| PEDAL | HOME | ARTIGOS | BIKES | CLASSIFICADOS | COMUNIDADE | FOTOS | VIDEOS | NOTICIAS | TRILHAS | CONTATO | + |
Fórum Início Fórum Início > Assuntos Gerais > Treinamento, BIKE FIT, Nutrição / Alimentação e Saúde
  Tópicos recentes Tópicos recentes RSS Feed - Gatorade, serve ou é marketing?
   [REGRAS]    Ajuda Ajuda  Procurar no fórum   Registrar Registrar  Entrar Entrar

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiencia no site. Ao continuar navegando voce concorda com a nossa politica de privacidade.


Gatorade, serve ou é marketing?

 Responder Responder Página  12>
Autor
Mensagem
  Tópico Procurar Tópico Procurar  Opções do Tópico Opções do Tópico
sassota Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 30 Mar 2009
São Paulo
Desconectado
Mensagens:9146
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de sassota Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Tópico: Gatorade, serve ou é marketing?
    Enviado: 25 Mar 2014 as 18:10
Saiu uma materia na Wired dia 18.02 sobre o nutricionista do Armstrong e do Landis dizendo q Gatorade não faz o q promete, inlusive diz q faz o oposto... a materia é bacana, vale a leitura.

http://www.wired.com/wiredscience/2014/02/skratch-labs/

“Is that Allen Lim?” Cycling fans crowd around the man wearing the aviator glasses and a VIP lanyard. It’s day five of the 600-mile 2013 USA Pro Challenge in the Colorado Rockies, one of the country’s highest-profile cycling races. But Lim, the 5’6″ guy attracting attention in the team parking lot near the start of the day’s race in Vail, isn’t a rider. He’s a sports physiologist.

“I am entirely anonymous everywhere except at a bicycle race,” he says after posing for a few photos in the August heat. But at an event like this, the 41-year-old mad scientist of cycling is famous for hacking the sweaty, chaotic performances of some of the world’s best athletes. He’s the guy who told Floyd Landis to pour bottles of water onto his head while en route to winning the 2006 Tour de France, the guy who used rice cookers to turn a tiny cycling squad called Team Slipstream into one of the biggest names in the sport, the guy who stuffed Lance Armstrong’s jersey with ice-filled panty hose. (Not to mention the guy who flew to Washington, DC, to give then-president George W. Bush tips on his riding form.)

But Lim is here today with his sights set on a target larger than any particular race: the estimated $7 billion-plus sports-drink industry. Lim says that Gatorade, Powerade, and their ilk rely so much on artificial and excessive ingredients that their effects are actually the opposite of what’s intended—making athletes not lean and mean but sick and sluggish. With Skratch Labs, his company based in nearby Boulder, he’s dreaming up products that change the way those athletes fuel themselves. At the Skratch Labs kitchen trailer in the parking lot, folks are jockey­ing for free samples of the company’s signature Exercise Hydration Mix powder. “I haven’t touched Gatorade since I tried your mix!” a fan gushes. “Taking Gatorade out!” Lim cries with his typical giddiness, slapping the guy a high five.

Lim has a right to sound cocky. In less than three years, Skratch Labs has grown from three employees to 19, and its all-natural hydration mix is now sold in 2,500 locations nationwide, from REI to Whole Foods Market. There’s also a pair of cookbooks that translate endurance-sports concepts like ATP synthesis and glyco­gen depletion into fried rice and tikka masala recipes. And along with a recently launched high-sodium pre-exercise drink and daily electrolyte mix that competes against flavored-water beverages, the company also plans to release an oral rehydration solution comparable to Pedialyte.

But the competition is just as fierce in the world of sports nutrition as it is in pro cycling—and just as messy. Two other companies have launched drinks similar to Lim’s: One is the relative giant behind Clif Bars, and the other, Osmo Nutrition, was founded by Lim’s erstwhile partner, who once upon a time helped him develop his celebrated drink-mix recipe.

There’s heat from behind as well; other associates from Lim’s past have written him off, convinced that he’s as dirty as he is enthusiastic. Subsequent to working with him, Landis and Armstrong were exposed as dopers, a fact that has more than tainted Lim’s legacy. Some critics and past associates have accused Lim of turning a blind eye to, or even abetting, some of the sport’s worst excesses. At the very least, they wonder whether Lim’s science can take full credit for any of those standout performances. That’s another reason Lim is here—to throw off the taint of association and reclaim his good name. He sounds typically confident. “There is nobody else who can do what we can do,” he says with the swagger of a coach who’s focused on the awards podium. “If you don’t put yourself on the front line, you’re way off the back.”

“This is ‘no-duh’ science,” Lim says. It’s early November and he’s explaining the basics of his hydration mix to reps of an online sports-nutrition retailer at Skratch Labs’ headquarters, a 6,500-square-foot warehouse and office space in East Boulder that’s filled with the detritus of frenzied work and play: shipping boxes and bike helmets and distribution maps and yoga balls. To make room for his presentation, Lim puts away a stand-up paddleboard left on an office table.

The presentation’s no-duh science, it turns out, is a complicated stew of thermo­regulation, fluid dynamics, and intestinal metabolism—but Lim plows through it like it’s an action movie, weaving in metaphors involving sumo wrestlers crammed into an airplane. He usually comes across as a determinedly upbeat ball of energy, and his “Wow, neato!” excitement infuses everything he does, whether it’s testing his product by putting firefighters through repeated workouts wearing 60 pounds of gear or developing prerace cooling regimens for the Joe Gibbs Racing Nascar team so members can cope with the heat.


Olaf Blecker (makeup by Servullo/Nude Agency; model: Indeed Models; bicycle courtesy of Premium Bikeshop, Berlin)
That enthusiasm carries over to the free informal training camps he organizes for his pro-cycling buddies. As a result, cyclists tend to love the guy. “Allen is everyone’s personal Yoda,” pro cyclist Taylor Phinney says. “He’s got the wisdom of a thousand years, and he’s trying to build up everyone around him.” “I don’t know if I’ve met many people who have been so driven to help others,” former Slipstream cyclist Christian Vande Velde says. Ian MacGregor, a onetime pro, agrees. When a blood-flow condition forced MacGregor to retire in 2010, Lim—who had worked with him several years earlier on a development squad of young cyclists—supported him financially. Now MacGregor is CEO of Skratch Labs.

Born in the Philippines to Chinese political refugees who emigrated to the US when their son was not quite 2, Lim became obsessed with cycling after watching the 1985 film American Flyers, starring Kevin Costner as a bike racer and physician who works at a sports-science lab. Lim rode his bicycle incessantly around suburban Los Angeles and was already experimenting with his own sports drink at age 13. (“My mouth feels kind of guey [sic],” he noted in his journal after trying a concoction of honey and water.) A top-10 finisher at the 1988 Junior National Road Cycling Championships, he pursued his PhD at the University of Colorado Boulder’s Applied Exercise Science Laboratory.

In 2005 Lim got an offer from Saris Cycling Group, the company behind PowerTap, to help coach a sponsored rider: Floyd Landis. He thought it would be the perfect opportunity to apply his research—but instead, Lim says, “I really walked into a sh*t show.” He became a witness to Landis’ doping, at one point having to nurse the rider back to health after a bad blood transfusion. Lim quit, but he agreed to return in a limited role after Landis promised he’d never dope again. A year later, with Lim as his training adviser, Landis won the Tour de France after a spectacular break­away in Stage 17, a brutal 113-mile route through the mountains. But two weeks after the victory, officials announced that doping tests following Landis’ Stage 17 ride had come back positive, a finding Landis vehemently disputed.

Lim says he had suspected Landis was still doping but insists he had no part in it. He does, however, take partial credit for Landis’ now-notorious Stage 17 perfor­mance. “Floyd, like a lot of other riders, was doped out of his mind,” Lim says. “But he won because of rational thinking.” Lim had persuaded Landis to continually pour bottles of cold water on his head that day so he’d be racing in what felt like 65-degree weather, instead of the 100 degrees everyone else was facing.

Still, Lim’s time with Landis was traumatizing. “I was not the guy who helped Floyd Landis dope, but I was the guy who helped Floyd Landis survive doping,” Lim says in a rare moment of open frustration at the accusations he’s faced since. “And some­times I wish I had just let him die.”

