home

Especial - Seleção brasileira de MTB XC na Europa


27 MAI, 2010     Guiné    
     


O Pedal vem acompanhando a delegação brasileira de mountain bike que viajou desde o dia 10 deste mês para participar de algumas provas na Europa. O objetivo é buscar de pontos para o ranking das nações rumo aos Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

Nesta viagem, a comitiva foi formada pelo técnico da Delegação Brasileira, Eduardo Ramires, e também pelos atletas: o mineiro Rubens Donizete (Elite), o catarinense Ricardo Pscheidt (Elite), o paulista Edivando de Souza Cruz (Elite) e o mineiro Shermam Trezza de Paiva (Sub-23). Todos sem juntaram com Henrique Avancini que já mora no velho continente.

Os nossos atletas estão roubando a cena por onde passam, dando entrevista para veículos internacionais especializados e despertando curiosidade.

A primeira competição que os atletas participaram foi a primeira edição do Tour do Valle de Aoste. Um grande evento com quatro etapas. Os nossos atletas tiveram uma excelente participação, levando o Brasil ao quarto lugar por equipes. O destaque foi Sherman Trezza de Paiva, que venceu a última etapa na sua categoria.

Resultados das equipes no 1º Tour do Valle de Aoste.

1 - Team Full Dynamix – 12:17´23
2 - Elettroveneta Corratec – 12:25´50
3 - Silmax Cannondale Racing – 12:45´19
4 - Team Brazil – 12:47´50
5 - Sport Club ISD – 12:51´19

imagem

Se você não acompanhou a participação dos atletas, confira tudo nos links relacionados no final da página.

:: Os brasileiros na World Cup MTB 2010

Depois de competir na Itália entre os 13 e 16 de Maio, a delegação seguiu para Alemanha, onde disputaram a terceira etapa da World Cup, em Offenburg.

Edivando relata:

“A etapa de Offenburg foi eleita a melhor competição do circuito. E não é para menos, chegamos aqui na quarta-feira e tudo já estava armado, aos poucos foram chegando as equipes com suas mega-estruturas e pudemos perceber que a cidade está bem envolvida no evento, porque há uma forte divulgação do evento e o público costuma comparecer em peso nos dias de competição. Também não posso deixar de falar que aqui temos ciclovia por toda cidade, o semáforo é dividido para três categorias: carro, pedestre e ciclistas; além de encontramos nos hotéis vários roteiros de bike, como é comum aqui na Europa.”

:: Treinos

Durante a semana, os atletas puderam treinar no percurso em duas situações diferentes: seco e debaixo de chuva. Quando eles chegaram, estava seco depois no resto da semana choveu bastante e a temperatura também caiu. A máxima foi 16° C, mas o sol apareceu no sábado para facilitar as coisas. No domingo, a previsão era de 24° C.

:: Pista

O percurso de Offenburg é um misto de força e técnica com trechos velozes e drops muito técnicos com muitas raízes no meio da mata. No treino de sábado, Vando relatou que tinha uns 300 atletas e muitos deles ainda não tinham zerado o percurso de 6,5km.

imagem

:: Prévia da largada

Os atletas aprenderam mais uma regra nesta viagem. Atualmente todos estavam nas seguintes classificações no ranking da UCI (União Ciclística Internacional): 42º Rubens Donizette; 75º Edivando de Souza Cruz; 105º Sherman Trezza de Paiva; e na 122º Ricardo Pscheidt.

“Esperávamos que a largada da World Cup fosse pelo Ranking UCI, mas tivemos uma surpresa, pois a prova alinha pelo ranking da World Cup e já tiveram duas etapas neste ano;, uma na Inglaterra e outra na Bélgica. Isso muda tudo, primeiro alinham os 60 primeiros do ranking da WC, depois os 10 melhores atletas da Sub-23 no ranking UCI; e depois o ranking geral Elite e Sub-23. Então vamos da seguinte forma: Henrique Avancini alinha em 62º, Sherman Trezza em 64º, Rubens em 76º, eu (Edivando) em 91º e Ricardo Pscheidt em 108º. Agora fiquei impressionado com quantos atletas vão alinhar amanhã, 246! Isso mesmo 246!” - conta Edivando.

Os atletas sabem do alto nível dos competidores neste evento e precisavam acelerar bastante no início da prova para ganhar posições. A pista tinha 6,5km e no início teria o “start loop” de 1km, onde eles teriam que pegar um trecho de grama e uma subida forte até começar os trechos das trilhas. Os atletas enfrentariam as sete voltas no domingo.

:: Olimpíadas de 2012

Com o novo critério de classificação olímpica adotado pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), o ranking que defini as vagas para as Olimpíadas de 2012 começaram oficialmente nesta prova de Offenburg. A partir de agora, qualquer ponto marcado será precioso e também muito concorrido entre os países que desejam estar presentes em Londres.

:: A competição

Os nossos atletas começaram a disputa para valer neste final de semana (23/05) em Offenburg, na Alemanha. Eles enfrentaram o circuito mais técnico dos últimos anos.

