MENU

Manutenção do Sistema Imunológico - 1ª Parte

O PEDAL solicitou o presente artigo à Universidade Federal da Bahia, que por intermédio do ciclista e estudante, Péricles Maia Andrade, coordenou a elaboração do mesmo, tendo como destaques: o estudante de nutrição, Marlus H. Queiroz e o Prof. Ricardo W. Portela; Professor de Imunologia do Instituto de Ciências da Saúde (ICS).

A equipe do artigo separou o mesmo em duas partes. Confiram a primeira parte.


:: Manutenção do Sistema Imunológico

No meio ambiente, existe uma grande variedade de agentes infecciosos – vírus, bactérias, fungos, protozoários e parasitas multicelulares, que podem causar diversas doenças, podendo levar o hospedeiro (nesse caso o homem) a óbito, se sua multiplicação no organismo ocorrer de forma descontrolada. A nossa existência se deve a uma máquina poderosa de defesa do nosso organismo, o Sistema Imunológico.

Porém, os microorganismos são seres complexos, que foram capazes de se especializarem evolutivamente e desenvolver mecanismos de sobrevivência dentro de seus hospedeiros, e é por isso que devemos estar bem condicionados fisicamente, realizando a manutenção correta do nosso sistema imunológico.

Existem dois tipos de respostas imunológicas geradas contra invasores: a resposta Inata (que é a primeira linha de defesa do nosso organismo, sendo efetuada por várias células, entre elas células fagocíticas, que englobam e destroem organismos estranhos, utilizando mecanismos inespecíficos de reconhecimento) e a Adaptativa (que atua através de Linfócitos T e B, promovendo memória imunológica e reconhecendo especificamente cada microrganismo).

Como o sistema imunológico funciona através da migração e da proliferação de células, bem como através da secreção de diversas moléculas que farão a comunicação entre esses mesmos tipos celulares, é importante ingerir nutrientes em quantidade e qualidade suficientes para sustentar essas atividades, e dessa forma eliminar agentes infecciosos.

Os nutrientes como carboidratos, lipídeos e proteínas, são a base para a formação das células de defesa (Linfócitos T e B, Células NK, Macrófagos, Células Dendríticas), constituem suas fontes energéticas, e são essenciais para que essas se encaminhem para os locais aonde ocorreu a infecção com determinado agente, bem como para a síntese das moléculas secretadas por estes. É ideal adaptar o consumo de calorias à realidade de cada individuo, de acordo com seu gasto energético. Mas é bom saber que a ingestão média de calorias para um brasileiro adulto saudável, é de 2 mil calorias diárias.

Quando o consumo de calorias diminui além do normal, a prioridade do organismo é manter as funções vitais básicas, como funcionamento do coração e pulmão, deixando assim o fornecimento de nutrientes para o sistema imunológico em déficit. Além disso, quando o consumo dos carboidratos e lipídeos é diminuído, o organismo utiliza o aporte protéico para gerar a energia necessária. Esse processo no atleta pode acabar resultando na perda de massa magra ou muscular. O índice de massa corpórea (IMC) é um bom parâmetro para saber se você está no peso ideal. O IMC é o cociente entre o peso (em quilos) e o quadrado da altura (em metros). Se o resultado obtido for menor que 18,5, você precisa de uma alimentação melhor. A variedade na dieta é fundamental.

A fórmula é a seguinte: IMC = P/H2

Seu Sistema Imunológico está sendo afetado pelo seu status físico-psicológico? Stress causado por falta de sono, ou outras condições, pode influenciar na sua capacidade de se defender de microrganismos?

O sono é um fator crucial para a boa condição física do atleta, e dormir bem e relaxar previne muitas infecções e doenças. Ficar sem dormir provoca estresse físico e emocional, e desencadeia liberação de hormônios, principalmente endocorticóides, que afetam diretamente a função das células do sistema imunológico, podendo levar à inibição de suas funções, ou mesmo indução de apoptose. Pesquisadores do GEPEC (Grupo de Estudos e Pesquisas em Ciclismo) da UFSM afirma que mais vale duas horas de sono, do que 200 km de pedal.

Um bom teste para saber a sua deficiência de sono é: comece a ler, se não terminar duas páginas sem bocejar, é sinal de sono.

Deve-se lembrar também que em situações caracterizadas como “stress”, há intensa liberação de corticóides pela glândula supra-renal, e esses corticóides funcionarão como um agente inibidor de diversas células do Sistema Imunológico, podendo até mesmo causar um estado de imunodepressão.


:: A saúde das células os tecidos é essencial para uma resposta imunológica bem sucedida.

É fundamental importância que se tenha o músculo trabalhando de forma integral, e para isso é necessário o aminoácido glutamina, que é essencial para o crescimento muscular. O organismo consegue produzi-lo, porém em exercícios longos e intensos, provoca uma drástica redução da substancia, podendo causar lesões teciduais. Se a glutamina estiver em déficit, o organismo utilizará a musculatura esquelética como fonte desse aminoácido, desestabilizando o músculo. Uma das opções é ingerir salmão, por exemplo, para garantir o fornecimento de glutamina.

Em casos de lesões teciduais, o Sistema Imunológico também atua de forma extremamente importante, participando da remodelação tecidual. Mas se as células imunológicas encontram-se ocupadas tentando reparar tecidos danificados, pode haver um déficit na resposta a parasitas que estejam infectando o organismo nesse instante, além do que deve-se levar em consideração que lesões teciduais são portas de entrada para diversos microorganismos, favorecendo a infecção por estes, e expondo diversas células do organismo à ação de toxinas.


:: Treino e potencial energético do organismo

Treinar é a base para ser bem sucedido nas competições, porém seu corpo precisa ser bem suplementado com a ingestão correta de carboidratos (para repor as necessidades energéticas), proteínas (que são precursoras de hormônios e diversas substâncias secretadas pelas células imunológicas, chamadas de citocinas), sais minerais, fibras, vitaminas e líquido, observando a quantidade certa para a necessidade de cada indivíduo. Se seu organismo é mal suplementado, as células de defesa estarão em déficit para atuarem no combate as infecções, principalmente devido ao fato de que essas células funcionam primordialmente através da mitose e multiplicação após o reconhecimento de moléculas estranhas ao organismos, e para que as células possam se dividir, é necessário o estoque adequado de proteínas, açúcares, lipídios e outros, para que possam compor essas novas células produzidas. Além disso, diversos sais minerais e vitaminas, como o zinco, o magnésio e a vitamina B12 funcionam como co-fatores importantes para o processo de mitose, o qual se encontra prejudicado na sua ausência.

Portanto a alimentação adequada é fundamental para bons resultados nos treinos e competições e na defesa do organismo.


:: Equipe do artigo

Supervisão: Prof. Ricardo W. Portela – Professor de Imunologia do Instituto de Ciências da Saúde (ICS) da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Péricles Maia Andrade: Estudante de Medicina Veterinária da UFBA – Estagiário do Laboratório de Microbiologia do ICS (Instituto de Ciências da Saúde - UFBA).

Colaboração: Marlus H. Queiroz – Estudante de Nutrição da UFBA.


Relacionados

Comentários



Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.