MENU

Não seja estúpido - Respeito no Freeride Urbano

Dicas de como manter nosso esporte respeitado

Com a nova explosão do mountain biking e o crescimento do freeride urbano, estão surgindo muitos adeptos que são motivados pela radicalidade do esporte e acabam esquecendo a responsabilidade. Isso acontece na maioria das vezes por causa da pouca idade de muitos praticantes e pela própria natureza do esporte, que em alguns estilos fazem com que os pilotos precisem andar em alta velocidade em locais que são reservados exclusivamente para pedestres.

Pelas leis brasileiras, a bicicleta é um veículo. Não há discussão quanto a isso. E veículos não devem disputar espaço com pedestres em calçadas. É claro que essa regra não é rígida em quase nenhum lugar do mundo. Sempre existe alguém que anda um pouco na calçada aqui e ali. Ainda mais com as condições das ciclovias e ruas na maior parte do Brasil. Porém, é preciso cuidado. O pedestre sempre terá prioridade. A atitude dos ciclistas fazem muita diferença em como os pedestres os enxergam e respeitam.

No urban, ou freeride urbano, pode ser ainda pior. Altas velocidade, trocar a rua por calçada subitamente, usar monumentos e praças como obstáculos pode trazer antipatia dos mais conservadores e isso pode afetar um esporte como um todo.

Preparamos algumas regras que todo freerider, iniciante ou experiente, deve seguir para que o esporte traga fascínio e não antipatia do público.

1 - CRIANÇAS BROTAM DO CHÃO

Se você achou um gap ou uma escada perfeita em uma praça que esteja com crianças, volte mais tarde. Não interessa se as crianças estão a 100 metros da sua bicicleta, elas de uma hora pra outra saem correndo umas atrás das outras. E de qualquer maneira, qualquer pai se irrita com a presença de qualquer ameça para seus filhos. Tenha certeza que se você fizer algo arriscado, mesmo que a 10 metros de uma criança, você trará antipatia. Crianças brotam do chão, e normalmente por onde você está passando.

2 - O AMBIENTE É PÚBLICO E PAGO POR TODOS

Danificar monumentos, bancos, mesas, etc, é crime. Nosso esporte não é destrutivo com os obstáculos. O contato que normalmente temos é apenas com os pneus que no máximo sujam até a próxima chuva. Essa é uma grande vantagem, pois é muito mais difícil de guardas municipais reclamarem por isso. Mas lembre-se que eles PODEM reclamar de qualquer maneira. Afinal, é o trabalho deles. Existem muitos obstáculos e nossas bikes podem percorrer distâncias com facilidades. Se o seu obstáculo estiver cheio de guardas, volte mais tarde ou ache outro. Criar confusão só atrapalha nossa imagem.

3 - PEDESTRES NÂO SÂO OBRIGADOS A GOSTAR DE BIKE

Os freeriders podem trazer fascínio ou antipatia. Mesmo que você execute um backflip com perfeição, ninguém é obrigado a gostar disso e sair da sua frente para que você possa executá-lo. Fora das pistas os freeriders não estão mais no seu direito, então é preciso respeitar os pedestres e de preferência evitar horários de pico. Quanto menos pedestres melhor.

Muita gente nova tem atitude babaca. Acha legal pular para uma calçada passando bem perto de pedestres, gritar, etc. Você pode acabar causando um acidente principalmente com uma pessoa idosa quando tem uma atitude dessas. Ninguém é obrigado a saber que uma bicicleta a 30, 40 km por hora de uma hora pra outra vai atravessar uma calçada.

4 - AS LEIS DE TRÂNSITO EXISTEM

Ciclistas quando em trânsito fora de ciclovias devem andar no sentido dos carros. A lei é essa. Mais uma vez, devido a diversos fatores é impossível respeitá-la sempre. Não é por isso que você deve desrespeitá-la o tempo todo! Se algum acidente acontecer, você não terá direito de reclamar.

Outra coisa que alguns grupos as vezes fazem é achar que são os donos da rua. Não é proque seu grupo é de 20, 30 ou 40 que você deve ocupar uma pista inteira de carros. Eles não tem nada a ver com nossa diversão! Alguns tentam executar manobras no meio do trânsito. Já vi gente executando manuais a 30 por hora em ruas escuras e com trânsito pesado. Isso além de deixar motoristas inseguros, pode causar acidentes graves. Lembramos que atropelamentos nessas velocidades podem ter conseqüencias graves como mutilações. Não existe a menor necessidade disso.

5 - USE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO

Apesar de ser uma regra básica, muitos não seguem. Mesmo que você seja muito bom e não saiu com o intuito de arriscar nada perigoso, alguma peça da sua bike pode quebrar. Nosso esporte é perigoso e existem situações imprevisíveis. Não dê bobeira, use pelo menos o capacete. Além da proteção, ciclistas que parecem mais profissionais normalmente são mais respeitados no trânsito.

Nenhum dessas regras faz diminuir as possibilidades dos esportes. Muitas delas seguem as questões básicas de respeito e não segui-las pode trazer uma imagem negativa e restrições para o esporte. A grande maioria pode ser prejudicada por meia dúzia de irresponsáveis. Basta uma fruta podre pra estragar uma jarra de suco.

Autor

Pedro Cury

Editor

Pedro Cury pedala desde os anos 90, é fundador do Pedal.com.br, editor técnico da Revista Bicicleta e fotógrafo profissional.


Relacionados

Comentários

Outras notícias

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.