home

Indústria de Bicicletas Cresce 8,6% No Primeiro Trimestre


11 ABR, 2018     Gustavo Figueiredo    



As indústrias de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) fecharam o primeiro trimestre com saldo positivo. Dados da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares mostram que, entre os meses de janeiro e março, saíram das linhas de produção 158.699 bicicletas, volume 8,6% superior ao registrado no mesmo período de 2017 (146.097 unidades).

Foto 67254
   Pedro Cury

“O crescimento de quase 9% está alinhado com a projeção que o segmento fez para 2018, considerando o aumento da demanda por produtos de maior valor agregado que são considerados ideais para a melhoria da mobilidade urbana e o alcance de resultados mais significativos nas práticas esportivas. Esta é a tendência que deverá prevalecer ao longo do ano”, afirma João Ludgero, vice-presidente do segmento de Bicicletas da Abraciclo. A projeção da entidade é fechar o ano com 727 mil bicicletas produzidas no PIM, o que representará alta de 9% sobre as 667.363 unidades registradas em 2017.

Ainda segundo dados da Abraciclo, na análise isolada de março também houve avanço. Foram fabricadas 60.682 bicicletas no mês, alta de 1,7% sobre o mesmo período do ano passado (59.649) e de 31,2% na comparação com fevereiro (46.265).

Os volumes de bicicletas produzidos no PIM foram distribuídos, para comercialização, para as seguintes regiões do País: Sudeste, com 60,7% das unidades; Sul, com 15,4%; Nordeste, com 13,2%; Centro-Oeste, com 6,3%; e Norte, com 4,5%.

Resultados por Categoria

Os dados divulgados pela entidade mostram também que em março foram produzidas 33.930 bicicletas da categoria Urbana, correspondendo a uma alta de 45,9% sobre fevereiro (23.258 unidades). Mountain Bike, MTB, contou com 26.015 um unidades, com crescimento de 17,3% na comparação com o mês anterior (22.181 unidades). Por último, aparece a categoria Estrada, totalizando 737 unidades, significando uma queda de 10,8% sobre fevereiro (826 unidades).

No que diz respeito à participação, a Urbana aparece no topo do ranking, com 55,9%, seguida de MTB, com 42,9%, e Estrada, com 1,2%. Vale destacar que o segmento MTB vem crescendo principalmente porque é um tipo de bicicleta muito utilizada para o uso urbano, apesar da sua aplicação clássica como veículo off-road.


Comentários



Relacionados