Of course, he adds quickly, “I wouldn’t do that.” Instead, after that 2005 Tour de France, he joined forces with a kindred spirit: Jonathan Vaughters, a former pro cyclist determined to clean up the sport. With Lim as his sport-science director, Vaughters launched Team Slipstream, a new kind of cycling program. Lim and Vaughters for the first time put into practice a theoretical concept called the biological passport; it involved tracking an athlete’s bio­logical markers that were the results of doping, such as patterns of red blood cell changes, rather than more fleeting traces of the illegal substances themselves. The team was committed to creating champions without drugs—and for that it turned to Lim’s science.

Lim pulled out all the stops. When riders complained that their intensive regimens, which involved as many as 10 consecutive days of hard training, were too long, he changed the routine to two days on, one day off. When they got sick of PowerBars, Lim adapted a family recipe for zongzi, or rice dumplings, making dozens of bacon-and-egg “rice cakes” each morning. And to maximize riders’ sleep in stifling European hotel rooms, Lim put them to bed in water-cooled body wraps. Then there was the really outlandish stuff, like the ice-filled panty hose that Lim had cyclists stuff under their uniforms during races and the inflatable muscle-compression “space legs” he had them put on afterward.


Lim developed a drink with lower osmolality than Gatorade’s—riders didn’t suffer the same stomach problems. Gregg Segal
By its first Tour de France in 2008, Slipstream was known as Team Garmin-Slipstream. “We looked like a bunch of idiots,” Vande Velde says of the odd equip­ment Lim made them wear. But after Vande Velde finished fifth overall, a lot of Lim’s innovations became standard. Soon other teams were employing space legs, and race routes became littered with the soggy remnants of the athletes’ ice socks. Science, it seemed, was winning.

Which made what came next all the more sensational.

In 2010 Lim became director of sport science for Team RadioShack—which was led by Lance Armstrong, around whom doping allegations had been swirling for years. “Up to that point,” Lim says, “I had spent my whole career despising Lance, actively hating everything he stood for.” Lim believes it was Armstrong who inspired Floyd Landis to cheat, Armstrong whom Slipstream’s methods were implicitly challeng­ing. So how could Lim possibly work for him? At the time, Lim spoke of wanting a more focused role—concentrating on science and technology and working primarily with Armstrong—but there was money as well. After the ’09 Tour de France, Lim told Slipstream he wanted to reduce his commitment; as a result, he says, Slipstream wanted to halve his $120,000 salary. Soon after, Armstrong offered him the job for roughly double what Lim had been making. “I felt like I had been taken advantage of,” Lim says. “The cleanest team in the world wasn’t going to take care of me—but the dirtiest guy in the world was.”

Still, Lim says, the decision wasn’t easy. Landis had confirmed to Lim that Armstrong, his former teammate on the US Postal Service squad, had long doped. But Lim saw it as the only option he had at the time as a sports scientist. “If I could transform Lance’s culture,” Lim says of Armstrong’s mindset, “I could change the arms race.”

The experiment didn’t last long. After a crash-plagued 2010 Tour de France, Armstrong retired. By that point, he was under federal investigation for doping while on the US Postal team years earlier. Two years later, he was stripped of his titles and banned from competitive cycling. Armstrong eventually admitted to the allegations.

Armstrong, who didn’t respond to an interview request, insisted in the past that he wash’t doping in 2010, while Lim was working with him, and the US Anti-Doping Agency never accused Lim of any wrongdoing. But for some people, the association was hard to ignore. The guy who championed science over doping had worked closely with the sport’s two biggest cheaters. It didn’t help that when Landis finally admitted to doping, in 2010, he accused Lim of having helped him. Lim claims Landis “wanted to throw me under the bus” for working with Armstrong; Landis, through his lawyer, declined to comment.

But one thing was clear: This time there would be no plucky upstart effort like Slipstream for Lim to fall back on. “Until he’s prepared to come clean with his involvement with Floyd Landis and Lance Armstrong, I am not interested in supporting him in anything he does,” longtime Slipstream team physician Prentice Steffen says. (Vaughters had even less to say about his former ally, declining to comment for this article.)

It was time to start from scratch.

For most of the past century, endurance sports and hydration didn’t mix. Until 1977, international marathons banned runners from drinking in the first 11 kilometers. These days, as mounting research shows that losing more than 2 percent of body mass through dehydration impacts endurance performance, convention has swung toward the opposite extreme. It doesn’t hurt that sports drinks have actively courted exercise scientists. In fact, a 2012 investigation reported in the peer-reviewed BMJ concluded that Gatorade and Powerade are so tied to sports-medicine organizations that the relationships have led to scientifically question­able athletic recommendations benefitting the companies’ bottom lines. For example, the journal reported that in 1996, four years after receiving a $250,000 donation from Gatorade, the nonprofit American College of Sports Medicine issued new hydration guidelines, developed at a Gatorade-funded meeting, advising athletes to “drink as much as tolerable.”

Lim was aware of the hydration debates when he was working with Slipstream, and he knew sports drinks made his riders sick. So he set about trying to tweak them, feeding his cyclists various concoctions during a training camp in Spain before the 2009 Tour de France. He found that the original idea behind Gatorade was accurate: adding electrolytes (salt) and carbohydrates (sugar) to water hastens fluid absorption and replaces nutrients lost to sweating and metabolism. But these days Gatorade and other sports drinks have so many other ingredients like flavorings, coloring agents, and preservatives—not to mention extra carbo­hydrates so they can be marketed as both fuel and hydration products—that their osmolality, or molecular concentration, is greater than blood’s. That means water flows into the gut to dilute the solution, leading to discomfort, bloating, and even hindering rehydration (in worst-case scenarios, this may be via some fairly unpleasant evacuations).

In an email statement, Asker Jeukendrup, global senior director of the Gatorade Sports Science Institute, the company’s research wing, notes that while drinks with carbohydrate concentrations of 8 percent or higher “do initially cause a shift of fluid from inside your body to your stomach … Gatorade was formulated at 6 percent, so well within this and it has been shown in many studies that this results in optimal fluid delivery, whilst still providing fuel for the body.” But at his training camp in Spain, Lim found that a high-sodium drink with a sucrose-glucose ratio different than Gatorade’s had a much lower osmolality and worked far better: Riders drank twice the amount and suffered zero stomach problems.

“The results were overwhelmingly positive,” Lim says. Soon bags of his Secret Drink Mix were being passed around the peloton; in Boulder, demand was so high that by the end of 2009 he had to ask a hardware store if he could use its paint shaker to mix batches. He advised folks to eat solid food to make up for the drink’s lower carb content and insisted the mix was for athletes only. “If you’re not sweating,” he says now, “don’t drink our product.” In May 2011 Secret Drink Mix went on sale to the public. Less than a year later, the com­pany changed its name to Skratch Labs. The secret was out.

These days it’s not just pro cyclists who swear by Lim’s concoction—it’s folks like 29-year-old Denver resident Chris Bates. In 2012 Bates underwent open-heart surgery to deal with a congenital heart defect, the complications from which sent him into renal failure. He says he was on the verge of a kidney transplant when his roommate, who knew the Skratch Labs crew, suggested he swap out the hospital’s Powerade regimen for their drink mix. “Skratch was the one thing from a GI standpoint that could stay in my system,” Bates says. It helped him recover, and now, he says, “it’s part of my daily regimen.”

There’s one thing missing from this story, however, says hydration and metabolism expert Stacy Sims: her role in it. In 2009 Sims, an adjunct research associate at Stanford University School of Medicine and an elite cyclist and triathlete, met Lim through a mutual contact at Slipstream, and he invited her to Spain to apply her science. “I was behind the scenes, mixing stuff up, getting the data, tweaking things, and he was getting feedback from the riders,” she says. After forming Lim-Sims LLC, they prepared to bring their solution to market. But as the product’s fame grew, Sims says, she was sidelined. A few months after Secret Drink Mix launched, Lim offered to buy her out. The matter was settled through lawyers, including a stipulation that Sims not disparage Lim or the company.

Sims says her frustrations with Lim are professional, not personal. (In May 2012 she launched Osmo Nutrition, which offers Active Hydration mixes—she describes them as “Secret Drink Mix 2.0″—as well as other innovations like preload and recovery drinks and different formulas for men and women.)

