home

Entrevista - Ulan Bastos, do Vale do Capão para o mundo

Jovem atleta da TSW Racing Team desponta como uma das principais promessas do mountain bike nacional


6 JUN, 2019     Gustavo Figueiredo     15    
     


A Chapada Diamantina, na Bahia, um dos lugares mais bonitos do Brasil, também é berço de Ulan Bastos Galinski, um jovem de apenas 20 anos que vem ganhando cada vez mais espaço como uma das principais promessas para o mountain biking nacional. Em uma recente viagem para Governador Valadares, cidade em que Ulan reside atualmente, tivemos a oportunidade de bater um papo com este alegre atleta que saiu do Vale do Capão e, no que depender de sua atitude, vai conquistar o mundo.

Uma infância especial

As experiências que temos durante a infância são parte fundamental daquilo que nos tornamos quando crescemos. Isso quer dizer que, ao menos em teoria, a alegria de Ulan tem explicação. "O que sou hoje é graças ao lugar de onde eu vim. Nasci no Vale do Capão, um pequeno povoado na Chapada Diamantina com cerca de 2,5 mil habitantes. É um lugar muito livre que chamamos de 'Vale Encantado', rodeado de montanhas e muita natureza".

Foto 72281
   Pedro Cury

"Tive uma infância muito livre. Como lá não tem violência, desde cinco anos já saia sozinho na rua, então já fiz muitas loucuras. Nadava na enchente, pulava das cachoeiras, subia em árvores e também descia com jaca nos dentes e roubava frutas dos vizinhos", afirmou rindo enquanto rememorava o passado.

Sou muito grato à minha infância, acho que uma das maiores dádivas de Deus é a parte da infância, já que ela é muito importante para a formação de um ser humano



Como era de se esperar, tamanha liberdade colocou Ulan em contato com a bicicleta desde muito cedo, principalmente porque ela era seu maior meio de transporte. A magrela era utilizada para fazer obrigações como ir para a escola e também nos momentos de diversão, como visitar os amigos ou jogar futebol.

Inspirações desde pequeno

A vida de competidor de mountain biking de Ulan começou apenas no final de 2013, quando ele tinha cerca de 14 anos. Logo de cara, a inspiração veio de dois exemplos da Bahia: Alexandre Arthur e Anilton Marques, os melhores mountain bikers do estado naquela época.

"Eles eram campeões e aquilo virou febre! Todos os meus amigos começaram a competir! Inclusive, fui o último a começar. Então, fui fazer uma coisa em conjunto com meus amigos e foi assim que fui parar na minha primeira etapa do Campeonato Baiano", relembrou.

Foto 72307
   Arquivo Pessoal

Em sua estreia nas competições, o que mais atraiu Ulan para o ciclismo foi o companheirismo entre os "adversários", algo praticamente inerente ao ciclista e presente em basicamente todas as modalidades competitivas envolvendo bicicletas.

"Acho isso muito bacaca e, no começo, foi uma das coisas que mais me animaram em competir. Sempre gostei de desafios, sempre fui apaixonado por todos os esportes, mas quando tive esse primeiro contato e vi isso, o mountain bike me chamou muito a atenção", explicou.

Foto 72306
   Arquivo Pessoal

Animado, Ulan passou a levar as coisas mais a sério já no ano seguinte. Para isso, ele procurou um treinador e mergulhou de cabeça nas planilhas. A dedicação rapidamente gerou frutos e, em 2016, ele já colecionava dois títulos baianos de mountain biking, o que rendeu para o atleta um bom destaque local.

Saindo do Vale do Capão

A verdade é que um país do tamanho do Brasil certamente está repleto de grandes talentos esportivos que jamais serão descobertos. Para piorar, o mountain biking está longe de ser um esporte barato, não só pelo equipamento, mas também pelo custo envolvendo treinamento e as constantes viagens para competir. Por isso, em uma primeira fase de sua carreira, Ulan precisou trabalhar como garçom para poder sustentar sua vida competitiva.

