home

Peter Sagan fala sobre planos para 2019 e aposentadoria das estradas

Três vezes campeão mundial, ciclista afirma que deve correr boa parte das clássicas de primavera em 2019


11 DEZ, 2018     Gustavo Figueiredo     2    



Na última segunda-feira, durante a apresentação de sua equipe em Mallorca, Peter Sagan (Bora-Hansgrohe) afirmou que boa parte de sua primavera européia será dedicada às clássicas, começando pela Milan-San Remo em março e só parando na Liege-Bastogne-Liege, no fim de abril. Na mesma ocasião, o eslovaco disse que deve começar sua temporada novamente em janeiro no Tour Down Under.

Foto 70476
    ASO / Alex Broadway

"Decidimos fazer volume na Austrália e depois rumar para a Argentina para o Tour de San Juan. Depois, descanso um pouco e vamos para Sierra Nevada. Aí devo voltar para a Tirreno-Adriatico e seguir competindo até a Liege-Bastogne-Liege", explicou.

Com isso, o atleta perderia apenas o começo das clássicas, ficando de fora das primeiras provas no começo de março na Bélgica e também da Strade Bianche, na Itália. "Ainda existem alguns monumentos que Sagan não conquistou. Ele venceu Franders e Roubaix mas só ficou perto de vencer a Milan-San Remo. Talvez ano que vem seja a melhor oportunidade", disse Ralph Denk, Team manager da Bora.

O dirigente ainda afirmou que 2018 foi um bom ano para a equipe e que o objetivo é evoluir, mas que eles ficariam felizes com um monumento e com a camisa verde do Tour. Durante a apresentação, Sagan ainda foi questionado sobre o fim de sua carreira no ciclismo de estrada, já que algumas fontes indicam ele estaria pensando em retornar ao MTB.

"Estou feliz de fazer parte da equipe. Já se passaram dois anos e estamos começando uma nova temporada. Estou ficando velho e gostaria de passar minha experiência para os mais novos que estão chegando", explicou o atleta de 28 anos.

Aparentemente, porém, Peter Sagan ainda não está pensando muito em deixar as estradas. "Se eu começar a pensar no fim da minha carreira, então já acabou. Então acho que não", explicou. Vale destacar que o contrato dele com a Bora-Hansgrohe estende-se até 2021.



Comentários

  • avatar

    Nilton Matielli   

    Nilton Matielli   

    Caro jornalista da matéria, uma dica sobre língua portuguesa: mais é completamente diferente de mas, ok.
    1 mês atrás - Denunciar




  • Relacionados