Lim chafes at the idea that he forced Sims out. “Ultimately, I saw business in a very different way than she did,” he says. “With respect to our parting, it was so she could have the best opportunity for herself.” He’s equally sanguine about the fact that Clif has launched its own low-carb electrolyte hydration drink mix and that other companies will likely follow. “There are lots of teams out there,” he says. “Just because we’re not on the same team doesn’t mean we all aren’t doing great things.”

Still, Lim’s competitive streak sometimes gets the better of him. In the course of Lim’s being interviewed for this story, his lawyers sent Sims a cease-and-desist letter demanding she stop making “disparaging statements” about him and Skratch Labs.

“This is an ancient Chinese tradition!” Lim says in mock solemnity. It’s 6 am on day six of the 2013 USA Pro Challenge and he’s standing at one end of a cavernous Vail resort conference room that’s functioning as the race’s dining hall, presiding over an enormous rice cooker. Years ago Lim swore he was done with the hassle of handmaking rice cakes, but they’ve become his calling card, including here at the Pro Challenge. Skratch Labs is overseeing meals for the seven-day race’s riders and staff. “We are trying to bring the slow-food movement to sports nutrition,” Lim says.

Once the ingredients have been assembled on giant cookie sheets and cut into hundreds of bite-size rectangles, the various racing teams’ staffers crowd around, eager to grab their stash. Lim watches in satisfaction. He knows that changing the way cyclists eat and drink might be even more difficult than stopping the doping, and he remembers the racial slurs he faced when he first brought a rice cooker to the Tour de France. But here he is, watching the world’s greatest cyclists all happily munching on zongzi. “Now,” he says with the excitement of a kid whose crazy experiment is paying off, “it’s, like, normal.”

The racers aren’t the only ones benefiting from the whole-foods touch. Every day, Skratch Labs employees have manned a food trailer, preparing hundreds of burritos and egg-topped rice bowls and giving them away to fans. It’s classic Lim: support and generosity for the sport he loves so much, but with a cut of goodwill for himself. After all, every burrito delivered by someone in a Skratch trucker hat and a T-shirt that extols the virtues of “real bacon” is a marketing memory.

But there’s one more possibility as well: that those fans are more than just word-of-mouth machines but also a test audience. After all, a Skratch Labs food product would let Lim take on Clif and PowerBar in the same way he has taken on Gatorade. Any chance of that?

“Absolutely,” Lim says with a grin.
a verdade absoluta é uma só e cada um tem a sua...
Voltar para o topo
M.CROESY Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 31 Jan 2014
salvador-ba
Desconectado
Mensagens:1611
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de M.CROESY Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 18:19
TRADUZINDOOOOOOOOOOOOO:"Será que Allen Lim ? " Os fãs de ciclismo multidão em torno do homem usando os óculos de aviador e um cordão VIP . É dia cinco dos 600 milhas 2013 EUA Pro Challenge nas Montanhas Rochosas do Colorado , um dos de maior destaque provas de ciclismo do país. Mas Lim, a 5'6 " cara atraindo a atenção no estacionamento equipe perto do início da corrida do dia em Vail, não é um cavaleiro. Ele é um fisiologista esportivo.

"Eu sou totalmente anônimo em todos os lugares , exceto em uma corrida de bicicleta ", diz ele depois de posar para algumas fotos no calor de agosto. Mas em um evento como este , a 41-year -old cientista louco do ciclismo é famosa por cortar as mãos suadas , performances caóticas de alguns dos melhores atletas do mundo . Ele é o cara que disse Floyd Landis para derramar garrafas de água sobre sua cabeça , enquanto a caminho de vencer a 2006 Tour de France, o cara que costumava panelas de arroz para transformar um pequeno pelotão de ciclismo denominado Team Slipstream em um dos maiores nomes do esporte , o cara que recheado camisa do Lance Armstrong com meia-calça cheia de gelo. (Sem mencionar o cara que voou para Washington , DC, para dar o então presidente George W. Bush, dicas sobre sua forma de condução. )

Mas Lim está aqui hoje com os olhos postos em um alvo maior do que qualquer raça em particular : a estimativa de 7000 milhões dólares -plus esportes bebida indústria. Lim diz que Gatorade , Powerade , e sua laia confiar tanto em ingredientes artificiais e excessivas que os seus efeitos são realmente o oposto do de tomada de destinar o que os atletas não enxuto , mas doente e lento. Com Skratch Labs, a empresa com sede em Boulder nas proximidades , ele está sonhando com produtos que mudam a maneira como os atletas abastecer -se . No trailer de cozinha Skratch Labs no estacionamento , as pessoas estão disputando amostras grátis de assinatura Exercício Hidratação Mix em pó da empresa. " Eu não toquei Gatorade desde que eu tentei o seu mix ! " Um fã jorra . "Levando Gatorade para fora! " Lim chora com sua vertigem típico , batendo o cara um high five .

Lim tem o direito de soar arrogante. Em menos de três anos , Skratch Labs cresceu de três funcionários para 19 anos, e sua mistura completamente natural de hidratação é agora vendido em 2.500 locais em todo o país , a partir de REI a Whole Foods Market . Há também um par de livros de receitas que traduzem conceitos de resistência de esportes , como a síntese de ATP e depleção de glicogênio em arroz frito e receitas tikka masala . E junto com uma bebida recém-lançado pré- exercício de alta de sódio e mistura de eletrólitos diária que concorre com bebidas de água com sabor , a empresa também planeja lançar uma solução de reidratação oral comparável a Pedialyte .

Mas a concorrência é tão feroz no mundo da nutrição esportiva como no ciclismo profissional e tão bagunçado. Duas outras empresas lançaram bebidas semelhantes ao do Lim : Um é o gigante relativo atrás Clif Bars , eo outro , Osmo Nutrition, foi fundada pelo antigo parceiro de Lim , que era uma vez o ajudou a desenvolver sua célebre receita da bebida -mix.

Há calor de trás , bem como, outros associados do passado de Lim tê-lo baixado , convencido de que ele é tão sujo quanto ele está entusiasmado . Após a trabalhar com ele , Landis e Armstrong foram expostos como drogados , fato que tem mais de legado contaminado de Lim . Alguns críticos e associados últimos acusaram Lim de fechar os olhos , ou até mesmo cumplicidade , alguns dos piores excessos do esporte. No mínimo , eles se perguntam se a ciência do Lim pode levar todo o crédito por qualquer uma dessas performances de destaque . Essa é outra razão Lim é aqui, para jogar fora a mancha de associação e recuperar o seu bom nome. Ele soa tipicamente confiante. " Não há mais ninguém que possa fazer o que podemos fazer ", diz ele , com a arrogância de um treinador que está focado no pódio de premiação. " Se você não colocar-se na linha de frente , você é maneira fora da volta. "

"Este é o " não - duh "ciência ", diz Lim . É o início de novembro e ele está explicando o básico de seu mix de hidratação para os representantes de uma loja de esporte de nutrição on-line na sede Skratch Labs , um armazém de 6.500 metros quadrados e espaço para escritório em East Boulder que é preenchido com os detritos de trabalho frenético e jogar : caixas de transporte e capacetes de bicicleta e mapas de distribuição e bolas de yoga. Para abrir espaço para sua apresentação, Lim coloca fora um paddleboard stand-up deixou em uma mesa de escritório.

Ciência no- duh da apresentação, ao que parece, é um guisado complicado de termorregulação , dinâmica de fluidos , e intestinal metabolismo , mas Lim arados através dele como se fosse um filme de ação , tecendo em metáforas envolvendo lutadores de sumô amontoados em um avião. Ele geralmente aparece como uma bola determinadamente otimista de energia , e seu "Uau, neato ! " Excitação impregna tudo que ele faz , se ele está testando seu produto , colocando os bombeiros através de exercícios repetidos usando 60 quilos de artes ou em desenvolvimento regimes de resfriamento pré-competição para o Joe equipe de Gibbs Corrida Nascar para que os membros possam lidar com o calor .


