Seção de Fotos Vazia Mundial XCO - Masculino - Pedal
home

Mundial XCO - Masculino


9 SET, 2007     Guiné    



O tempo estava melhor do que o início da prova feminina. Dos 108 atletas que largaram, apenas nove não completaram a prova por força maior.

A briga foi dura para Rubens Donizete. O brasileiro até que começou bem, largando na terceira fila. Mas a pressão de um mundial é algo inexplicável. Bom, não sabemos se Rubinho teve algum problema durante a competição. Mas pelas suas parciais em cada volta, tudo indica que ele não teve problemas.

Confiram tudo como foi!

:: Primeira volta

Assim que largaram, Geoff Kabush (Canadá) e Julien Absalon (França) dispararam na frente até a primeira subidona.

Para quem não sabe, Kabush era dúvida até a prévia da prova. Ele chegou na noite anterior num vôo do Canadá. O campeão canadense tinha sofrido um corte durante os treinos da semana passada: tomou 25 pontos. O médico não tinha liberado para competir, mas a vontade de representar o país no mundial foi maior.

Voltando para corrida, no meio da subidona, o pelotão composto por José Hermida (Espanha), Christoph Sauser (Suíça) e Florian Vogel (Suíça), ultrapassa Kabush e Absalon.

O ritmo da prova estava muito forte. Absalon e Kabush tinham caído de produção e já estavam na sétima e décima oitava colocação; respectivamente. Thomas Frischknecht estava na 50ª colocação.

Rubinho registrou a sua primeira volta na 23ª colocação. Seu tempo foi de 22:28s. Excelente volta!

:: Segunda volta

A segunda volta já muda tudo novamente. A surpresa é que Vogel dispara para o subidão e coloca cerca de 10 segundos do pelotão.

Esse pelotão vinha pedalando com a força de um “trem bala”, tendo como protagonistas: Roel Paulissen (Bélgica), Absalon, Hermida, Sauser, Ralph Naef (Suíço), Fredrik Kessiakoff (Suécia), Christoph Soukup (Áustria), Cedric Ravanel (França), Jean-Christophe Peraud (França), Marek Galinskye (Polônia) e os irmãos: Manuel e Lado Funic.

Com certeza esse pelotão ficará para história do MTB mundial como um dos mais fortes da história. Lógico que faltavam outros pilotos top. O americano Adam Craig era um deles. Aquele mesmo que ganhou o ouro PAN. Craig estava na 24ª colocação. Kabush caiu para 30º.

No final da segunda volta, o “trem bala” começa soltar os vagões. Destaque para: Hermida, Vogel, Absalon, Paulissen e Manuel Fumic que são os únicos a ficarem. Kessiakoff e Peraud estão com 10 segundos atrás. E com 15 segundos estão vindo Lado Fumic, Soukup, Naef e Fluckiger.

Rubinho faz a segunda volta em 24:11s e registra na 40ª colocação. Seu tempo de prova naquela momento era de 46:39s.

:: Terceira volta

Toda ordem atrás é mudada novamente na terceira volta.

Destaques para Kessiakoff que encosta no pelotão na subidona; Sauser tem problemas e registra a volta na 15ª colocação; e Craig que ganha ganha mais quatro posições. Sem grandes emoções, a terceira termina.

Rubinho mantêm a mesma média da volta anterior com o tempo de 24:12s e recupera mais três posições, ficando na 37ª colocação. Seu tempo de prova naquele momento era 1:10:52s.

:: Quarta volta

Lá na frente, a briga é boa para ver quem ficava em primeiro na subidona: Hermina troca palavras com Kessiakoff. Sem sombra de dúvidas, a grande surpresa é sueco. Ninguém poderia esperar ele pedalando com os tops, além do mais brigando posições.

Depois da “briga”, o pelotão é puxado na subidona pela ordem: Hermida, Kessiakoff, Absalon, Vogel, Paulissen, Manuel Fumic e Peraud; que acabara de encostar novamente no grupo.