Obviamente, dividir as atenções entre treinos, estudos e trabalho está longe de ser a melhor opção para um atleta. Por isso, o projeto Adote um Atleta da TSW, sua atual patrocinadora, caiu como uma luva na vida da jovem revelação - o exemplo de Ulan mostra a importância deste tipo de projeto que visa encontrar jovens que têm talento e precisam de apoio.

"É um projeto muito bacana para incentivar o pessoal em nível estadual. Nele, cada lojista adota dois ou três atletas, e foi aí que apareceu o cara que eu chamo de "anjo da guarda", o "Maurício TSW", representante da marca na Bahia. Ele me convidou para fazer parte da TSW Team Bahia em 2016", contou.

Foto 72282
   Pedro Cury

Com o apoio para pagar inscrições e hospedagens, Ulan pode focar 100% em sua carreira de ciclista, primeiramente com objetivos estaduais e depois nacionais. Mais uma vez, o empenho gerou bons resultados, com ele conquistando a vitória na terceira etapa da Copa Internacional de Mountain Bike na categoria Junior.

"Foi então que me descobriram em nível nacional. Em 2017, a TSW me fez uma proposta: caso conseguisse bons resultados naquela temporada, no próximo ano seria contratado como atleta na equipe oficial. Tive bons resultados e consegui manter uma constância, e aí fechamos este contrato. A partir de 2018, passei a ser atleta profissional da TSW Racing Team, a equipe oficial da marca", contou.

Novas e antigas fontes de inspiração

Apesar da pouca idade, Ulan parece ter aprendido uma das grandes lições da vida: seguir o exemplo de pessoas boas e de sucesso, utilizando a experiência alheia para tornar-se uma pessoa melhor.

"Quando comecei no esporte minha maior inspiração foi o "Rasta" Anilton Marques. Ele era o cara que, além de ser campeão da categoria, ainda é um excelente ser humano. Ele me deu meu primeiro capacete, minha primeira sapatilha e meu primeiro uniforme. Então, entender desde o principio o valor e a importância de ajudar e incentivar alguém é algo que vou levar para minha vida toda".

Segundo o jovem atleta, uma de suas missões como esportista é justamente incentivar o maior número possível de jovens, usando sua própria trajetória para mostrar que atingir seus sonhos é possível. "Isso eu aprendi graças a ele", explicou.

Porém, o objetivo de Ulan, que saiu do Vale do Capão, conquistou a Bahia e agora se prepara para ganhar o Brasil é ainda maior. "Quero um dia ser atleta olímpico".

O segredo para isso é seguir a mesma estratégia que já vem dando certo em sua vida: encontrar e seguir os exemplos certos para manter a inspiração. Segundo ele, uma conversa com o treinador Cleber Tamagusuku o convenceu mirar mais alto para atingir seus objetivos, tentando igualar seu comportamento com o de quem está no topo do topo.

"O Avancini é um cara que vem fazendo história e conquistando o mundo. Uma das coisas que mais admiro nele são suas atitudes fora das pistas. O profissionalismo e o que ele almeja, incentivar outras pessoas com o trabalho que ele tem com a equipe e também a forma que ele dá entrevistas e como ele se comunica é uma fonte de inspiração para atletas mais jovens", afirmou Ulan.

Afinal, estava na roda do campeão mundial


Obviamente, como bom competidor, Ulan sabe bem que respeito e admiração definitivamente não significam medo. Por isso, quando teve a oportunidade na primeira etapa da Maratona Internacional Estrada Real 2019 em Ouro Branco, o jovem mostrou para o atual campeão mundial de maratona que, no futuro, eles podem ser adversários nas pistas e estradas de terra do Brasil e do Mundo.

Foto 72303
   Pedro Cury

"Naquele dia, eu havia decidido arriscar e andar na ponta de qualquer maneira, mesmo se isso me fizesse "torrar". Então, desde o início eu estava com este foco na cabeça. No final da primeira serra - meu ponto forte são as subidas - o Henrique Avancini atacou. Eu estava bem posicionado no pelotão e, quando ele acelerou, fui o único atleta brasileiro que conseguiu acompanhar", contou Ulan cheio de orgulho.

