tecnologia. Os quadros da Sense e os da Swift utilizam uma combinação de diferentes fibras unidirecionais da marca em busca da combinação perfeita entre conforto e rigidez.

Conclusão

Embora quase todos os quadros de carbono sejam feitos na Ásia, suas características de construção e qualidade são bastante diferentes, indo do projeto inicial à construção final. A Sense optou por ter um molde exclusivo, trazendo um quadro com a melhor qualidade possível. Graças a parceria com a Swift Carbon, é possível ter um produto nacional com preço competitivo e qualidade comparada a marcas internacionais.


Comentários

  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Não, amigo. É Sul-Africana mesmo.
    12 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    eduardo   

    eduardo   

    A Swift Carbon não é Alemã?
    12 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    newhouse    Embu - SP

    newhouse    Embu - SP

    Existe uma possibilidade da Sense adesivar quadros da asia igual a concorrência, mas eu acredito que quem usa bike pra valer sabe a diferença entre os componentes.Se eu pego um equipamento que supostamente é superior e não encontro diferenças, a marca cai em descredito. Eu não assumiria um risco tão grande, seria melhor ficar no arroz com feijão igual todo mundo, pra assumir esse risco eu tentaria realmente entregar um produto diferente. Resta saber se o custo beneficio vale a pena.
    12 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    bicicletada    Rinópolis - SP

    bicicletada    Rinópolis - SP

    jo creio in noel
    12 mes(es) atrás - Denunciar




  • Relacionados