home

Nota de falecimento: Anésio Argenton - Maior ciclista que o Brasil já teve

Único ciclista a conquistar OURO em Panamericanos


4 OUT, 2011     Guiné    
     


É com muita tristeza que o site Pedal publica esta notícia.

Morreu no início da noite desta segunda-feira (03/10/2011), aos 80 anos, o ex-ciclista Anésio Argenton. Ele teve um câncer de intestino há oito anos, havia se recuperado, mas a doença voltou há dois meses.

Argenton passou por uma cirurgia há duas semanas e na última quinta-feira foi para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Paulo com hemorragia interna.

O corpo foi velado durante a madrugada e o enterro será nesta terça-feira, mas a família ainda não definiu os locais.

Anésio Argenton - Uma lenda viva


“Fui para as Olimpíadas sozinho. Não conhecia nada, não tinha um técnico, ninguém que pudesse me ajudar". “Para chegar na Austrália viajei uma semana em aviões do correio”.

Nascido em 14 de março de 1931, na cidade de Boa Esperança do Sul, Argenton é um dos maiores ícones da modalidade.

Ao lado de grandes atletas do ciclismo brasileiro, como Mauro Ribeiro, vencedor de 1ª Etapa do Tour de France em 1991, e de Murilo Antônio Fischer, 5º colocado no Campeonato Mundial Elite de 2005 em Madrid, Anésio Argenton foi apontado como um dos 100 maiores atletas do século passado pela revista Época, em edição especial publicada em 1996.

O ex-ciclista era aposentado da antiga Estrada de Ferro Araraquara e morava na cidade ao lado da esposa e das filhas. Ainda jovem, começou a praticar o ciclismo pelas estradas de terra da cidade, onde começou a se despontar em competições pelo Interior do Estado.

Em seguida, partiu para o mundo, levando o nome da Morada do Sol e da Associação Ferroviária de Esportes (AFE) e, posteriormente, da empresa Caloi S/A.

Araraquara homenageia o atleta todos os anos, em agosto, com a prova ciclística "Troféu Anésio Argenton".

Anésio Argenton conquistou a única medalha de ouro do ciclismo brasileiro no Panamericano de 1959, em Chicago. Ele é patrono, desde 1998, da prova de ciclismo que acontece anualmente em Araraquara. O tradicional circuito “Troféu Anésio Argenton” é realizado na Via Expressa, no mês de agosto, em comemoração ao aniversário da cidade.

História

Anésio Argenton (Boa Esperança do Sul, São Paulo, 1931) foi tetracampeão brasileiro, bi-sul-americano e o único ciclista brasileiro que conquistou uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos, em Chicago, no ano de 1959. Nos Jogos Pan-americanos de São Paulo, em 1963, ficou com o bronze.

Apaixonado pelo ciclismo desde a infância, o menino que começou fazendo entregas para um armazém superou todas as barreiras, a pobreza, nenhum velódromo para treinos, treinar em estradas que não eram asfaltadas, ir para as Olimpíadas sozinho, por falta de recursos, sem conhecer nada e sem técnico.

Nas participações em Olimpíadas, Argenton obteve a nona colocação na prova de velocidade em Melbourne- 1956, na Olimpíada de Roma – 1960, ficou em quinto(recorde brasileiro que durou 20 anos) e sexto lugar, respectivamente nas provas de velocidade e de 1.000 metros contra o relógio.

Afastou-se do ciclismo em 1967, ao correr seu último Pan-Americano em Winnipeg, no Canadá.

Resultados

- 9º lugar na prova de velocidade nos Jogos Olímpicos de Melbourne (Austrália – 1956);
- Ouro na prova do quilômetro contra o relógio nos Jogos Pan-americanos de Chicago (Estados Unidos da América - 1959);
- 5º lugar na prova de velocidade nos Jogos Olímpicos de Roma (Itália – 1960);
- 6º lugar na prova de 1.000 metros contra o relógio nos Jogos Olímpicos de Roma (Itália – 1960);
- Bronze na prova do quilômetro contra o relógio nos Jogos Pan-americanos de São Paulo (Brasil - 1963).

Parabéns Anésio Argenton

O site Pedal expressa o sentimento de profundo pesar pelo falecimento do ciclista olímpico Anésio Argenton.

Agradecemos por todas as suas conquistas alcançadas dentro e fora da pista. O ciclismo brasileiro nunca esquecerá!


Fotos (2)

foto 0 - Anésio Argenton foto 1 - Anésio Argenton Mais Fotos

Comentários





COMENTÁRIOS [6]


Relacionados