Olaf Blecker ( maquiagem por Servullo / Agência Nude ; modelo : na verdade Models ; bicicleta cortesia do Prêmio Bikeshop , Berlim )
Esse entusiasmo é transferida para os campos de treinamento informais gratuitos ele organiza para seus amigos pró- ciclismo. Como resultado , os ciclistas tendem a amar o cara . " Allen é Yoda pessoal de cada um ", diz pro ciclista Taylor Phinney . "Ele tem a sabedoria de milhares de anos , e ele está tentando construir todos ao seu redor . " "Eu não sei se eu conheci muitas pessoas que foram tão acionados para ajudar os outros ", o ex- ciclista Slipstream Christian Vande Velde diz . Ian MacGregor, um profissional de uma única vez , concorda. Quando uma condição de sangue de fluxo forçado MacGregor se aposentar em 2010, Lim- que tinha trabalhado com ele há vários anos em um pelotão de desenvolvimento de jovens ciclistas ele apoiado financeiramente. Agora MacGregor é CEO da Skratch Labs.

Nascido nas Filipinas para refugiados políticos chineses que emigraram para os EUA quando seu filho não era 2 , Lim ficou obcecado com o ciclismo , depois de ver os 1985 filmes americanos Folhetos , estrelado por Kevin Costner como um piloto de moto e médico que trabalha em um esporte- ciência laboratório . Lim andava de bicicleta sem parar em torno subúrbio de Los Angeles e já estava experimentando com a sua própria bebida esportiva aos 13 anos. ( " Minha boca se sente tipo de guey [sic ] ", observou em seu diário depois de tentar uma mistura de mel e água . ) A top-10 finisher em 1988 na júnior Nacionais Ciclismo de estrada Championships , ele perseguiu seu PhD na Universidade de Laboratório de Ciência de Colorado Boulder Aplicada Exercício.

Em 2005 Lim tem uma oferta de Saris Cycling Group, a empresa por trás PowerTap , para ajudar a treinar um piloto patrocinado: Floyd Landis . Ele pensou que seria a oportunidade perfeita para aplicar suas pesquisas , mas em vez disso, Lim diz: "Eu realmente andei em um show de sh * t. " Ele se tornou um testemunho de doping de Landis , em um ponto de ter de amamentar o piloto de volta para saúde após uma transfusão de sangue ruim. Lim parar, mas ele concordou em voltar em um papel limitado após Landis prometeu que nunca dopar novamente. Um ano depois, com Lim como seu orientador de estágio , Landis venceu o Tour de France após um separatista espetacular no Stage 17 , um brutal rota 113 quilômetros através das montanhas. Mas duas semanas depois da vitória, as autoridades anunciaram que os testes de doping seguintes Landis ' Stage 17 passeio tinha voltado positivo, um achado Landis veementemente contestada.

Lim disse que suspeitava Landis ainda estava doping , mas insiste que ele não tinha parte nisso . Ele, no entanto , levar o crédito parcial para Landis ' agora notório Stage 17 performance. " Floyd, como um monte de outros pilotos , foi dopado fora de si ", diz Lim . " Mas ele ganhou por causa do pensamento racional . " Lim tinha persuadido Landis para derramar continuamente garrafas de água fria na cabeça nesse dia que ele estaria correndo no que parecia clima de 65 graus , em vez dos 100 graus toda a gente estava enfrentando .

Ainda assim, o tempo de Lim com Landis foi traumatizante. "Eu não era o cara que ajudou a Floyd Landis drogas , mas eu era o cara que ajudou a Floyd Landis sobreviver doping ", disse Lim em um raro momento de frustração aberto com as acusações de que ele enfrentou desde então. " E às vezes eu desejo que eu tinha acabado de deixá-lo morrer . "

Claro, ele acrescenta rapidamente, "Eu não faria isso. " Em vez disso, depois que 2005 Tour de France, ele juntou forças com um espírito semelhante : Jonathan Vaughters , um ex- ciclista profissional determinado a limpar o esporte . Com Lim como seu diretor de esporte - ciência, Vaughters lançado Equipe Slipstream , um novo tipo de programa de ciclismo. Lim e Vaughters pela primeira vez colocar em prática um conceito teórico chamado passaporte biológico , que envolveu rastreamento de marcadores biológicos de um atleta que eram os resultados de doping , como os padrões de alterações nas células vermelhas do sangue, em vez de traços mais fugazes das substâncias ilegais si . A equipe estava empenhada em criar campeões sem drogas e , para isso, virou-se para a ciência de Lim .

Lim tirou todas as paradas. Quando os pilotos se queixaram de que seus regimes intensivos , que envolveram até 10 dias consecutivos de treinamento duro , foram por muito tempo, ele mudou a rotina de dois dias em , um dia de folga. Quando ficou doente de powerbars , Lim adaptou uma receita de família para zongzi , ou bolinhos de arroz , fazendo dezenas de bacon -e- ovo "bolos de arroz" todas as manhãs. E para maximizar o sono dos pilotos na sufocante hotel europeu , Lim colocá-los para a cama em refrigerados a água envolvimentos corporais . Em seguida, houve as coisas realmente bizarras , como a meia-calça cheia de gelo que Lim teve ciclistas coisas sob seus uniformes durante as corridas e as infláveis ​​músculo - compressão " espaço pernas" que ele tinha colocá-los em seguida.


Lim desenvolveu uma bebida com baixa osmolaridade do que Gatorade's -riders não sofreu os mesmos problemas de estômago. Gregg Segal
Com o seu primeiro Tour de France em 2008, Slipstream era conhecida como Equipe Garmin- Slipstream . " Parecíamos um bando de idiotas ", diz Vande Velde do equipamento estranho Lim fez vestir. Mas depois de Vande Velde terminou em quinto no geral, uma série de inovações de Lim se tornou padrão . Logo outras equipes estavam empregando espaço pernas e rotas de corrida tornou-se repleta de restos encharcados de meias de gelo dos atletas . Ciência, ao que parecia, estava ganhando.

Que fez o que veio a seguir ainda mais sensacional.

Em 2010 tornou-se diretor Lim da ciência do esporte para a equipe RadioShack- que foi liderada por Lance Armstrong, em torno do qual as alegações de doping foi rodando por anos. " Até esse ponto ", diz Lim, " Eu tinha passado toda a minha carreira desprezando Lance , odiando ativamente tudo o que ele representava. " Lim acredita que foi Armstrong que inspirou Floyd Landis para enganar , Armstrong quais os métodos de sopro eram implicitamente desafiador. Então, como poderia Lim possivelmente trabalhar para ele ? Na época, Lim falou de querer um em ciência e tecnologia e trabalhando principalmente com Armstrong , mas não havia dinheiro, bem - concentrando papel mais focado . Após o '09 Tour de France, Lim disse Slipstream ele queria reduzir o seu compromisso , como resultado , diz ele, Slipstream queria reduzir pela metade seu salário de US $ 120.000. Logo depois, Armstrong ofereceu-lhe o trabalho para aproximadamente o dobro do que Lim vinha fazendo . "Eu senti como se tivesse sido aproveitado ", diz Lim . "A equipe mais limpa do mundo não ia cuidar de mim , mas o cara mais sujo do mundo foi . "

Ainda assim, diz Lim , a decisão não foi fácil. Landis tinha confirmado a Lim que Armstrong, seu ex-companheiro no time Serviço Postal dos EUA , há muito dopado . Mas Lim viu-o como a única opção que ele tinha na época como um cientista de esportes. "Se eu pudesse transformar a cultura de Lance ", diz Lim da mentalidade de Armstrong, "Eu poderia mudar a corrida armamentista. "

A experiência não durou muito tempo . Depois de um atormentado -crash Tour de France 2010 , Armstrong se aposentou . Por esse ponto , ele estava sob investigação federal por doping durante os anos da equipe EUA postais anteriores. Dois anos depois, ele foi destituído de seus títulos e banido do ciclismo competitivo . Armstrong acabou admitindo as acusações.

Armstrong, que não respondeu a um pedido de entrevista , insistiu no passado que ele wash't doping em 2010, enquanto Lim estava trabalhando com ele, e da Agência Anti -Doping dos EUA nunca acusou Lim de qualquer delito. Mas para algumas pessoas , a associação foi difícil de ignorar. O cara que defendeu ciência sobre doping tinha trabalhado em estreita colaboração com os dois maiores trapaceiros do esporte. Não ajuda que, quando Landis finalmente admitiu a doping , em 2010 , ele acusou Lim de tê-lo ajudado. Lim afirma Landis " queria me jogar debaixo do ônibus " para trabalhar com Armstrong , Landis, através de seu advogado , não quis comentar .

