MENU

Giro d'Italia 2021 - Bernal confirma seu segundo Grand Tour, Sagan ressurge

Vários talentos desfilam no mais belo espetáculo do ciclismo de estrada europeu

A prova desse ano conseguiu manter sua data original, mesmo com a pandemia. Usando de estritos protocolos sanitários que deixaram as ruas sem o tradicional público, mas com muito mais lentes para retratar o evento.

A certa calmaria das ruas abriu espaço para muitos talentos e excelentes batalhas, uma vez em cima das bikes, os ciclistas puderam tirar as mascaras, no sentido figurado e literal.

Foto 78230


Vimos nomes como Peter Sagan (Bora-Hansgrohe) mostrando que voltou a forma confirmando a camisa ciclamino (nome dado a camisa do campeão por pontos). Vicenzo Niballi (Trek-Segafredo) que mostrou sua força mais uma vez com ataques em decida, puxando o pelotão na etapa da Strada Bianche (cascalho branco em português), mas que acabou abandonando depois de um acidente e agora se concentra nas olimpíadas de Tóquio.

Já a Deceuninck-Quick-Step, equipe nos presenteou com um trabalho muito forte para o belga Remco Evenepoel, quem era o grande candidato da equipe para a Maglia Rosa (sim, a camisa de campeão na Itália não é amarela). Uma pena que Remco acabou quebrando as expectativas de se confirmar como o “Novo Eddy Mercks” após sentir a pressão da mídia e de seus temos 21 anos e cair na etapa 17.

Mas momentos como esses são oportunidades para outros, e esse foi o caso do jovem português João Almeida (tem como ser mais português que com esse nome) que foi escudeiro de Remco durante todo o Giro e só foi liberado para correr sua própria prova na etapa 18 e o fez com classe e garra, chegando em segundo e reduzindo em uma única etapa mais de 1:30 min a sua diferença para o grande nome dessa edição: Egan Bernal (Ineos-Granadiers).
Foto 78231


Bernal, foi o grande campeão da Maglia Rosa desse ano, com grande classe, o jovem colombiano encantou o mundo com uma performance fortíssima e grande delicadeza fora da bike.

Egan Bernal foi revelado ao mundo pela Fundação Mezuena, um projeto de inclusão social para revelar ciclistas de MTB que já teve vários bons resultados, mas nunca algo tão estelar como Bernal.
Foto 78229


Com apenas 22 anos de idade ele já coleciona uma Maillot Jaune (essa sim é amarela e simboliza o campeão do Tour de France) na edição de 2019 quando foi a França para ser o escudeiro de Geraint Thomas, e depois de apenas 2 dias vestido de amarelo chegou a Paris para se consagrar como campeão da prova.

No giro, a performance do pequeno colombiano encantou a todos, inclusive por abrir seus dados ao mostrar a sua “Lunch Ride” mostrou sua força e que tem muito coisa reservada para o futuro.



Em seus 3.410,9 km, algo como 45.400 metros de altimetria (incluindo centenas deles em cascalhom Alpes acima), 21 etapas com 2 apenas dias de descanso, uma Strada Bianche dentro da volta e 2 contra relógios, é certo que inúmeras histórias cercaram o Giro d’Itália 2021. E ainda mais cercarão o Tour de France 2021 que começa logo-logo e você poderá acompanhar aqui no Pedal.com.br.


Relacionados

Comentários

Outras notícias

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.