home

Resumo da temporada 2011 de Henrique Avancini

Foram 8 semanas, 6 países e 9 competições


30 SET, 2011     Guiné    
     


O site Pedal acompanhou toda temporada de 2011 do brasileiro, Henrique Avancini. Desde o seu início de pré-temporada, ainda em 2010, o atleta realizou diversos treinos específicos.

Henrique Avancini - Pré-Temporada 2011



Para tentar buscar o máximo de pontos para o Brasil rumo às Olimpíadas de Londres, Avancini deixou sua cidade, Petrópolis-RJ, e encarou a sua maior sequência de provas no exterior nessa temporada.

Com exclusividade para o Pedal, Henrique Avancini relata prova à prova. Confira:

London Prepare Series – Hadleight, Londres – ING

“Essa competição foi especial, pois foi o evento teste dos próximos Jogos Olímpicos além de ser o único evento a ser realizado no lugar antes das próximas Olimpíadas. O Brasil tinha duas vagas no masculino e uma no feminino. Viajei ao lado de Rubens Donizete, Roberta Stopa e o técnico Eduardo Ramires. O circuito é totalmente artificial e muito veloz, com uma espécie de saibro compactado com uma camada de cascalho por cima, além das seções de pedras que foram construídas na pista. Fiz uma boa prova. Resolvi, junto com meu treinador, que antes dessa prova deveríamos aumentar o volume de treinos pensando na sequência de provas que teria pela frente. Larguei muito forte, e tive uma segunda volta ruim mas no decorrer na corrida me recuperei muito bem, terminando na 24° colocação.”

Copa do Mundo #6 - Nove Mesto na Morave – República Checa

“O circuito de Nove Mesto era praticamente todo dentro de uma floresta, com terra escura e muitas raízes. Eu, particularmente, gostei muito do circuito e me adaptava muito bem ao tipo de terreno e ao tipo de variação de subidas e descidas. Como essa prova foi duas semanas depois do evento teste de Londres, eu estava recuperado e me sentindo muito bem para a prova. O meu desempenho físico foi ótimo. Fiz uma largada muito forte e cheguei a liderar a prova. Mas logo no começo da prova tive um problema mecânico com meu freio, fazendo com que meu desempenho nas descidas fosse muito ruim. Durante 4 das 6 voltas, eu perdia tempo e posições nas descidas e recuperava nas subidas. Mas nas últimas duas voltas comecei a sentir o esforço a mais que estava fazendo e o tempo jogado fora nas descidas e comecei a cair posições até finalizar em 45°. Fiquei um pouco chateado nessa prova, pois o resultado não foi equivalente ao desempenho que tive na pista."

Copa do Mundo #7 – Val di Sole – Itália

“A última etapa da Copa do Mundo foi sediada na Itália, com temperatura alta e circuito novo. A lição que tive nessa etapa da Copa do Mundo, foi o quanto o MTB internacional mudou. Competi em Val di Sole no Campeonato Mundial de 2008 e o circuito de hoje, no mesmo lugar, não se assimila em nada ao antigo. Com trechos muito mais técnicos, e circuito mais curto, esse foi um dos circuito mais intensos que andei na temporada. O meu rendimento em Val di Sole foi bom, porém na largada houve uma queda coletiva que acabei me envolvendo e perdendo muitas posições, mas logo na primeira volta andei muito forte e comecei a recuperar muitas posições, entrando nos top 20. Na segunda volta senti muito o ritmo que impus na volta anterior e perdi completamente o ritmo de prova. Quando se compete em uma Copa do Mundo, o ritmo deve ser intenso o tempo todo, mas se você perde por um momento essa intensidade você não consegue se defender das ultrapassagens e começa a perder posições em blocos. Acabei terminando na 53° colocação”.

imagem

Memorial Pinuccio

“No dia seguinte competi em uma prova nacional de maratona para ganhar ritmo para o mundial que seria em 12 dias. Fiz uma bela prova, e seguia liderando com Hans Pallhuber, quando cortei meu pneu traseiro e tive que fazer uma bela caminhada na descida final que levava até a chegada.”

Capadócia Bike Festival – Turquia

“Foi ótimo viajar a Turquia para competir nessa prova que foi uma classe 1. O nível da prova foi muito forte(basta ver os nomes que competiram e olhar os resultados do Campeonato Mundial uma semana depois). Foi uma das minhas melhores provas na temporada. Sob um calor de quase 40°C, o circuito que foi sede do Campeonato Europeu em 2007, era exigente fisicamente, e tinha um terreno muito diferenciado de todos que já andei. Fiz uma prova consistente. Larguei atrás e sobrei do primeiro grupo. Depois recuperei posições até alcançar os dois líderes da prova, com os quais me mantive até a segunda volta, quando tomei um tombo e pensei um pouco na prova do mundial que seria em 5 dias na Suíça. No final da prova controlei uma dupla de russos que vinha me perseguindo para terminar na 3° colocação. Viajei para Turquia com apoio da Confederação Brasileira de Ciclismo, com o intuito de acumular pontos para classificação olímpica, e acumulei 30 valiosos pontos.”

Campeonato Mundial de MTB – Champery – Suíça

"Encontrei a delegação brasileira na Suíça, no circuito que já conhecia e sabia da extrema dificuldade técnica. Na verdade é um dos circuito, se não o mais, extremo entre todos. Com raízes por todos os lados, pedras e subidas e descidas íngremes, é difícil controlar a bike e fazer uma pilotagem limpa. Na verdade era raro encontrar um atleta que não tivesse 'comprado um terreno'."

