MENU

Olimpíadas Rio 2016 - Com seis meses de atraso, velódromo é entregue

     

Com seis meses de atraso e custando quase 150 milhões de reais, mais do que os 118 milhões previstos, foi entregue neste domingo (26) o velódromo que será utilizado nos jogos olímpicos e, segundo a promessa, ficará de legado para atletas de alto rendimento, com uso combinado com alunos da rede municipal e eventos.

Com os constantes atrasos, o complexo equipamento não ficou pronto a tempo do evento-teste e ainda precisa de ajustes e acabamento, sendo a parte externa a mais problemática.

imagem


Atrasos, contratos quebrados e erros no projeto

O atual velódromo foi construído para entrar no lugar do dos Jogos Pan-Americanos de 2007 que não atendia às exigências do COI para a realização de olimpíadas. Para a execução de um novo projeto foi aberta uma licitação e quem venceu foi a Tecnosolo, uma empresa em processo de recuperação judicial.

As obras que deveriam ter começado em 2014 tiveram o início atrasado em quatro meses, já que Tecnosolo detectou um erro no projeto fornecido pela prefeitura - o que acabou custando mais R$ 24,8 milhões aos cofres públicos bancados com recursos do governo federal.

Com dificuldades em tocar a obra e fazer as entregas no prazo, a Tecnosolo foi notificada pela Prefeitura e solicitou a contratação da empreiteira Engetécnica para a conclusão dos trabalhos. Com a pista de pinho siberiano tendo sua montagem iniciada em Abril, a prefeitura rescindiu o contrato com a Tecnosolo, deixando a Engetécnica como única responsável pelo término da obra em maio.

Depois da entrega ao comitê olímpico, alguns atletas tiveram a oportunidade de treinar na pista e o resultado foi bastante satisfatório. Segundo eles, o traçado e a pista são comparáveis aos melhores do mundo. Agora, resta torcer para que esta importante peça não seja abandonada depois dos jogos olímpicos.

     


Comentários