home

Governo português prentende investir em bicicletas elétricas


16 JAN, 2014     Guiné    



O setor das bicicletas elétricas de Portugal está para começar pedaladas significativas, e o objetivo da indústria é, levar a construção e montagem deste tipo de veículo e transformar os portugueses em adeptos desta nova geração de bicicletas nas deslocações urbanas.

O secretário-geral da ABIMOTA, a Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins, Paulo Rodrigues, estima que as bicicletas elétricas podem gerar um negócio no valor de 80 milhões de euros em Portugal.

As previsões de Paulo Rodrigues levam em conta a evolução que a área das e-bikes – como são designadas as bicicletas elétricas - , está na Europa. “Na Europa este setor está a crescer e em Portugal pode atingir nos próximos três anos um volume de negócios na casa dos 80 milhões de euros. Mas para isso temos de crescer ao mesmo nível de outros países da Europa neste tipo de utilização”.

Em Portugal, os adeptos das bicicletas são já alguns milhares, mas a utilização em deslocações medianas, tipo: casa x trabalho.

“Atualmente estima-se que existam cerca de 250 mil utilizadores de bicicletas normais. A nível europeu há 50 milhões de utilizadores de bicicleta e deste total 7% a 8% já usa a bicicleta nos movimentos pendulares, em Portugal apenas 1% a 2% usa diariamente a bicicleta como meio de transporte. O que achamos é que isto está a crescer e pode crescer ainda mais com a mobilidade elétrica”, salienta Paulo Rodrigues.

Na Europa, o setor que mais tem crescido é o das bicicletas elétricas. O secretário-geral da ABIMOTA salienta o caso da Alemanha que de “2011 para 2013 duplicou este mercado passando para 300 mil bicicletas elétricas”.


Comentários



Relacionados