Team Relay

"Fui escalado para compor o time do revezamento na quarta-feira, onde um atleta de cada categoria realiza uma volta no circuito com ordem definida por cada país, ao lado de Rubens Donizete (Elite), Willian Alexi (Junior) e Roberta Stopa (Elite feminino). Já tinha representado o Brasil em outras 6 vezes em provas de Team Relay e sempre tinha sido o atleta a largar em primeiro, mas desta vez fiquei encarregado de fechar a prova. Fiz uma boa volta, porém larguei sem nenhum atleta próximo, o que foi muito ruim, já que o primeiro trecho da pista era um longo plano e andar sozinho nessa parte foi um grande prejuízo, mas consegui alcançar um país e terminamos a prova na 18°colocação."

Sub-23 Masculino

"Na sexta-feira aconteceu a prova da Sub-23. Com as Copas do Mundo que tinha feito, sabia que seria difícil, mas os momentos que andei forte nas Copas do Mundo e a prova que tinha feito 5 dias antes me motivaram. Bastava pilotar de forma agressiva porém sem perder a constância e então eu faria um bom resultado. Larguei na terceira fila ao lado do brasileiro Sherman de Paiva. Fiz uma largada excelente. No longo start loop conclui na 17° colocação. Comecei a perder algumas colocações devido a largada forte, mas não perdi o ritmo de prova e logo na terceira volta voltei a recuperar posições. Ao final da quinta volta eu era o 22° colocado, com um pequeno grupo a minha frente e ainda com boa sensação física. Abri a volta sozinho e comecei a encostar nesse grupo a minha frente. Porém, em um trecho plano com muitas raízes molhadas no meio do circuito, eu perdi a linha de pilotagem e sofri uma forte queda. Perdi pouco tempo, mas logo em seguida errei duas outras vezes, o que me fez fazer uma volta ruim, apesar de estar forte. Acabei perdendo 3 posição e encerrando a prova na 25° colocação. Fiquei um pouco frustrado, pois poderia tranquilamente encerrar a prova nos top 20 caso não tivesse errado tanto na última volta. Mas na terminar na 25° colocação foi um resultado expressivo, e fiquei satisfeito com meu rendimento geral dentro da prova."

Manisa MTB CUP – Turquia

“Voltei a Turquia novamente, com apoio da CBC, para realizar mais essa prova classe 1. Mas uma vez o nível da prova estava muito bom, já que muitos países ainda estão correndo atrás dos pontos para a classificação olímpica. Dessa vez tive a oportunidade de conhecer um pouco da real cultura Turca, pois a prova não era em um local turístico como na Capadócia. E para um brasileiro, essa cultura e hábitos são um pouco diferentes. O circuito em Kent Ormani era seco, com terra e pedras soltas. Larguei muito bem, impondo o ritmo de prova e me sentindo bem. No decorrer da prova sofri para manter o ritmo no clima quente e seco. Consegui me defender bem e terminei a prova na sétima colocação. Um bom rendimento, mas comparado as duas semanas anteriores, foi um pouco inferior.”

MacDonald's Hungarian GP

“A temporada de ciclo-cross(ciclismo de inverno) está começando na Europa, e muitos atletas usam as provas de cross-country no final da temporada como preparação. E o circuito na linda cidade de Vezsprem foi de puro ciclo-cross, com muito plano, vários trechos urbanos, com escadas, travessia de córregos e coisas do tipo. Com largada e chegada no centro da cidade, a competição classe 2 atraiu enorme público, além de ter transmissão televisiva.

Uma legião de grandes nomes compareceu a prova. Eu sabia que nessa prova eu teria que ser muito tático se quisesse fazer um bom resultado, até porque além de vários atletas fortes, o trabalho em equipe seria muito importante e haviam duas equipes, JBG 2 (Polônia) e EuroOne (Hungria) que tinham atletas muito fortes para essa prova e iriam se atacar pela vitória, Mas além dessas duas equipes haviam outros 6 atletas muito fortes. Mais uma vez larguei bem e no meio da primeira volta quando eu era em um grupo de 6 atletas, um galho/cipó entrou no cassete da minha roda, para meu desespero. Perdi o pelotão principal no trecho plano, e perdi várias posições enquanto tirava o cipó da roda. Voltei para prova com o pensamento, que naquela altura não tinha nada a perder. Mas para minha felicidade e alívio um dos candidatos a vitória furou o pneu no final da primeira volta e parou na zona técnica para trocar de roda, quando o alcancei. Então começamos a trabalhar juntos e ganhar posição a posição. Na última volta eu estava na oitava colocação, e alcancei, junto com eu companheiro de perseguição, uma dupla com o israelita Shlomi Haymi (Focus-MIG) e o polonês Kornel Osicki (JBG 2). O final da prova foi muito intenso com vários ataques. Terminei na sétima colocação o que considerei um excelente resultado levando em consideração o tipo de circuito que era muito diverso do que realmente é o cross-country olímpico. A prova foi na verdade um ciclo-cross de longa duração.”

"Assim concluí minha sequência de competições na Europa em 2011. Com um saldo positivo, em relação a resultados, pontos conquistados e experiência de competição."

Patrocínio

ISD Cycling Team / RDR Italia / GE celma / Lei DE Incentivo ao Esporte / SESI-RJ.

Apoio

Gu Energy Gel / Barbedo / Easy Tubeless / ESIgrips / G-Skin / Briko / Vittoria / Park Tool / Adidas Eyewear / HE Treinamento Esportivo / Pedal.com.br


Fotos (2)

foto 0 - Henrique Avancini Mais Fotos

Comentários



Relacionados