"Foi tudo muito consciente. Estava ali atrás de novos parâmetros, testar meus limites e aprender ao máximo. Fiquei focado na roda dele, olhando as trocas de marcha e até a transição da subida para a descida - ele já desce marcha, acelera e descansa na descida, ganhando tempo nessas transições. Tentei ficar ligado em tudo para aprender ao máximo, afinal estava na roda do campeão mundial", explicou Ulan.

No fim, a aposta de Ulan deu certo. Apesar de ter seguido a roda de um dos atletas mais fortes da atualidade, ele fechou a competição em quarto lugar na Super Elite, superando ciclistas mais velhos e com muito mais experiência.

Para esta temporada, Ulan pretende continuar sendo constante, apostando sua estratégia na conquista de pontos UCI. "Quero me manter entre os três primeiros em minha categoria e entre os dez na Super Elite. Quero vencer o Campeonato Brasileiro de XCO, fechar o Brasil Ride entre os três melhores na categoria America e terminar o ano ainda na liderança do ranking na minha categoria", explicou.

Para isso, certamente ele deve seguir com o foco nos treinamentos, além de apostar em algumas tecnologias como o canote retrátil e as bicicletas com suspensão integral. "Por enquanto ainda prefiro as hardtail pela minha característica de escalador, elas respondem melhor quando ataco na subida. Mas acho que vou mudar de opinião em alguns meses", afirmou Ulan deixando um mistério no ar.

Palavras de campeão

A primeira vez que ouvi o Ulan falando foi justamente no final da Copa BigMais de XCO, competição válida como terceira etapa da Taça Brasil de XCO. Na ocasião, o atleta havia conquistado um de seus objetivos para a temporada - vencer uma prova válida para o Ranking da UCI. Apesar do excelente desempenho e da conquista, Ulan estava visivelmente insatisfeito com um detalhe.

Foto 72301
   Carlos Quintero

"Andei quatro das seis voltas com o Kennedi (Lago), mas justamente quando consegui abrir um pequeno gap, ele acabou sofrendo um problema mecânico. Isso atrapalhou a disputa mas acabei ganhando a corrida. Ele estava muito bem preparado e certamente poderia ter me surpreendido, então dou meus parabéns também para ele”, disse na ocasião.

Agora, olhando em retrospecto, fica claro que este comportamento de competitividade e de respeito pelos adversários é algo que Ulan aprendeu ao longo de sua vida, observando os bons exemplos e inspirando-se nas pessoas certas desde era criança, saindo do Vale do Capão para correr atrás do sonho de conquistar o mundo.

Para acompanhar mais detalhes, acompanhe Instagram do Ulan.

Conheça também a TSW Bike, atual patrocinadora do atleta.


Comentários

  • avatar

    Conceição FreitasBastos   

    Conceição FreitasBastos   

    Muito sucesso Ulan, e que vc realize os seus objetivos!
    4 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Tatiana   

    Tatiana   

    Humano, carinhoso, respeitador, lindo todo, de corpo e de alma....amo....??
    7 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Juninho Pereira    Lavras - MG

    Juninho Pereira    Lavras - MG

    Quem já teve contato com ele sabe o quanto ele é diferenciado, vai longe esse menino
    7 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Wellington   

    Wellington   

    Nosso menino de ouro! Parabéns Ulan, você vai longe.
    7 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Tia Chris   

    Tia Chris   

    Meu sobrinho, que muito me orgulho,por seu profissionalismo,empenho, foco e acima de tudo respeito por tudo e por todos,até pede a benção a tios e avós
    9 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Saúva   

    Saúva   

    Meus parabéns sinceros e desejo de q alcance suas metas .
    Bravo garoto??

    9 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Paulo   

    Paulo   

    Parabéns, foco e dedicação te levarão longe... Ótima matéria.
    9 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    João metrópole    

    João metrópole    

    Tive o prazer de conhecer esse garoto e andar junto com o futuro campeão mundial de mtb!
    9 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    jose eudoxioolimpio   

    jose eudoxioolimpio   

    parabens meu amigo voce merece deus te abençoi sempre , este e muito humilde e tem muitas vitorias de deus por vim .

    9 dias atrás - Denunciar




  • Relacionados