home

Pan-Americano de MTB 2014 - Pscheidt e Raíza Goulão foram os melhores brasileiros


2 ABR, 2014     Péricles    



A elite do Mountain Bike nas Américas esteve reunida neste fim de semana em Barbacena, na 18ª edição do Campeonato Pan-Americano de MTB. Líder mundial nos mercados de bike e pesca, a Shimano foi representada por oito de seus atletas nas duas modalidades, Cross Country Olímpico (XCO) e Downhill (DHI), além de fornecer oficialmente o serviço de Suporte Neutro nas duas provas. No XCO, Ricardo Pscheidt, da equipe Trek, e Raiza Goulão, da Soul Riders, foram os brasileiros mais bem colocados da Elite, dominada por ciclistas dos EUA, Canadá, México e Colômbia.

imagem

Pscheidt terminou na sexta colocação, com 1h48min48, após sete voltas dadas no circuito de 4,85 km. Raiza encerrou as seis voltas em nono lugar, com 1h55min57. "Sabia que a prova seria longa e duríssima aqui em Barbacena. Acredito que minha experiência contou muito para atingir esse resultado. As primeiras voltas foram intensas e pedalei controlando ao máximo, para, a partir da metade começar a ganhar posições. Terminei com a honrosa sexta colocação das Américas, o que me deixa muito satisfeito", avaliou Ricardo Pscheidt, que no primeiro dia da competição conquistou o bronze do Team Relay, disputado em quarteto, ao lado de Roberta Stopa (Elite), Erick Bruske (júnior) e Luiz Cocuzzi (sub-23).

Em ambas as provas da elite o pódio ratificou o domínio de países com grande tradição no MTB. No masculino, o primeiro lugar ficou com Stephen Ettinger (EUA), da BMC Shimano/Pearl Izumi, seguido de perto por Fabio Castanheda (Côlombia), da GW Shimano, e Raphael Gagne (Canadá). Entre as mulheres, vitória de Daniela Campuzano (México), com Mikaela Kofman (Canadá) em segundo e Mary Mc Conneloug (EUA) em terceiro. Para adquirir o posto de melhor brasileiro, Pscheidt teve de superar Edivando da Souza Cruz, nono colocado, a 1min51 do ciclista Shimano. Raíza ficou apenas 21 segundos à frente de Erika Gramiscelli, décima na prova.

"Sei que todos esperavam medalhas para o Brasil na Elite, mas estou certo de que tanto a minha colocação quanto a da Raiza foram obtidas com muita luta e raça", destacou Pschedit. "Em uma batida no meio da prova entortei meu selim e comecei a pedalar de forma diferente, o que me causou muitas dores lombares. Na última volta, quando tentava ultrapassar o quinto colocado, um ciclista do Canadá, levei um tombo e tive de administrar porque começou a chover e o chão ficou bem liso", completou o atleta de São Bento do Sul (SC).

imagem

No sub-23 do XCO, Guilherme Muller (LM/Shimano) também foi Top 10, finalizando a prova em 6º lugar. Na categoria de Muller, o melhor brasileiro foi Luiz Henrique Cocuzzi, que garantiu a prata para o Brasil. Completando a lista de ciclistas Shimano da modalidade, Marcelo Cândido foi o 16º lugar, enquanto Isabella Lacerda não conseguiu terminar, abandonando após a terceira volta. Ambos fazem parte da equipe LM/Shimano.

Downhill - Diferentemente do XCO, no Downhill o pódio da Elite masculina foi dominado por brasileiros, com exceção feita ao campeão Marcelo Gutierrez (Colômbia), vencedor com 1min53s304. Os brasileiros Lucas Bertol e Markolf Berchtold ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente. Entre os pilotos patrocinados pela Shimano, Bernardo Cruz (GT Bikes) foi o melhor com 2min00s604 e terminou em décimo. Com o mesmo tempo de 2min10s214, os atletas da Giosbr Eduardo "Monstro" e Tiago Farinelle concluíram na 23ª e 24ª colocações, respectivamente.


Comentários



Relacionados