MENU

Polícia usa bombas de gás para dispersar passeio ciclístico em São Paulo

Segundo denúncias feitas nas redes sociais por grupos de ciclistas, a Polícia Militar teria evitado a realização da "Tradicional Descida a Santos", na manhã deste domingo, dia 10 de dezembro. Para dispersar o passeio, os policiais teriam utilizado bombas de gás.

O pedal foi organizado via Facebook e havia sido proibido pelo juiz Celso Lourenço Morgado, da Comarca de São Bernardo do Campo. Apesar da multa prevista R$ 300 mil para o descumprimento da decisão, a organização resolveu realizar a descida. O passeio teria contato com cerca de mil participantes, entre eles muitas crianças.

Nas redes sociais, os ciclistas afirmaram terem sido direcionados para a Interligação pela Polícia Rodoviária. Na chegada a Rodovia Anchieta, foram barrados e posteriormente dispersados por veículos da tropa de choque - momento em que foram lançadas bombas de gás e de efeito moral.

A Ecovias (concessionária que administra a rodovia) diz não ter sido avisada sobre a realização do evento e que não é contrária aos eventos com bicicletas pela rodovia, mas que estes eles não podem colocar em risco a segurança dos usuários da rodovia.


Conteúdo Relacionado

Comentários

Curiosidade, se os ciclistas pagassem o pedágio no mesmo valor das motos, teriam o mesmo direito, sim ou não?

A bike é inimiga do Estado; não paga IPVA, multa, pedágio, combustível, e tira a renda do transporte público e ainda faz o cidadão viver mais pra usufruir mais tempo a aposentadoria. Fim às bikes .

Muitos não entenderam: a questão central é que a descida *deveria ser liberada* aos ciclistas, sempre. O argumento não teria como garantir a segurança é um mero confundidor; é subjetivo e, aliás, poderia ser usado na maioria das vias nacionais, independentemente do modal.

Eu estava lá e basicamente a história que vi é a seguinte:

A EcoVias não permitiu a realização do evento.
Os organizadores mantiveram a convocação pela internet.
A EcoVias entrou na Justiça.
Um juíz de São Bernardo permitiu descida desde que a EcoVias providenciasse a segurança dos ciclistas.
EcoVias disse que não tinha como garantir a segurança, portanto a descida foi proibida.

Num certo momento tinha tantos ciclistas pedalando fora do acostamento, nas faixas de rolagem, que a policia rodoviária fechou as rodovias dos Imigrantes e a interligação para a Via Anchieta. Ou seja, mesmo com a proibição, a Polícia Rodoviária ainda deu algum apoio aos ciclistas. Haviam avisos na rodovia que o passeio não estava liberado, mas mesmo assim não havia nenhum tipo de hostilidade ou impedimento por parte dos policiais.

Depois de mais uma hora parado na Via Anchieta, um grupo de ciclistas exaltados tentaram furar o bloqueio na marra.
A PM interviu com alguma violência e começou um tumulto.
A PM lançou bombas de efeito moral para dispersar o tumulto (afinal eram uns 10 policiais contra milhares de ciclistas).
Um grupo grande (uns 400 a 500 ciclistas) começou a descer pela contra-mão e o trânsito de veículos foi parado.
A Via Anchieta ficou bloqueado por mais de duas hora no sentido para Santos.
O Choque foi chamado para dispersar a multidão e liberar a Via Anchieta.

Na verdade, acho que a polícia apenas cumpriu a ordem judicial. Houve uma grande falta de diálogo e comunicação.
E o maior culpado, na minha opinião, foi a EcoVias. Bastava liberar a descida por uma ou duas horas que estaria tudo resolvido. Assim, a EcoVias em vez de aproveitar o evento, tornou-se uma empresa anti-ciclista.

Recebi um video hoje de uma boa quantidade de pessoas que desceram no domingo a rodovia anchieta na contra mão, quem será que foi o imbecil que teve essa brilhante idéia ??? ainda mais com a estrada liberada para os carros subindo, essa foi uma atitude no minimo irresponsável e que com certeza mancha a imagem de quem quer fazer a coisa certa...

Acho que as autoridades não tiveram a sensibilidade , pois o evento tinha mais de 5 mil pessoas de bem ,que queria apenas ter um domingo legal e as autoridades conseguiram estragar tudo.Não tem problema, as eleições estão chegando e lembraremos deste episodio

Nunca fiz. Mas fiz várias vezespela Calçada do Lorena. Mas também foi fechado o acesso. Embora ainda dê para chegar pelo mato.

Já houve tentativa de organizar esse evento por parte da cicloBR, a ecovias claramente não é contra, mas queria cobrar uma fortuna milionária da organização para apoiar o evento. O valor era tão alto que o instituto nunca mais realizou a tradicional rota marcia prado desde então. Parecia que finalmente a ecovias tinha se livrado desse incomodo, quando alguém teve a infeliz ideia de organizar o evento pelo facebook. Acredito que essa novela ainda terá novos capítulos.

Já acessei a estrada de manutenção com a bike inúmeras vezes para treinar e nunca tive problemas com a polícia. Dali poderia ter seguido para Santos mas a galera evita por conta dos assaltos, então sempre acabamos voltando para São Paulo. Talvez o problema não tenha sido a bike e sim a grande quantidade de gente na estrada.

Quem vai garantir a segurança de 1.000 ciclistas? Se foi proibido, não tem nada do que reclamar.

Estavam fazendo legalmente? Parece que não.

Se fizerem com toda documentação exigida pela Polícia Rodoviária. Para a total segurança dos Ciclistas. Com escolta da propria Policia Acho que não haveria incidentes nenhum.abraços a todos.

....havia sido proibido pelo juiz Celso Lourenço Morgado, da Comarca de São Bernardo do Campo... ...foi proibido e você vai levar seu filho??

Desde que seja feita dentro da legalidade e segurança não pode existir lei contra,pois Eu,tenho este desejo de pedal há mtos anos e vejo que falta respeito,legalidade por parte do estado.

Se nao me engano é a Rota Marcio Prado.Parece que nao é aprimeira vez q isto acontece,a policia barrar os ciclistas.
Se eu nao morrer antes,um dia gostaria de fazer este trecho/ciclotur (nao moro em SP,mas tbm nao moro taoo longe,Parana)
So no sei se a policia vai deixar...