home

Entrevista - A história de Thomas Frischknecht e da equipe Scott-SRAM de MTB

Conheça um pouco da história da equipe mais vencedora do MTB mundial e seu principal idealizador e lenda viva do esporte


2 JUL, 2019     Gustavo Figueiredo     1    
     


A Scott-SRAM MTB Racing Team é, atualmente, a equipe mais vencedora do cenário mundial do mountain biking. O projeto nasceu em 2002 sob a tutela de Thomas Frischknecht, ex-ciclista suíço e uma das maiores lendas do cross-country olímpico. Mais do que lenda, Frischi é conhecido por ser profundo apoiador da atividade física em prol da saúde e do esporte limpo - duas características fundamentais desde que o projeto começou há cerca de 17 anos.

Foto 72494
Equipe Scott-SRAM de MTB

"Meu pai era um atleta profissional do Cyclocross, portanto frequentei corridas de bicicletas todos os finais de semana desde criança. Sempre esteve claro para mim que queria me tornar um profissional também. Iniciei com o Cyclocross, venci campeonatos de juniores e amadores, paralelamente passei a disputar provas de Mountain Biking", revelou.

Segundo ele, os anos de experiência no esporte são uma parte importante do sucesso do time. "Tudo o que faço é trazer minha experiência como ex-atleta para dentro da Equipe Scott-SRAM. Me considero uma pessoa de sorte por ter a chance de usar minha experiência de longa data em benefício de alguns dos melhores atletas do mundo. Essa fórmula parece estar funcionando", explicou Thomas.

Dos pneus finos aos largos

Como bom europeu, a carreira de Thomas começou na estrada e em provas de Ciclocross, categoria em que ele foi Campeão Mundial em 1988. O atleta seguiu colecionando vitórias com os pneus finos e guidões curvos até 1992, levando mais um mundial e diversas outras provas, além de campeonatos nacionais.

Foto 72496
O time em ação

O início da cerreira de Thomas no mountain biking começou em 1990, quando ele viajou para os Estados Unidos para competir na modalidade. Lá, ele tornou-se grande amigo de Tom Ritchey, um dos pais do mountain biking e ex-proprietário da Syncros, marca de componentes que você conheceu nesta matéria do Pedal.

Segundo ele, antigamente a transição entre uma modalidade e a outra era mais complexa, mas mudanças de regulamento e no próprio formato das provas facilitam um pouco a vida dos atletas que traçam esta jornada nos dias de hoje.

"O Cyclocross e o Mountain Biking eram muito mais distantes um do outro do que agora. Hoje, a duração de uma corrida na Copa do Mundo de MTB XCO é de 90 minutos, em comparação com os 150 minutos de antigamente", explicou.

"Na realidade, algumas das etapas da Copa do Mundo na década de 90 estavam muito mais para uma prova de Maratona. Hoje, uma corrida de MTB XCO é tão intensa quanto uma prova de Cyclocross e as duas disciplinas se aproximaram de alguma forma", complementou.

Foto 72500
Thomas nos tempos de atleta

Ao longo de sua carreira no MTB, Thomas venceu um mundial, três copas do mundo, conquistou uma prata olímpica em 1996 e 15 medalhas em mundiais, isso apenas em competições profissionais. Como "amador", o atleta segue forte nos pedais, tendo conquistado um Cape Epic em 2017 na categoria mista correndo ao lado da sueca Jenny Rissveds.

Thomas vence o Cape Epic


A Scott-SRAM MTB Racing Team que também já se chamou SCOTT-Odlo MTB Racing, nasceu como o projeto Swisspower, cujo objetivo era encontrar e desenvolver atletas suíços. A iniciativa surgiu de uma parceria entre Frischknecht e Andi Seeli, ex-treinador da seleção suíça.

"Tivemos a ideia de montar um time de desenvolvimento para apoiar os pilotos suíços mais talentosos e ajudá-los a trilhar seu caminho ao topo do esporte. Nino Schurter e Florian Vogel - na ocasião juniores com pouca representação - eram parte de nossa primeira formação. A Scott acreditou neste projeto desde o princípio", comentou.