Edivando relata:

“O dia estava perfeito, com a temperatura na casa dos 24° C. A largada da Elite masculina teve 246 atletas. Foi um mar de gente. Eu gostaria de descrever o que é largar numa prova como essa, mas é difícil, muita gente forte alinhada, campeões nacionais de diversas nações, Elite e Sub-23 num mesmo pelotão.

Segundo o critério da UCI, alinhamos na competição ainda do meio para frente, e é até engraçado falar assim, pois Sherman largou em 64º, Rubens em 76º, eu (Edivando) em 91º e Pscheidt em 108º, outro brasileiro na competição, Henrique Avancini em 62º. Na World Cup alinham os primeiros 60 do ranking do campeonato, depois os 10 melhores atletas da Sub-23.”

A competição foi muito forte, com o ritmo alucinante! Durante as sete voltas de 6,5km cada, os atletas enfrentaram todas as condições que um verdadeiro circuito de cross country deve ter.

Rubinho conseguiu ganhar posições logo no início e fluiu bem até a última volta, quando perdeu algumas posições no final. Sherman e Pscheidt largaram bem, mas relataram que sentiram durante as voltas. Edivando largou seguindo o fluxo, pois não conseguia espaço, chegando ate perder algumas posições no início. Na segunda volta, Vando conseguiu se recuperar.

“Fui recuperando ao poucos, a pista estava muito rápida e os ponteiros estavam fechando a volta em pouco tempo, mas com este tanto de gente na largada, tomei mais de 4 minutos logo na primeira volta, não por causa do ritmo, mas porque temos que descer da bike em vários trechos por causa do tumulto, depois a competição começa a fluir. Tínhamos muitos trechos de trilhas e imagina um pelotão de mais de 200 atletas, foi realmente muito disputada!” - conta Edivando.

Entre os brasileiros, Rubens Donizette foi o melhor colocado chegando na 54º posição, marcando 14 pontos no ranking mundial. Na sequência: Edivando de Souza Cruz na 101º; Sherman Trezza de Paiva em 102º; Ricardo Pscheidt em 142º; e Henrique Avancini 162º. Estes quatro marcaram 3 pontos cada.

imagem

Henrique Avancini comentou a sua participação em Offenburg e no Tour de Aoste:

"Assim que foi dada a largada em Offenburg, tentei me alinhar no meio dos mais de 240 atletas. A pista era bem técnica e exigia muito dos atletas, o que ocasionou diversas quedas entre os participantes. E numa destas, infelizmente me envolvi ainda no Start Loop, onde meu guidão soltou, impedindo que eu fizesse uma boa largada. Os imprevistos sempre acontecem, quando alinhamos em uma prova desse nível estamos sujeitos a acontecer qualquer coisa. Desde um pneu furado até um acidente mais grave... faz parte do esporte, daí o melhor a fazer é reparar os estragos e se concentrar para a próxima competição.

No Tour D'Aoste passei pelo mesmo problema, tive que abandonar na terceira etapa devido a uma queda que ocasionou a quebra do câmbio da bike. Eu me senti um pouco decepcionado, mas faz parte, todos passam por isso." - Finaliza o atleta.

Comentários de Eduardo Ramires (técnico da seleção brasileira de mountain bike) sobre a etapa de Offenburg:

“A etapa de Offenburg é do mais alto nível mundial nos dias de hoje em se tratando de mountain bike, um circuito espetacular tanto para o público e especialmente para os atletas, com uma largada maciça onde estiveram alinhados 246 atletas do mais alto nível. Nossos atletas lutaram bravamente por quase duas horas, dias antes choveu bastante e mesmo com um belo dia de sol, o circuito continuou muito pesado, mas a participação brasileira foi muito importante, pois a etapa de Offenburg deu início a somatória de pontos para classificatória olímpica para Londres 2012. Agora nosso objetivo é tentar cada vez mais participar das etapas da Copa Mundo melhorando o nosso ranking e o nível dos nossos atletas.”

Resultados dos brasileiros:

54- Rubens Donizete 02:04:10s
101- Edivando de Souza Cruz – 2 voltas
102- Sherman Trezza – 2 voltas
142- Ricardo Pscheidt – 3 voltas
162- Henrique Avancini (Team ISD) – 3 voltas

Edivando conclui:

“Foi muito bom para nós esta participação na World Cup. Marcamos alguns pontos no Ranking UCI e agora seguimos para Itália onde iremos participar de mais um XCO classe 1, em Lugagnano.”

A seleção brasileira de mountain bike viaja com o apoio da CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) e o patrocínio Banco do Brasil.

O Pedal agradece mais uma vez ao atleta Edivando de Souza Cruz pela contribuição dos textos. Desejamos boa sorte a nossa delegação na Itália.


Fotos (15)

foto 0 -  foto 1 -  foto 2 -  Mais Fotos

Comentários



Relacionados