Mas uma coisa era clara: Desta vez não haveria esforço arrivista valente como Slipstream para Lim para voltar a cair . "Até que ele está preparado para vir limpo com o seu envolvimento com Floyd Landis e Lance Armstrong , eu não estou interessado em apoiá-lo em tudo o que ele faz ", diz o antigo médico da equipe Slipstream Prentice Steffen . ( Vaughters tinha ainda menos a dizer sobre seu ex-aliado , recusando-se a comentar para este artigo . )

Era hora de começar do zero.

Durante a maior parte do século passado, desportos de resistência e hidratação não se misturavam . Até 1977 , maratonas internacionais proibidos corredores de beber nos primeiros 11 quilômetros. Estes dias, a partir de pesquisa de montagem mostra que a perda de mais de 2 por cento da massa corporal por meio do desempenho impactos desidratação resistência, convenção oscilou para o extremo oposto. Não faz mal que as bebidas esportivas ativamente cortejado cientistas do exercício . Na verdade, uma investigação 2012 relatado no BMJ peer-reviewed concluiu que Gatorade e Powerade são tão ligados a organizações de esporte de medicina que as relações levaram a recomendações de atletismo cientificamente questionáveis ​​beneficiando linhas de fundo das empresas. Por exemplo , o jornal informou que , em 1996 , quatro anos depois de receber uma doação de US $ 250.000 de Gatorade , o Colégio sem fins lucrativos Americano de Medicina Esportiva emitiu novas diretrizes de hidratação , desenvolvido em uma reunião Gatorade financiado , aconselhando os atletas a " beber tanto quanto tolerável. "

Lim estava ciente dos debates de hidratação quando ele estava trabalhando com Slipstream , e ele sabia que as bebidas esportivas fez seus pilotos doente. Então ele começou a tentar ajustá-los , alimentando seus ciclistas várias misturas durante um acampamento de treinamento na Espanha antes do Tour de France 2009 . Ele descobriu que a idéia original por trás Gatorade foi preciso : a adição de eletrólitos (sais ) e carboidratos (açúcar) para a água acelera a absorção de líquidos e nutrientes perdidos substitui a transpiração eo metabolismo. Mas estes dias Gatorade e outras bebidas esportivas têm tantos outros ingredientes como aromas , corantes e conservantes , para não mencionar carboidratos extras para que possam ser comercializados como combustível e produtos de hidratação que sua osmolaridade , ou concentração molecular , é maior do que o sangue de . Isso significa que a água flui para o intestino para diluir a solução , levando a desconforto , inchaço e até mesmo impedindo a reidratação (em cenários de pior caso , isso pode ser através de algumas evacuações bastante desagradáveis ​​) .

Em uma declaração de e-mail , Asker Jeukendrup , diretor sênior mundial da Gatorade Sports Science Institute , asa de pesquisa da empresa , observa que enquanto as bebidas com concentrações de carboidratos de 8 por cento ou mais " que inicialmente causar uma mudança de líquido de dentro do seu corpo para o seu estômago ... Gatorade foi formulado em 6 por cento , muito bem dentro desta e tem sido demonstrado em vários estudos que isto resulta em óptima distribuição de fluido , enquanto que continua a proporcionar o combustível para o corpo . " Mas no seu campo de treino , na Espanha , Lim descobriram que uma alta bebida de sódio com um rácio de sacarose - glicose diferente Gatorade teve uma osmolalidade muito menor e funcionou muito melhor : Pilotos bebeu duas vezes a quantidade de zero e sofreu problemas gástricos .

"Os resultados foram extremamente positivas ", diz Lim . Logo sacos de seu Mix Drink Segredo foram sendo passados ​​ao redor do pelotão , em Boulder , a demanda foi tão grande que até o final de 2009, ele teve que pedir uma loja de ferragens se ele poderia usar seu misturador de tinta para misturar lotes. Ele aconselhou as pessoas a comer alimentos sólidos para compensar menor teor de carboidratos da bebida e insistiu que a mistura era apenas para atletas. "Se você não está suando ", diz ele , agora, "não beba nosso produto. " Em maio de 2011 Segredo Mistura de bebida foram colocados à venda para o público. Menos de um ano depois, a empresa mudou seu nome para Skratch Labs. O segredo foi revelado .

Nestes dias, apenas pro ciclistas que juram por mistura - lo de Lim é gente como residente de 29 anos de idade Denver Chris Bates não é. Em 2012, Bates passou por uma cirurgia de coração aberto para lidar com um defeito cardíaco congênito , as complicações a partir do qual o mandou para insuficiência renal . Ele diz que estava à beira de um transplante de rim , quando seu companheiro de quarto , que conhecia a tripulação Skratch Labs, sugeriu que ele trocar regime Powerade do hospital para seu mix de bebida. " Skratch era a única coisa a partir de um ponto de vista GI que poderiam ficar no meu sistema", diz Bates. Isso o ajudou a se recuperar, e agora , diz ele , "é parte da minha rotina diária . "

Há uma coisa que falta a partir desta história , no entanto, diz que a hidratação e especialista em metabolismo Stacy Sims : seu papel nele . Em 2009, Sims, um pesquisador associado adjunto na Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford e um ciclista e triatleta de elite , reuniu-se Lim através de um contato mútuo em Slipstream , e ele convidou-a para a Espanha a aplicar sua ciência. "Eu estava nos bastidores , misturando coisas para cima , recebendo os dados, aprimorando as coisas, e ele estava recebendo feedback dos pilotos ", diz ela . Depois de formar Lim- Sims LLC, se preparavam para trazer a sua solução para o mercado. Mas à medida que a fama do produto cresceu, Sims diz , ela foi marginalizado . Poucos meses depois de Bebida Segredo Mix lançado , Lim ofereceu para comprá-la para fora. O assunto foi resolvido através de advogados , incluindo uma cláusula que os Sims não menosprezar Lim ou da empresa.

Sims diz que suas frustrações com Lim são profissionais, não pessoal. ( Em maio de 2012 ela lançou Osmo Nutrição , que oferece hidratação atividade mistura , ela descreve como " Drink Mix Segredo de 2,0" - assim como outras inovações como pré-carga e recuperação de bebidas e fórmulas diferentes para homens e mulheres . )

Lim irrita-se com a idéia de que ele forçou Sims para fora. "Em última análise , eu vi de negócios de uma maneira muito diferente do que ela fez ", diz ele . " Com relação a nossa despedida , foi para que ela pudesse ter a melhor oportunidade para si mesma. " Ele é igualmente otimista sobre o fato de que Clif lançou o seu próprio low-carb hidratação eletrólito misturar bebida e que outras empresas provavelmente se seguirão. " Há muitas equipes lá fora", diz ele. "Só porque nós não estamos na mesma equipe não significa que tudo o que não está fazendo grandes coisas. "

Ainda assim, a veia competitiva de Lim , por vezes, leva a melhor sobre ele. No decorrer do ser de Lim entrevistados para esta reportagem , seus advogados enviaram uma carta cessar- and- desist exigindo que ela pare de fazer "declarações depreciativas " sobre ele e Skratch Labs Sims .

"Esta é uma antiga tradição chinesa ! ", Diz Lim em solenidade simulada. É 06:00 no dia seis de 2013 EUA Pro Challenge e ele está de pé em uma extremidade de uma sala de conferências cavernoso Vail resort que está funcionando como refeitório da prova , presidindo uma enorme panela de arroz . Anos atrás Lim jurou que foi feito com o incômodo de handmaking bolos de arroz , mas eles se tornaram seu cartão de visitas , inclusive aqui no Desafio Pro . Skratch Labs está supervisionando as refeições para os pilotos e pessoal da corrida de sete dias. "Estamos tentando trazer o movimento slow food para nutrição esportiva ", diz Lim .

