home

Erro de projeto causou desabamento em ciclovia Tim Maia, diz Crea


23 ABR, 2016     Gustavo Figuereido    



Na última quinta-feira, parte da Ciclovia Tim Maia, em São Conrado, Zona Sul do Foi, sofreu um desmoronamento em um trecho de seus trechos depois de ser atingida por uma forte onda. De acordo com Antônio Eulálio Pedrosa Araújo do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), o problema foi causado por um erro no projeto. O acidente deixou duas vítimas fatais e os bombeiros seguem na busca por uma possível terceira vítima.

imagem


“Não foi considerado o efeito da onda sobre a parte inferior da passarela, que fez com que ela tombasse. Aquele trecho é diferente dos demais, tinha apenas uma viga central. Como os apoios eram muito próximos um do outro sobre os pilares, a força de içamento do lado que onda bateu ficou mais engrandecida”, explicou. “Quem fez o projeto não levou em consideração o efeito dessa onda, embora a premissa de um projeto sejam as considerações e combinações de carga", disse.

Segundo ele, cerca de quatro quilômetros da ciclovia devem passar por uma adaptação. “Tem que ser feita uma análise de todo o projeto, a memória de cálculo, para tranquilizar a população. Talvez tenham subestimado o efeito da onda, não tenham considerado a maior onda, que é uma estatística. Há ondas que ocorrem de cem em cem anos, mas devem ser consideradas, e um fator de segurança deve ser aplicado.”

O engenheiro disse que, em geral, a engenharia estrutural é desvalorizada. “O preço dos projetos às vezes é muito aviltado, reduzindo prazos e isso acaba influindo na qualidade do projeto. Em engenharia estrutural, não pode haver riscos, pois os riscos ocasionam mortes; às vezes, várias mortes.”

A Fundação Geo-Rio, da prefeitura, vai contratar perícia independente para emitir parecer sobre o desabamento. A primeira análise será feita no trecho de quase 30 metros que desabou. Porém, o estudo ainda não começou por conta da condição do mar, que segue ainda muito forte.

Com informações da Agência Brasil.


Comentários



Relacionados