MENU

Polêmica Colunista do Globo - Resposta técnica de Gustavo Astolphi

Para quem ainda não viu, foi publicada hoje uma coluna do jornalista Leo Aversa, criticando um segmento de ciclistas que chamou de "playboys".

A reação foi imediata no mundo ciclístico, com resposta de diversas praticantes e até entidades que fazem parte do esporte.

Publicidade



Acreditamos que por falta de conhecimento técnico e mais amplo do autor, sobre o que chamamos de "ecossistema da bicicleta", a interpretação já começou errada e só aumentou o que o próprio colunista chamou de "ranço".

Portanto, resolvemos trazer uma das respostas que achamos tecnicamente bem embasadas, de Gustavo Astolphi, ciclista de competição e lojista, que tem profundo conhecimento do mundo da bicicleta.

Publicidade


Resposta de Gustavo Astolphi

Oi @leoaversa tudo bem? Leia por favor. Fala Leo tudo bem?

Eu gostaria de te explicar tecnicamente alguns pontos que te explicarão porque você achou que há playboys invadindo algum lugar.

- as cores “cheguei” são para os motoristas terem uma desculpa a menos de “não te vi” quando na verdade não olharam e acabam nos fechando ou atropelando mesmo, nos últimos 10 anos morreram 13 mil ciclistas no Brasil e 60% foram por ATROPELAMENTO.

- os sinais fechados são uma falta de informação generalizada, muitos passam sem saber o porque, outros por pressa, mas eu passo em todos vermelhos possíveis porque eu poupo energia, já que não preciso reacelerar a bicicleta, é mais seguro de fato, primeiro porque você não tem aquela largada com os carros quando o farol fica verde, sabia que mais de 70% dos acidentes envolvendo ciclistas ocorre entre 10 a 15 segundos após esse momento? Inclusive existem estudos na Europa e nos EUA sobre isso https://cycling.today/riding-through-red-lights-could-save-cyclists-lives-study-suggests/ aqui está uma matéria sobre um deles. Claro que há uma técnica em fazer isso e não apenas passar varado sem qualquer quesito.

- Eu não compreendi se você concorda com o chofer do ônibus atropelar alguém e se importar com a lataria, fiquei na dúvida.

- Sobre os valores, tudo no Brasil é extremamente caro, quem diria que teríamos telefones de 5 dígitos certo ???? Bicicletas não seriam diferente, principalmente os modelos de 5 dígitos (já tem de 6 tá?), a comparação com a barra circular não é justa, seria como comparar uma CARROÇA puxada por um motor de batedeira contra um carro importado, não queremos apenas gastar energia queremos ir mais rápido devido a excelente transmissão de potência dos pedais para o asfalto, frear em menos tempo, ter amortecimento contra nosso péssimo asfalto, retomadas e subidas mais fáceis devido a leveza e isso tudo é o que torna uma bicicleta tão cara, conseguir atingir todos esses pontos com maestria em menos de 7-8kg.

O esforço ? O esforço é o mesmo e na verdade muito maior, porque essas bicicletas permitem que façamos tudo isso por muito mais tempo e chegamos em locais tão altos, longínquos e acidentados que muitos sequer conseguem ir de carro com ar condicionado.

- Bicicleta que não exige esforço para pedalar…. Te faço um convite, vou te colocar a bordo do MELHOR que existe e levar você subir a Vista Chinesa nela, se você chegar lá em cima sem esforço, a bicicleta é sua e tô falando de uma de 6 dígitos

- Tem um problema com o preço, realmente acessibilidade é muito ruim no Brasil hoje, fico feliz demais em ver entregadores que conseguem usar as bicicletas elétricas para fazer entregas com mais rapidez e menos esforço (mas precisa pedalar ainda hein), mas ao mesmo tempo sei que existe uma infinidade de ciclistas que não conseguem comprar uma bicicleta de qualidade decente porque o Brasil tem a BICICLETA MAIS CARA DO MUNDO, adivinha porque? Porque o imposto em uma bicicleta é o DOBRO que em um… carro! Seja na Barra Forte ou na de 6 dígitos. Deprimente não? Sua próxima coluna poderia falar sobre isso: “A POLÍTICA PLAYBOY que nada no nosso dinheiro erroneamente chamando de dinheiro público” Link de referência: https://aliancabike.org.br/wp-content/uploads/2020/03/06_06_2014_14_49_analise_economica.pdf

- Nossa cara tensa pedalando… bem… aceita meu convite de pedal e você vai entender a cara tensa tentando advinhas o próximo Chofer de busão vai tirar uma fina de você.

Gustavo Astolphi pode ser encontrado no instagram @verdeciclista


Relacionados

Comentários

Outras notícias

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.