MENU

Grupo de investidores franceses salvam Mavic da falência

Empresa deve focar em cubos, aros e rodas, com 105 empregos tendo sido salvos pela aquisição

     

Depois de meses de deliberações, a justiça de comuna francesa de Grenoble permitiu que o grupo Bourrelier assumisse o controle da Mavic, tradicional fabricante francês de componentes de bicicleta com grande foco em produção de rodas.

Os problemas financeiros da Mavic vieram a público há alguns meses, quando a empresa entrou com um pedido de falência na justiça ainda em maio deste ano.

Ao todo, mais de dez candidatos apresentaram propostas em uma tentativa de assumir o controle da marca, com uma das mais destacadas vinda de ninguém menos que Bernard Hinault, ciclista francês que já venceu cinco Tours de France também conhecido como "Texugo" por sua agressividade - sua proposta contava com uma parceria com outros esportistas daquele país.

Apesar disso, um grupo chamado Grenoble Commercial, que também detém a Bricorama, uma importante cadeia de lojas de materiais para casa, apresentou a melhor proposta. De acordo com a mídia internacional, o grupo apresentou um plano para salvar 105 empregos na Mavic, o que é mais ou menos a metade dos funcionários - a manutenção de empregos é um fator decisivo neste tipo de decisão na França.

"A Mavic deve redescobrir a dimensão da Família SME, com governança ágil e capacidade de tomar decisões de forma autônoma que fizeram falta nos últimos anos, com um novo foco no que foi a origem do sucesso da marca", afirmou rance Bleu, representante da Bourrelier.

Segundo ele, nesta nova fase, a empresa deve focar na produção de rodas, cubos e aros, distanciando-se de outros mercados como o de acessórios, capacetes, sapatilhas e vestuários.

"Achamos que o grupo tinha o que precisava para assumir o controle da Mavic. É uma proposta coerente, que não destroi nada daquilo que criamos, mas chega apenas para aperfeiçoar", finalizou Gérard Meunier, secretário da Mavic.


Conteúdo Relacionado

Comentários