Estava tudo normal até que no meio da quarta volta Julien Absalon ataca num trecho relativamente normal. Os demais competidores ficam sem reação, mas partem para perseguição. O ritmo é intenso, mas Absalon destaca mais ainda.

Até o registro da volta, o francês colocava 30 segundos de diferença. Sauser entreva no ritmo de prova novamente e parte em busca do tempo perdido.

Rubinho termina a volta com o tempo de 25:53s na 51ª colocação. Seu tempo de pedal já estava em 1:36:45.

:: Quinta volta

Absalon pedalava sem ameaças. No trecho de downhill, por exemplo, ele demonstra técnica e coloca mais tempo ainda no pelotão. Agora são 45 segundos.

Mesmo com essa diferença, a perseguição estava implacável. Vogel, Paulissen, Manuel Fumic, Peraud e Kessikoff faziam revezamentos em busca do francês. Hermida não estava no bloco.

O espanhol vinha atrás com Naf, seu companheiro de equipe na World Cup. O espanhol mostrava sinais de cansaço e Sauser já era uma ameaça naquela altura da competição.

Julien Absalon é um especialista em chuva, lama e frio. Todos esses “tormentos” transforma-lhe um exímio piloto. Nada tirava o título de suas mãos. Apenas uma falha da bike!

No final da volta, Naef passa ser o destaque da prova. Sua ultrapassagem pelo pelotão é incomparável.

Rubinho segue firme e forte. Sua volta é com o tempo de 27:33s. Seu tempo de prova estava em 2:04:18s. E sua colocação era 61ª.

:: Última volta

Naef partia em busca de Absalon, que caia um pouco de rendimento. O pelotão agora brigava entre si. Todos queriam um lugar no pódio. Fredrik foi o primeiro a desgrudar partir para o ataque. Ele saiu da sexta posição no bloco para ser o terceiro. Da forma que ele pedalava, ninguém acompanhava.

Diversos pilotos caem de produção e outros sobem. É o troca-troca de posições. Hermida está em décimo. Sauser ganha mais posições. Fumic perde! Vogel está bem! Paulissem está no ritmo.

Mas tudo isso já era. Julien Absalon fatura o tetra campeonato inédito e entra para história mais uma vez com esse título. Ralph Naef quase chegou lá. Florian Vogel surpreende e fica em terceiro.

Confiram as parciais das voltas de Julien Absalon no total de 51.38km com a sua velocidade média de 22.48km/h:
1ª volta – Tempo 22:06s
2º volta – Tempo 22:46s
3º volta – Tempo 23:00s
4º volta – Tempo 22:51s
5º volta – Tempo 23:08s
6º volta – Tempo 23:13s


Mas o destaque deste mundial foi Fredrik Kessiakoff na quarta posição. Ele fez o melhor tempo de todos os pilotos na úlitma volta: 2:44s. Será que ele pedalou muito? Sim! Ele começou a disputar o sprint final com Manuel Fumic bem atrás. Mas o alemão não aguentou e desistiu no final.

Mas a melhor volta foi de Florian Vogel: 21:39s; a primeira volta.

Rubinho chegou na 75ª colocação com o tempo de prova 2:35:06. A sua volta foi registrada com 30:48s.

Resultados:
1. Julien Absalon (França) 2:17:06
2. Ralph Naef (Suíça) 2:17:31
3. Florian Vogel (Suíça) 2:17:59
4. Fredrik Kessiakoff (Suécia) 2:18:07
5. Manuel Fumic (Alemanha) 2:18:10
6. Christoph Sauser (Suíça) 2:18:14
7. Jean-Christophe Peraud (França) 2:18:25
8. Roel Paulissen (Bélgica) 2:19:10
9. Lukas Flückiger (Suíça) 2:19:13
10. José Hermida (Espanha) 2:19:16

75. Rubens Donizete (Brasil) 2:35:06


Comentários



Relacionados