home

Giro d'Italia 2017 - Análise para a última semana de prova


22 MAI, 2017     Gustavo Figueiredo    
     


Até então, a centésima edição do Giro d'Italia tem sido um mix de momentos de marasmo e outros de extrema emoção. Porém, embora todas as etapas tenham sido bastante interessantes ao menos em sua fase final, é na liderança da classificação geral o ponto de maior destaque deste Giro.

imagem
Foto:br Giro da Itália / Divulgação

Liderado por Tom Dumoulin (Sunweb) com 2:41 de vantagem sobre Nairo Quintana (Movistar), a competição ruma para uma terceira semana que promete muitas emoções, principalmente por que, ao menos no papel, Nairo e os outros escaladores puros tem nos próximos dias sua oportunidade de virar o jogo contra o holandês.

Mudança de cenário

Embora a presença de Dumoulin na liderança seja surpreendente, certamente ela não é inexplicável. Além de estar em excelente forma e ter contado com um desempenho brilhante no contra-relógio da etapa 10 e na vitoriosa chegada em subida da etapa 14, a verdade é que, até o momento, nenhuma escalada do Giro foi extremamente desfavorável para o atual líder.

imagem
O desafio começa na etapa 16

Isso porque, até agora, o Giro cobriu menos de 1/3 das subidas programadas e ainda não tivemos sequencias de montanhas com trechos muito inclinados - um cenário em que o peso extra do Dumoulin tende a ser um problema maior.

Nas etapas 16, 17, 18, 19 e 20, teremos nada menos do que 17 subidas categorizadas e 3 chegadas ladeira acima, sendo as outras posicionadas logo depois da descida. Isso quer dizer que Domoulin terá que se defender em um terreno pouco compatível com suas habilidades.

imagem
Foto:br Movistar / Divulgação

Em 2015, foi justamente este cenário que derrubou as energias de Dumoulin na Vuelta, competição que ele perdeu a liderança na última etapa. Durante a prova, era possível ver o passista perder o contato com o grupo dos escaladores sempre que a subida ficava mais inclinada - o que resultava em um esforço enorme para recuperar o terreno perdido.

Múltiplas frentes de batalha

Além das dificuldades do terreno, vale lembrar que Quintana muito porvavelmente deverá atacar com todas as armas, assim como Thibaut Pinot (3° com 3:21 de atraso ), Vincenzo Nibali (4° com 3:40 de atraso) e talvez até de Ilnur Zakarin (5° com 4:24 de atraso).

Para complicar, a Sunweb não é um time forte, o que colocará muito do trabalho de capturar ataques ladeira acima nas mãos de Dumoulin. Porém, vale dizer que até agora, nenhum dos nomes acima conseguiu acompanhar o camisa rosa na subida, então sua capacidade de atacar ainda precisa ser confirmada.

Última Chance

A última etapa do Giro 2017 será um contra-relógio de 30km, com seu primeiro trecho feito em linha reta e em suave descida. Depois, os ciclistas entram em um circuito urbano que deverá ser 8 vezes. Nele, existe apenas uma pequena subida.

imagem
Contra-relógio final é chance para Dumoulin

Neste cenário, a maioria dos especialistas concorda que Quintana precisa de cerca de 2 minutos de vantagem sobre Dumoulin para assegurar a vitória final. Isso quer dizer que, nas próximas etapas, o colombiano deverá colocar ao menos 4 minutos sobre o holandês.

Pode até parecer muito, mas vale lembrar que, nas montanhas, basta um dia ruim para perder um tempo considerável. Por isso, esta é uma semana para ficar colado na tela e acompanhar o Giro d'Italia!

Classificação Geral

1 Tom Dumoulin (Ned) Team Sunweb 63:48:08
2 Nairo Quintana (Col) Movistar Team 0:02:41
3 Thibaut Pinot (Fra) FDJ 0:03:21
4 Vincenzo Nibali (Ita) Bahrain-Merida 0:03:40
5 Ilnur Zakarin (Rus) Katusha-Alpecin 0:04:24
6 Bauke Mollema (Ned) Trek-Segafredo 0:04:32
7 Domenico Pozzovivo (Ita) AG2R La Mondiale 0:04:59
8 Bob Jungels (Lux) Quick-Step Floors 0:05:18
9 Andrey Amador (CRc) Movistar Team 0:06:01
10 Steven Kruijswijk (Ned) Team LottoNl-Jumbo 0:07:03

ALTIMETRIA DAS ETAPAS NA GALERIA


Fotos (6)

foto 0 -  foto 1 -  foto 2 -  Mais Fotos

Comentários



Relacionados