Uma vez que os ingredientes foram montadas em folhas de bolinho gigantes e cortados em centenas de retângulos do tamanho da mordida , os funcionários das várias equipes de corrida ' multidão em volta, ansioso para pegar o seu esconderijo. Lim relógios de satisfação. Ele sabe que mudar a forma como os ciclistas comer e beber pode ser ainda mais difícil do que parar o doping , e ele se lembra dos insultos raciais que enfrentou quando ele trouxe uma panela de arroz para o Tour de France. Mas aqui está ele , observando maiores ciclistas do mundo todo feliz mastigando zongzi . "Agora", ele diz com o entusiasmo de uma criança cujo louca experiência está valendo a pena ", ele é, tipo, normal. "

Os pilotos não são os únicos que beneficiam do touch- alimentos integrais. Todos os dias, Skratch Labs empregados tripulado um trailer de alimentos , preparando-se centenas de burritos e tigelas de arroz coberto de ovo e dar-los para os fãs. É clássico Lim : apoio e generosidade para o esporte que ele ama tanto, mas com um corte de boa vontade por si mesmo. Afinal, cada burrito entregue por alguém em um chapéu do camionista Skratch e uma T -shirt que exalta as virtudes de " toucinho real" é uma memória de marketing.

Mas há mais uma possibilidade bem : que os fãs são mais do que máquinas de boca-a- boca , mas também um público de teste. Afinal de contas, um produto alimentar Skratch Labs deixaria Lim assumir Clif e PowerBar , da mesma forma que ele assumiu Gatorade . Qualquer chance de que ?

"Absolutamente ", disse Lim com um sorriso.
Voltar para o topo
rsreis Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 12 Jul 2012
S. J. Campos/SP
Desconectado
Mensagens:1257
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de rsreis Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 18:34
Que tradução porca...
Voltar para o topo
T.C. Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 08 Abr 2009
Curitiba
Desconectado
Mensagens:11490
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de T.C. Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 18:57
Alguém resume aí, por favor.

Eu nunca tomo, pra mim água e coca-cola é o suficiente.
O texto acima contém uma verdade absoluta.
Voltar para o topo
radMG Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 12 Mar 2012
Belo Horizonte
Desconectado
Mensagens:1377
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (1) Obrigado!(1)   Citação de radMG Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 19:00
SEMPRE chega alguém para reclamar dos textos em inglês ou da tradução do Google, mas nunca esse alguém vai lá e FAZ.
Voltar para o topo
FAB1000 Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 06 Jan 2004
Rio de Janeiro
Desconectado
Mensagens:13019
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de FAB1000 Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 19:22
SEMPRE tem alguém reclamando dos posts em inglês de tópicos no Pedal mas nunca fazem como o colega M.CROESY, que utilizou o tradutor do Google para ajudar aos que não entendem a língua inglesa e não iam fazer nada a não ser continuar a reclamar, podendo ter feito a mesma coisa.Wink

O mais estranho foi ele ter postado essa tradução como se já conhecesse muito bem o Pedal, e além disso foi floodando tanto para chegar as 100msg que já foi bloqueado. O que será que ele anunciou? LOL

Editado por FAB1000 - 25 Mar 2014 as 19:26
Voltar para o topo
Liternit Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 15 Jun 2011
-
Desconectado
Mensagens:2420
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de Liternit Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 19:42
Achei marketing de um cara que construiu o nome encima do Lance, fica complicado de saber a influencia da pesquisa dele em uma cobaia que usava o que o Lance usava. Fora que não tem nenhuma explicação técnica no artigo mostrando porque o Gatorade não funciona e a formula dele sim.
Voltar para o topo
denisedognini Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 21 Dez 2013
Sao paulo
Desconectado
Mensagens:363
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (1) Obrigado!(1)   Citação de denisedognini Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 20:44
Pelo que entendi, o problema é a concentração de sais e glicose/sacarose.

De qualquer forma, ainda acho que o soro caseiro com um pouco de limão faz bem o serviço.
Voltar para o topo
Donnie_Darko Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 01 Set 2013
Rio de Janeiro
Desconectado
Mensagens:194
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de Donnie_Darko Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 25 Mar 2014 as 21:54
O artigo não é sobre Gatorade em si, mas sim sobre um cara que trabalhou em uma fórmula de uma bebida "realmente" eficaz. O negócio é que ele se ajudou nego dopado... daí perde a credibilidade para a bebida do cara (que também faz auto-marketing).

Enfim... já vi textos específicos sobre o tema, e sempre sem um veredicto.
Voltar para o topo
papiba Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 24 Nov 2011
americana sp
Desconectado
Mensagens:386
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de papiba Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 07:45
bom, depois de tudo "isso" acho que fiz certo ...parei a muito tempo de tomar isotônico após ou durante o pedal, tomo agua ou suco de frutas ( faço da fruta natural e congelo no bidon )vou tomando aos poucos e alternando com agua e quando falta 12 km para final do pedal tomo um bom copo bem gelado de caldo de cana ! ,ele da aquela arribada e noto que chego mais inteiro .isotônico é mais marketing mesmo .
spex
Voltar para o topo
brunocarlo Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 17 Mai 2013
Rio de Janeiro
Desconectado
Mensagens:971
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de brunocarlo Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 10:05
Não que eu ache que o Gatorade, ou qq outro seja mero marketing, deve servir pra algo, eu mesmo gosto de beber um depois do pedal, me sinto bem com isto, mas um caldo de cana ou uma água de coco deve ser melhor, ou até mesmo o suco de fruta.. mas fruta, não poupa congelada do mercado, é melhor mesmo, dá um UP, o corpo reage muito melhor.
Bruno Carlo
<a href="http://www.strava.com/athletes/1268675" rel="nofollow">Meu Strava</a>
<img src="http://veloviewer.com/SigImage.phpa=138bfc&r=2&c=3&u=M&g=n&f=jldebcghij&z=a.png" />
Voltar para o topo
CrisLB Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 22 Jan 2014
Brasil
Desconectado
Mensagens:24
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de CrisLB Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 10:12
Faço corridas regularmente, na faixa de 15/18km e não consigo correr com aqueles suportes de garrafa d'agua, logo me desidrato bastante.

Percebi que mesmo tomando muita água após os treinos acabava ficando com dor de cabeça, cerca de 1 ou 2 horas depois da atividade física, um sintoma da desidratação.

Cerca de um mês atrás, já estava de saco cheio disso e estava disposto a qualquer coisa, porém nada resolvia.

Comecei a tomar um isotônico após as corridas e percebi uma grande melhora.

Acredito que como disseram acima, uma água de coco, caldo de cana, algo que reponha os sais minerais perdidos na transpiração deve ter os mesmos resultados.

Fica aí o meu relato.
Voltar para o topo
Pacheco01 Ver Drop Down


Registrado: 13 Fev 2006
Rio de Janeiro - R.J.
Desconectado
Mensagens:2347
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de Pacheco01 Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 10:21
Água é água e ponto final. É disso que o corpo precisa
Voltar para o topo
dcschmidt Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 04 Jan 2013
Rio de Janeiro
Desconectado
Mensagens:289
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de dcschmidt Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 10:55
Pelo que já li, o Gatorade o os outros isotônicos não usam a quantidade necessária de eletrólitos porque isto interfere no sabor da bebida e consequentemente em vendas. Então eles colocam uma mínima pitada de sal pra não atrapalhar o sabor.
Voltar para o topo
Oliva Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 10 Ago 2011
Rio de Janeiro
Desconectado
Mensagens:2670
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de Oliva Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 11:06
cara, sobre textos em inglês, acho que quem não entende pode pegar o site e jogar no google tradutor e ler a tradução por lá.

acho que fica infinitamente melhor que essa porra aí que o bloqueado fez. o tópico ficou gigantesco. leva quase uma semana pra passar o post do sassota, aí tem outro igualzinho, só que mal traduzido.


