Entendendo - Tecnologia de câmbios dianteiros Shimano Side Swing


26 NOV, 2015     Gustavo Figuereido    



Ao longo dos anos, os componentes de bicicleta tem passado por constantes evoluções. Freios melhores, pedivelas mais leves e rígidos, cassetes com mais pinhões e engates mais precisos são só algumas das mudanças que aconteceram ano após ano com as peças de bike.

Com a criação da tecnologia Side Swing, a Shimano deu mais um passo nesta evolução. Trata-se de uma ideia simples, mas que traz resultados bastante interessantes para quem pedala ou projeta bicicletas. Trata-se de um câmbio dianteiro com puxada frontal e movimento lateral.

Tecnologias anteriores

Top pull - Este tipo de câmbio dianteiro utiliza cabos que puxam por cima. Por manter o cabeamento longe de lama e detritos, ele é amplamente utilizado em bicicletas de MTB.

Down pull
Mais comum em bicicletas de estrada, ele é puxado por cabos que passam pelo downtube da bike. Normalmente, este tipo de câmbio está presente em bikes de estrada.

imagem
Na direita, um Dura-Ace com cabo vindo por baixo. Na esquerda, um XTR com cabo vindo por cima


Shimano Side Swing

imagem
Shimano Side Swing

Os câmbios dianteiros Shimano com a tecnologia Side Swing são puxados pelo lado, o que proporciona diversas vantagens se comparado aos modelos tradicionais. A primeira delas, e mais gritante é a potência que chega a ser 100% maior, o que se traduz em um acionamento extremamente macio da alavanca de trocas. As rotas do cabeamento também ficaram mais eficientes, já que os conduites não precisam fazer curvas fechadas na união do top tube com o seat tube ou na região do movimento central. Esta mudança proporciona um ganho de 15% na eficiência.

imagem
Puxada lateral e rota mais direta para os cabos aumentam a potência e a suavidade da troca


Além disso, por ser mais compacto, este tipo de construção permite que os projetistas de quadros adotem traseiras mais curtas. Com isso, a bicicleta ganha em agilidade e tração, melhorando seu comportamento dinâmico.

imagem
Possibilita a adoção de chain-stays mais curtos


Outro detalhe interessante é que o ângulo de entrada da corrente é maior, o que reduz o ruído provocado pela corrente raspando no câmbio. Na prática, o conjunto se mantém silencioso e livre de atrito, mesmo com grades ângulos de corrente como o que acontece quando cruzamos as marchas.

imagem
Menos ruído e menos atrito na transmissão


O componente ainda é encontrado com quatro opções de montagem, proporcionando ainda mais flexibilidade para os projetistas de quadros.

Vídeo explicativo Shimano XTR FD-M9000



Conclusão

Mais do que permitir trocas mais macias, precisas e suaves, a tecnologia Shimano Side Swing ainda proporciona a possibilidade de melhoras em outras áreas da bicicleta, como melhoras na geometria e no desenho de suspensões traseiras. Com isso, o componente permite uma evolução global da bicicleta.

Em 2015, a tecnologia Side Swing está disponível nos câmbios das linhas XTR M9000 e XT M8000. Porém, a partir do ano que vêm, os grupos SLX M670 e Deore M610 também contarão com este recurso.


Comentários





Relacionados