home

Grande Parque Ciclístico começa a ser construído no Alemão

Obra pode ser considerada uma das maiores da América Latina


1 FEV, 2014     Péricles    



Moradores do Alemão terão muito que pedalar. Começou a ser construído hoje o primeiro parque de ciclismo do Brasil e o maior da América Latina. Será um conjunto de pistas para lazer, treinamento e competições. Versátil, o espaço poderá receber várias modalidades do esporte, desde o bicicross a exibições de manobras radicais.

A iniciativa faz parte de um projeto da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer e a Light, que vai reformar praças e espaços esportivos dentro de 14 comunidades com UPPs. O local do ‘bike park’ é a Pedra do Sapo, no Complexo do Alemão. O local onde o parque será construído ficou conhecido quando a polícia ocupou o conjunto de favelas, em 2010: por ali, bandidos armados fugiram dos policiais, em uma cena que correu mundo.

imagem
Foto: Reprodução


"A recuperação de espaços como este é importante para a autoestima dos moradores da comunidade. O esporte, de maneira geral, não tem preconceitos, não escolhe classe social e é uma grande forma de integração." Disse André Lazaroni sobre o projeto de R$3,5 milhões, que tem parceria com a Light.

Os ciclistas do Alemão mal podem esperar pela inauguração, prevista para 30 de março. “Aqui é um lugar muito alto, é complicado andar de bike. Ter uma pista como essa aqui no morro vai ser muito bom”, diz Isaías Cardoso, 18 anos. Mateus Ricardo, 18, sabe bem destas dificuldade: “Aqui tem muito carro, e as ruas são estreitas. Vai ser ótimo ter um lugar bacana para praticar.”

O projeto segue padrões da União Ciclista Internacional. “Ele terá uma estrutura equivalente aos maiores bike parks dos EUA na modalidade BMX”, elogia Claudio Santos, presidente da Federação de Ciclismo do Rio. Para o ciclista e morador da Grota Filipe Cândido, 24, o parque ajudará a propagar o esporte na região: “Não duvido que saiam grandes atletas daqui”.

Do sonho às Olimpíadas

A ideia do bike park surgiu quando o empresário esportivo Daniel Barcinski, viu a Pedra do Sapo em 2010, durante uma competição que organizava no morro. “O sonho sempre foi colocar esse projeto na comunidade”, revela. Localizado a menos de 10 minutos do Teleférico do Alemão, o parque terá 1.100 m² de área pavimentada e 4.500 m² de área construída.

Segundo Tiago Valia, engenheiro responsável pelas obras, o local servirá também para as Olimpíadas de 2016: “Provavelmente, vai abrigar equipes nos Jogos. Ele terá alojamentos para os atletas.”


Comentários



Relacionados