(a)topic
eu não creio nem descreio. bebo se tiver por ali.
normalmente só levo água pros pedais. comprei umas pastilhas de isotônico pra ver se prestam, mas achei uma merda.
vou continuar na água e refri.
É nóis que avoa pedalando de boa.
Voltar para o topo
corinthians Ver Drop Down


Registrado: 18 Jun 2012
xxx
Desconectado
Mensagens:1517
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de corinthians Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 11:09
"Do you speak english? no, no...Don't no portuguese! !
corinthians
Voltar para o topo
SergioRA1 Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 08 Ago 2011
Pindamonhangaba
Desconectado
Mensagens:3618
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de SergioRA1 Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 11:21
Eu já sinto que os isotônicos são melhores que só tomar água. Sabe-se que nos exercícios não perdemos apenas água, mas também sais minerais. Mas no pedal sabemos que devemos levar outras coisas além de água ou isotônico.
Pedais curtos com menos de 20km ou que levem menos de 1hora de esforço físico eu levo só água mesmo. Acima disso é bom levar isotônicos e alimentos.
No fim do pedal, como já disseram, a lendária Garapa (caldo de cana) é salvadora. Recentemente tenho tomado suco de milho. É que agora perto de casa tem uma dessas carrocinhas que vendem tudo de milho verde, e o suco é maravilhoso.


Editado por SergioRA1 - 26 Mar 2014 as 11:24
Road: Caloi Strada 2011 Tiagra 18v | MTB: GT Zaskar Elite29 2014 XT 20v | Urban: Caloi Aluminum 2011 Acera 24v
Se a minha mensagem foi útil clique em Obrigado(0).
Voltar para o topo
MalcolmX Ver Drop Down
Avatar
Banido

Registrado: 26 Fev 2014
São Paulo
Desconectado
Mensagens:96
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de MalcolmX Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 11:29
Existem bebidas especificas para hidratação?

Estou falando tipo, algo que pode até ter um sabor horrivel porém vai ajudar a repor nutrientes que o corpo precisa após um exercicio, falo isso pq achava que esse era o caso do gatorade, mas estou vendo que não.

Alguém pode recomendar, algo pelo menos testado e recomendado, se possivel barato e no brasil (se possivel né).
Voltar para o topo
Voodoo Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 01 Nov 2008
Curitiba - PR
Desconectado
Mensagens:15435
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de Voodoo Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 11:33
Existem várias lendas sobre o tema. Repor sais minerais é necessário, mas uma alimentação adequada já dá conta na maioria dos casos. Uma amiga vivia tomando Gatorade em substituição à água e terminou com uma pedra no rim.

É que nem aquele negócio de água mineral engarrafada ser "pura" e mais limpa que a da torneira. Tenho uma série de análises de água que mostram que a água da torneira da Sanepar em geral é tão limpa quanto às envazadas e vendidas nos mercados.
PauloR2

Viciado em sofrimento
Voltar para o topo
SergioRA1 Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 08 Ago 2011
Pindamonhangaba
Desconectado
Mensagens:3618
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de SergioRA1 Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 11:54
Sem contar Voodoo, que a água encanada, pelo menos aqui da SABESP no estado de SP tem adição de fluor entre outras coisas.
Um antigo chefe, que hoje tem uma empresa que presta de serviços de tratamentos de água e dejetos para industrias, me disse que a água da torneira é melhor que a água mineral. Na casa dele só tem no máximo filtros que é no máximo pra filtrar sujeiras que tem nos encanamentos.


Editado por SergioRA1 - 26 Mar 2014 as 11:59
Road: Caloi Strada 2011 Tiagra 18v | MTB: GT Zaskar Elite29 2014 XT 20v | Urban: Caloi Aluminum 2011 Acera 24v
Se a minha mensagem foi útil clique em Obrigado(0).
Voltar para o topo
dcschmidt Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 04 Jan 2013
Rio de Janeiro
Desconectado
Mensagens:289
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de dcschmidt Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 14:29
Originalmente Postado por MalcolmX MalcolmX Escreveu:

Existem bebidas especificas para hidratação?

Estou falando tipo, algo que pode até ter um sabor horrivel porém vai ajudar a repor nutrientes que o corpo precisa após um exercicio, falo isso pq achava que esse era o caso do gatorade, mas estou vendo que não.

Alguém pode recomendar, algo pelo menos testado e recomendado, se possivel barato e no brasil (se possivel né).
Eu comprei umas pastilhas na Merlin, o sabor até que não é ruim mas o Gatorade é muito mais gostoso. Tem também o Suum que é brasileiro.
Links: High Five, SIS Go Hydro e Suum
Voltar para o topo
denisedognini Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 21 Dez 2013
Sao paulo
Desconectado
Mensagens:363
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de denisedognini Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 15:12
Originalmente Postado por SergioRA1 SergioRA1 Escreveu:

Sem contar Voodoo, que a água encanada, pelo menos aqui da SABESP no estado de SP tem adição de fluor entre outras coisas.
Um antigo chefe, que hoje tem uma empresa que presta de serviços de tratamentos de água e dejetos para industrias, me disse que a água da torneira é melhor que a água mineral. Na casa dele só tem no máximo filtros que é no máximo pra filtrar sujeiras que tem nos encanamentos.

Pelo menos há algum tempo, a água da Sabesp era considerada uma das melhores do mundo. Eu acho mais seguro tomar água da torneira filtrada do que água desses garrafões cuja procedência e condições de higiene são desconhecidas.

Quanto aos isotônicos, que alguém perguntou mais acima, quando necessário (por doença ou mal-estar), eu compro o Pedialite. No mais, soro caseiro, água de coco ou caldo de cana.
Voltar para o topo
30455 Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 22 Jul 2008
-
Desconectado
Mensagens:1421
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de 30455 Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 15:17

sim, tem um troço muito conhecido e quem está à venda em qualquer farmácia, serve p/ o cara que teve um piriri violento se rehidtratar: HIDRAFIX

...mas honestamente, você não vai querer levar isso aí p/ beber na pedalada.

abs


Originalmente Postado por MalcolmX MalcolmX Escreveu:

Existem bebidas especificas para hidratação?

Estou falando tipo, algo que pode até ter um sabor horrivel porém vai ajudar a repor nutrientes que o corpo precisa após um exercicio, falo isso pq achava que esse era o caso do gatorade, mas estou vendo que não.

Alguém pode recomendar, algo pelo menos testado e recomendado, se possivel barato e no brasil (se possivel né).
Voltar para o topo
edu_74 Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 16 Dez 2011
Jundiai
Desconectado
Mensagens:377
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (1) Obrigado!(1)   Citação de edu_74 Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 15:24
Toma uma cervejinha que tudo fica bom...WinkWinkWinkWink
Voltar para o topo
brunocarlo Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 17 Mai 2013
Rio de Janeiro
Desconectado
Mensagens:971
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de brunocarlo Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 15:35
Originalmente Postado por edu_74 edu_74 Escreveu:

Toma uma cervejinha que tudo fica bom...WinkWinkWinkWink

Mas isto depois do pedal... pq senão a deixa quente.
Bruno Carlo
<a href="http://www.strava.com/athletes/1268675" rel="nofollow">Meu Strava</a>
<img src="http://veloviewer.com/SigImage.phpa=138bfc&r=2&c=3&u=M&g=n&f=jldebcghij&z=a.png" />
Voltar para o topo
Ed Speed Ver Drop Down


Registrado: 04 Abr 2012
RJ
Desconectado
Mensagens:102
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de Ed Speed Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 18:14
Originalmente Postado por denisedognini denisedognini Escreveu:

Pelo que entendi, o problema é a concentração de sais e glicose/sacarose.

De qualquer forma, ainda acho que o soro caseiro com um pouco de limão faz bem o serviço.


Acho legal o soro caseiro, pensei que era só eu que achava isso...rs. Algumas vezes bebo depois do exercício. Dizem que açúcar durante o esforço físico não seria muito bom pois daria um tal pico de glicose, sei lá... Tem algo sobre isso no link:
 http://www.musculacao.net/glicose-e-frutose-a-melhor-combinacao-de-carbohidratos-para-o-desempenho-fisico/
Voltar para o topo
SamucaM Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 26 Jan 2012
Curitiba
Desconectado
Mensagens:576
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de SamucaM Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 18:24
Tive a oportunidade de conversar com uma médica, perguntando à ela sobre o que seria melhor para hidratar durante o pedal, se o soro caseiro ou Gatorade. Ela foi taxativa, respondeu que durante e depois do pedal o ideal é Gatorade justamente por conter os tais sais e eletrólitos. Lembrou ainda que o consumo desse tipo de bebida deve estar associado ao exercício físico, logo, não dá para substituir a água por isotônicos em nosso dia-a-dia.
Voltar para o topo
e-debortoli Ver Drop Down
Avatar
Restrito

Registrado: 04 Dez 2009
Florianópolis
Desconectado
Mensagens:1184
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de e-debortoli Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 22:57
Uma galera sempre acha que tem que repor eletrólito e acaba esquecendo do carboidrato, isotônico sim junto com carboidrato e água, sempre que faço treino longo acima de duas horas é isso que uso: isotônico, água e carboidrato. A junção desses 3 elementos é que faz uma reposição eficaz. 
Treino curto de até 2 horas, água e carboidrato resolve.
Voltar para o topo
radMG Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 12 Mar 2012
Belo Horizonte
Desconectado
Mensagens:1377
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de radMG Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 26 Mar 2014 as 23:54
Originalmente Postado por e-debortoli e-debortoli Escreveu:

Uma galera sempre acha que tem que repor eletrólito e acaba esquecendo do carboidrato, isotônico sim junto com carboidrato e água, sempre que faço treino longo acima de duas horas é isso que uso: isotônico, água e carboidrato. A junção desses 3 elementos é que faz uma reposição eficaz. 
Treino curto de até 2 horas, água e carboidrato resolve.

