MENU

Pumptrack - Um novo estilo de treinamento para ciclistas

Vicente Neto dá as dicas de treinamento

Uma estilo de diversão que também torna-se treinamento muito usado no exterior está crescendo no Brasil. É o pumptrack, uma pista no estilo bmx racing em circuito curto em que o piloto não pedala, apenas anda através do movimento do corpo com a bicicleta, mas não pensem que é moleza!

O Pedal entrevistou o piloto Vicente Neto que é um dos usuários deste novo estilo de treinamento, e dá algumas dicas de como andar no pumptrack e os benefícios que oferece para todas as modalidades do ciclismo.

Pedal: O que é o pumptrack?

Vicente Neto

"O pumptrack é uma pista em que o conjunto de curvas e rollers, propiciam ao piloto desenvolver velocidade sem a necessidade de pedalar na sua bicicleta. Eu gosto de usar o mesmo conceito de criança quando brincamos numa balança, que apenas com o movimento de pernas vamos cada vez mais para o alto."

Como explicado, um pumptrack consiste em rollers e curvas, mas de acordo com o seu desempenho os rollers podem virar doubles, triplos e as curvas saltos para outras seções.

No pumptrack é mais ou menos isso, os movimentos de pernas, tronco, braços e cabeça é o que nos fazem ser impulsionados na bike, e com isso aquela ideia de que uma curva e um obstáculo em uma pista eram elementos para se dificultar, hoje acabou se tornando um aliado no qual você pode cada vez mais conseguir velocidade com eles.

Pedal: Como podemos cansar mais do que se estivesse pedalando?

Vicente Neto

"O pumptrack pode propiciar tanto um trabalho aeróbico quanto anaeróbico, dependendo de sua pilotagem. Chego a reparar que quando piloto com toda pressão na bike para alcançar cada vez mais velocidade, os batimentos cardíacos chegam perto da máxima!

Também consigo controlar os batimentos com uma pilotagem de menor pressão, mesmo assim ainda fluindo pela pista sem pedalar."

Pedal: Quais os tipos de treinamento que se pode utilizar no pumptrack?

Vicento Neto

"Pode-se estipular diversos tipos de treino num mesmo, por exemplo:
Se quero fazer um trabalho de resistência, piloto de forma moderada com maior longevidade, menor velocidade, estipulando um número de voltas maior ou tempo.

Se pretendo trabalhar a explosão, estipulo uma pilotagem agressiva com o máximo de velocidade que puder alcançar, no caso do pumptrack que treino, 4 voltas ou 1 minuto neste ritmo já lhe deixam exausto.

Dentro disto, cada modalidade do ciclismo pode trabalhar com o que se deseja alcançar, preparo físico e técnica misturadas no mesmo lugar."

Pedal: Como se dá o trabalho muscular e de respiração no pumptrack?

Vicente Neto

"Na minha opinião, não existe simulador melhor que um pumptrack para desenvolver os seus músculos.

A sensação de cansaço e fadiga dos músculos em poucas voltas se deve ao trabalho intenso de sincronizar, respiração, contração e relaxamento, por exemplo:

Ao atravessarmos um roller, erguemos a bike contraindo os músculos e inspirando o ar, a partir do momento em que você sente que a bike subiu nele, soltamos o ar com tudo, contraímos o abdômen e saímos dele relaxando os músculos. Para as curvas temos o mesmo procedimento, então imaginem isto com um roller atrás do outro, curvas e tudo misturado?

Por esta razão que os músculos tornam-se tão fortalecidos."

Agradecimentos

O Pedal agradece a Neto pela entrevista, e parabeniza a grande inciativa da loja Bike Tech Jardins e a Sram por financiarem a construção de um pumptrack.


Relacionados

Comentários

Outras notícias

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.