Segundo ele, o trabalho rendeu frutos incríveis, colocando o mountain biking em um patamar jamais atingido em seu país. "Vejo um grande futuro para o MTB XCO em todo o mundo e, claro, na Suíça. Atualmente as corridas da Copa do Mundo são transmitidas ao vivo, Nino foi escolhido o atleta suíço do ano, vencendo inclusive o lendário Roger Federer. Essa eleição é emblemática, mostra que chegamos ao próximo nível, com o Mountain Bike sendo um esporte reconhecidamente importante na Suíça", afirmou Thomas orgulhosamente.

Nino, Courtney, Forster, Frischknecht em dose duple e muito mais

Ao todo, Nino Schurter venceu o campeonato suíço nada menos do que sete vezes. Ele ainda tem sete vitórias no campeonato mundial, seis na copa do mundo, duas no Cape Epic e um ouro olímpico - números que representam um record absoluto na categoria.

Foto 72499
Nino Schurter

"Ele é o melhor atleta para se trabalhar. Extremamente profissional de várias maneiras. Além de ser o piloto de Mountain Bike mais rápido do planeta, é também uma ótima pessoa, de grande caráter. Ainda assim, depois de todo o seu enorme sucesso, é alguém humilde, com os pés totalmente no chão", afirmou Thomas.

Foto 72497
Kate Courtney

Além do talento incontestável de Nino, a equipe Scott-SRAM MTB Racing ainda conta com diversos outros nomes fortíssimos não só alinhando para a largada, mas também nos bastidores. Representando as mulheres, a equipe aposta na força de Kate Courtney, norte-americana que atualmente é campeã mundial. Além disso, a jovem de apenas 23 já venceu um Cape Epic e dois campeonatos nacionais, além da Copa do Mundo e o Mundial em 2017, ambos na sub-23.

Foto 72498
Lars Forster

O time ainda conta com o também suíço Lars Forster, que foi contratado junto com Kate no fim do ano passado e já chegou com força total. Com 25 anos, o atleta natural de Neuhaus foi campeão nacional de Cyclocross entre 2016 e 2018, além de ser campeão europeu em 2018. Logo em sua primeira prova importante pelas cores da Scott, o atleta venceu um Cape Epic ao lado de Schurter.

Foto 72495
Andri Filho de peixe Frischknecht

A equipe ainda conta com Andri Frischknecht, filho de Thomas que já venceu duas etapas do Cape Epic e atualmente é vencedor na classificação do Swiss Epic. Não poderíamos esquecer de nomes como Yannick "The Mechanic" Gyger, responsável pela mecânica das bikes da equipe e amplamente conhecido como um dos profissionais mais competentes do mundo na arte de "apertar os parafusos" de uma bike.

Da equipe para você

Assim como acontece com outras equipes, os atletas da equipe Scott-SRAM de MTB também ajudam no desenvolvimento dos produtos de seus patrocinadores. Porém, neste caso, quem está dando o feedback são os melhores e mais rápidos pilotos do planeta, cercados por profissionais altamente gabaritados.

"Nós trabalhamos em estreita colaboração com os gerentes de produto da Scott e da Syncros para integrar nossas ideias e nossa experiência, desde as competições até o desenvolvimento de novos produtos. O que a equipe está usando nas corridas, cedo ou tarde vai estar integralmente disponível na linha World Cup da Scott Spark e Scale. É bem estimulante fazer parte do desenvolvimento de produtos que frequentemente acabam sendo referência no mercado. Muito além de "apenas" competir usando esses produtos, sentimos que estamos fazendo algo criativo. Os mecânicos da nossa equipe, em particular Yanick, desempenham um papel importante nesse processo", comentou Thomas, que ainda estendeu o comentário para o outro patrocinador principal de seus atletas.

"Na verdade mantemos sólidas parcerias com todos os nossos patrocinadores atuais, não somente representando suas marcas, mas também atuando no desenvolvimento de seus produtos, particularmente com a SRAM. Por exemplo, estivemos envolvidos no desenvolvimento do grupo XX1 Eagle e do Eagle AXS desde o começo dos seus projetos", finalizou.

Para saber mais acesse a página da equipe Scott-SRAM ou o site oficial da Scott.





Comentários

  • avatar

    PEDRO RONALDO DA SILVA   

    PEDRO RONALDO DA SILVA   

    Muito bom
    17 dias atrás - Denunciar




  • Relacionados