Alem destes 3 elementos, há ainda uma grande dose de potássio, que ajuda a prevenir as câimbras.

Não tenho certeza, mas o que eu sempre ouvi falar destes isotônicos, era que as porções destes elementos contidos na bebida eram superiores a capacidade de absorção do corpo.
Voltar para o topo
wwcaldas Ver Drop Down

Restrito

Registrado: 14 Fev 2014
Curitiba
Desconectado
Mensagens:31
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de wwcaldas Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 31 Mar 2014 as 21:17
Caraca, desbancando a milionária gatorade, muito bacana a reportage. Eu treino na natação academia ou bike sempre com frutas água e carbo, pra mim tem sido a melhor combinação.
Voltar para o topo
newhouse Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 01 Set 2011
Embu - SP
Desconectado
Mensagens:2574
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de newhouse Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 04 Abr 2014 as 11:41

Gatorade não é perfeito, mas ajuda bastante. Meu meio principal de repor liquidos é a água, como costumo fazer treinos de até 2h, água é 90% de tudo que uso. Mas naqueles domingos de pedal bacana onde saiu as 6:00hs com o clima bom e volto ao 12:00hs com sol a pino, posso tomar água o dia todo até o xixi ficar transparente, mas não consigo neutralizar os efeitos da desidratação.

 

Nessas horas que vejo o verdadeiro resultado do Gatorade, uma garrafinha durante ou depois dos treinos e em poucas horas tomando água o corpo já está ok, o isotônico ajuda na retenção de líquido e aumenta o aproveito do seu corpo pra refrigerar aqueles músculos fervendo. Água de coco também ajuda bastante nessas horas. Eu só não abuso, tomo quando tenho mesmo necessidade, pois como o Vodoo falou, o excesso pode causar pedras nos rins.

Voltar para o topo
MTBRS Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 01 Ago 2013
São Lourenço RS
Desconectado
Mensagens:1682
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de MTBRS Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 04 Abr 2014 as 12:24
Originalmente Postado por denisedognini denisedognini Escreveu:

Pelo que entendi, o problema é a concentração de sais e glicose/sacarose.

De qualquer forma, ainda acho que o soro caseiro com um pouco de limão faz bem o serviço.

Sério que consegue beber soro caseiro quente?? E ainda mais no pedal que mal consigo beber dextrose que já acho doce.
Voltar para o topo
bcgfg Ver Drop Down


Registrado: 23 Nov 2012
Orleans-SC
Desconectado
Mensagens:2425
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de bcgfg Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 04 Abr 2014 as 12:39
Eu trabalho na Ambev, a atual distribuidora do Gatorade no país, e no lançamento da garrafa de 1 litro deste produto, foi passado alguns estudos sobre a vantagem do Gatorade, e em todos a opinião foi a mesma: em excesso o Gatorade vai trazer malefícios, mas como alguns colegas acima falaram tomar uma garrafinha após horas de exercício, ele ajuda sim a repor os sais mineirais que o corpo perde durante o exercício.
Voltar para o topo
M.CROESY Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 31 Jan 2014
salvador-ba
Desconectado
Mensagens:1611
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de M.CROESY Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 16 Abr 2014 as 16:48
Eu passei a tomar o soro caseiro com ua dose mais caprichada de sal pos tenho a presão baixa.o corpo perde sal no suor e potásio tambem,mas com uma boa alimentação antes resolve se não for muto longo o treino.a banana passas é muito boa por posuir caboidrato,potásio e sais é muito melhor que essas formúlas prontas que eu não confiu 100%
Voltar para o topo
Voodoo Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 01 Nov 2008
Curitiba - PR
Desconectado
Mensagens:15435
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (1) Obrigado!(1)   Citação de Voodoo Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 16 Abr 2014 as 17:01
Com a quantidade de sódio que consumimos nos produtos industrializados perder bastante na atividade física é um favor ao corpo.

Potássio? Eu como quase todo dia banana, tomate, adoro uvas passas e outros alimentos com quantidade mais que suficiente para repôr a perdida. Carboidratos, proteínas? Idem!

Na minha opinião se o cara tem uma alimentação adequada e equilibrada não precisa de repositor algum.
PauloR2

Viciado em sofrimento
Voltar para o topo
M.CROESY Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 31 Jan 2014
salvador-ba
Desconectado
Mensagens:1611
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de M.CROESY Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 18 Abr 2014 as 15:54
Eu frizei que no caso de pedalada mais puxada ou cicloturismo,concordo que uma boa alimentação não há necesidade de tomar nada,fui vegetariano por 12anos e não precisei fazer ou tomar n vitamina alguma.falow
Voltar para o topo
EdsonSilva Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 20 Out 2013
Sao Paulo
Desconectado
Mensagens:45
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de EdsonSilva Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 18 Abr 2014 as 16:14
Para quem pratica espore aeróbico, é importante a hidratação e a reposição dos sais minerais.

Minha média era (estou aposentando...) 300 ml de água, a cada 10 minutos, antes de sentir sede, e no final da prova, 500 ml de isotônico.

Água de coco, pedialite, vão ajudar a repor os sais minerais da mesma forma, o Gatorade apenas é mais prático.

Frutas depois do treino forte ajudam, banana, uva....

tudo em demasia é ruim. substituir água por gatorade (estou falando em litros e de forma frequente), pode gerar pedra nos rins (eu já tive, por questões congênitas, dói só de lembrar..) - atleta costuma treinar no mínimo 3 x semana

boas lembranças. em provas longas (1/2 maratona.. horas e litros de agua), nunca tive problemas com desidratação, mas fiz muito xixi ... no percurso...




Voltar para o topo
carl Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 31 Out 2010
Moc - MG
Desconectado
Mensagens:589
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de carl Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 21 Abr 2014 as 12:44
No meu caso, o isotônico trouxe benefícios. Geralmente saio para pedalar pela manhã e geralmente meu café da manhã é bem leve, os sais minerais e carboidratos que ingiro não são suficientes para uma manhã inteira, um isotônico faz diferença, principalmente quando se está num grupo forte em que os ciclistas não param para fazer um lanche.
Voltar para o topo
M.CROESY Ver Drop Down
Avatar

Registrado: 31 Jan 2014
salvador-ba
Desconectado
Mensagens:1611
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de M.CROESY Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 21 Abr 2014 as 13:11
a água de coco é tâo boa que subistitui o soro glicosado na veia.tem minerais e tudo mais,rimou kkkkk
Voltar para o topo
49329 Ver Drop Down


Registrado: 18 Mar 2012
-
Desconectado
Mensagens:1830
Opções de Post Opções de Post   Obrigado! (0) Obrigado!(0)   Citação de 49329 Citação de  ResponderResposta Link direto para este Post Enviado: 28 Abr 2014 as 20:11

Eu tomo gatorade desde os meus 18 anos e hoje tenho 43. Não entendo nada se faz diferença ou não, mas quando bebo somente água, sinto a barriga pesada e com o gatorade, me sinto leve e muito bem.

abraços.
Voltar para o topo

 Responder Responder Página  12>
  Compartilhar   

Ir para Permissões do Fórum Ver Drop Down

Forum Software by Web Wiz Forums® version 11.06
Copyright ©2001-2016 Web Wiz Ltd.

 
 
 
 
 
 

X