home

Por que você precisa de um medidor de potência


27 NOV, 2015     Gustavo Figueiredo    
     


Artigo traduzido por Arthur Henrique Bossi. O original está aqui.
Por Joe Friel



Você deveria comprar um medidor de potência? Afinal, eles não são baratos e o esporte já é bem caro com todos os componentes da bike e ainda com inscrições, viagens de competição, alimentos especiais, suplementos, etc. E também por que comprá-lo se você já possui um ótimo monitor de frequência cardíaca ? Isso não é só mais uma engenhoca pra ter que aprender a mexer ?

A resposta é simples: será muito mais provável que você alcance seus objetivos competitivos. Essa é a ferramenta mais efetiva para que você seja mais rápido em sua bicicleta.

imagem
O Stages está entre os modelos mais baratos e mede a perna esqueda


Não me entenda mal, os monitores de frequência cardíaca também são bons equipamentos para mensurar a intensidade do exercício, mas por si só, de fato não dizem muita coisa. É como o conta-giros de um carro que diz o quão árduo a máquina está trabalhando. Nada mais.

Por exemplo, se a sua frequência cardíaca está 10 batimentos mais alta do que o normal, o que isso significa ? É bom ou ruim ? A única maneira de responder essa questão é saber se você está empregando mais ou menos potência do que normalmente.

A frequência cardíaca não tem significado até que seja comparada à potência produzida na bicicleta. A potência produzida é crítica para o sucesso; a frequência cardíaca não. Afinal de contas, nas corridas, não se dão prêmios àqueles que empregam mais esforço ou atingem frequências cardíacas mais altas, mas sim, àqueles que completaram o percurso em menor tempo, o que é a consequência de altas potências produzidas.

imagem
Powertap P1 pode ser trocado de bike com facilidade


Chega de suposições

Comprar um medidor de potência ou rodas mais rápidas ? Quando se trata de velocidade, o motor sempre é a parte mais importante. Um medidor de potência vai te ajudar a desenvolver um motor mais potente (suas pernas). Mas com rodas top de linha você continuará com um motor fraco.

E como o medidor melhora o seu motor ? Eles retiram todo o trabalho intuitivo relacionado aos treinos e competições. Por exemplo, eu conheço atletas que quando estão fazendo treinamento intervalado com monitores de frequência cardíaca consideram o “tiro” iniciado apenas quando a frequência cardíaca alcança a zona alvo, o que pode levar vários minutos. Durante esse tempo, eles ficam indagando o quão forte devem pedalar. Com um medidor de potência, você rapidamente percebe que um tiro começa assim que a potência atinge a zona alvo. Você visualiza a intensidade do esforço instantaneamente, de forma direta. Assim, cada tiro é feito da forma mais apropriada, pois a intensidade se mantem correta do início ao fim. Isso significa uma sessão de treino sem tempo perdido e intensidade do treinamento precisa.

Além disso, perceba que você não está tentando treinar somente o seu coração quando você faz seus tiros ou qualquer outro tipo de sessão de treino. Na verdade, o que acontece em seus músculos durante os treinamentos, e não no coração, é o que realmente representa a chave para o sucesso. Monitores de frequência cardíaca são ferramentas importantes para o treinamento, mas muitos acreditam que o treinamento diz respeito ao coração somente. Errado! Os medidores de potência vão permitir que você foque a sessão de treino nos seu músculos.

imagem
As métricas permitem que você acompanhe sua evolução e treinos


Obtenha vantagem utilizando os medidores de potência

Usar um medidor de potência em uma corrida de ritmo estável, como um triathlon ou um contrarrelógio longo, é quase como trapacear. Enquanto a maioria dos competidores está brigando com o vento contra, pedalando excessivamente forte enquanto o vento está a favor, ou indagando o quão forte deve ser o ritmo durante os trechos de subida, um atleta com medidor de potência está simplesmente fazendo o seu ritmo na faixa de potência prescrita por seu treinador. Ele irá fazer o tempo mais rápido possível naquelas condições, já que a zona alvo de potência para a competição terá sido determinada previamente, através dos treinamentos e competições anteriores. Alguma coisa do tipo pode ser feita através da frequência cardíaca, porém existem certos fatores que podem gerar equívocos na interpretação da mesma, como a tensão / nervosismo da corrida, o drift cardiovascular, o efeito agudo da dieta, a menor resposta da frequência cardíaca em subidas ou acelerações bruscas e ultrapassagens.

Os medidores também proporcionam detalhes altamente precisos sobre como a sua aptidão física está se alterando ao longo da temporada. Eu testo os atletas que eu treino utilizando uma combinação de potência produzida e frequência cardíaca. Sem essas informações, eu nunca saberia de fato se eles estão fazendo algum progresso. Estaria apenas supondo. Com o medidor, eu posso comparar precisamente a relação entre potência e frequência cardíaca, de modo que potências mais altas, em testes de desempenho ou corridas, se traduzem em melhora da aptidão física.

Evolua

Os medidores são comuns entre ciclistas de estrada profissionais e estão se tornando popular entre triatletas. Ciclistas e triatletas que disputam categorias por idade também vêm adotando esta tecnologia.

Definitivamente, a tendência é que todos adotem os medidores no ciclismo de estrada, triathlon e mountain biking. Muitos estão aprendendo que eles vão ajudá-los a serem mais rápidos. Comece a economizar para que um dia você possa comprá-lo. Isso, definitivamente, vai mudar a forma como você treina e compete.

Nota do tradutor

Além dos benefícios citados, os medidores de potência permitem que se estabeleçam, de forma bem objetiva e prática, os pontos fracos e fortes do atleta. Sem laboratório, sem equipamentos extras, sem necessidade de avaliadores. Tudo em campo, treinando e competindo, em sua própria bicicleta. Consequentemente, o programa de treinamento fica bem orientado para suas necessidades e, obviamente, os resultados irão aparecer. Além disso, é possível monitorar a carga de treinamento de forma relativamente precisa, permitindo com que o treinador programe o pico de desempenho do atleta em épocas específicas, como as competições mais importantes do calendário competitivo. De um modo geral, o treinamento perde grande parte do seu caráter intuitivo, passando a ser mais matemático / científico.

Arthur Henrique Bossi - Graduado em Educação Física e Mestre em Atividade Física, Esporte e Desempenho pela UFJF. É proprietário / treinador da assessoria em preparação física de atletas BOSSI Treinamentos Personalizados.


Comentários



Relacionados