home

Entendendo - Hierarquia dos grupos Shimano de Estrada


3 ABR, 2017     Gustavo Figuereido     5    



A Shimano é a maior fabricante de componentes de bicicleta do mundo. A seguir, você vai conhecer a linha de componentes de estrada da gigante japonesa, com um breve explicativo sobre cada produto.

Lembre-se que, nesta matéria, estamos falando única e exclusivamente de grupos indicados para a prática do ciclismo de estrada, seguindo dos mais básicos (Tourney) ao mais avançado (Dura-Ace).

Versões, atualizações e códigos

Todos os grupos Shimano recebem atualizações de tempos em tempos, herdando tecnologias superiores que apareceram antes nos grupos mais profissionais.

Porém, o nome do modelo não muda. Ou seja, um freio Dura-Ace do ano 2000 continua se chamando Dura-Ace neste ano, mas estes serão produtos de desempenho, desenho e compatibilidade totalmente diferentes.

imagem
Anos diferentes, códigos diferentes mas todas são Dura-Ace

Marcas de bicicletas ou carros em geral mantem o nome, mas diferenciam seus produtos pelo ano, já a Shimano usa códigos para diferencias as versões de um produto. Por exemplo, a linha de componentes Ultegra teve sua última reformulação em 2015 e seu código atualmente é o 6800. Antes dele, o Ultegra se chamava 6700.

Tourney

imagem

A versão de estrada do Tourney chama-se A070 e conta duas (50/34) ou três (50/39/30) coroas montadas em pedivelas para centrais de eixo quadrado. Para acionar seus câmbios de 7 velocidades, são utilizados trocadores estilo STI com o sistema de duas alavancas - uma no manete de freio e outra na parte de dentro, acionada pelo dedão.

O grupo conta com cassetes 11-28, 12-28, 13-28 e 14-28. Os câmbios ainda podem ser acionados por trocadores de alavancas com montagem para quadro.

Claris

imagem

O Claris 2400, série atual, é voltado para uso recreacional e pode ser encontrado com pedivelas para centrais Octalink com duas (46/34 e 50/34) ou três (50/39/30) coroas, com câmbio traseiro de 8 marchas.

Os trocadores já ganham o desenho com duas alavancas acionadas pelo indicador, porém com cabeamento externo para os conduítes de troca de marcha. O câmbio traseiro suporta pinhões de até 32 dentes, sendo que o grupo aceita uma ampla relação de cassetes, que vão do 12-25 ao 11-32.

Sora

imagem

O modelo atual do Sora, o 3000, é grupo de uso recreacional mais sério e conta com 9 velocidades, câmbios traseiros com cage curto e médio e Alavancas STI (Dual Control) de mudança de marcha com passagem interna dos cabos. O câmbio dianteiro também ganha um braço mais longo para suavizar as trocas.

A bela pedivela já utiliza o padrão de 4 braços das gamas mais elevados e também aposta em centrais para eixo integrado. Porém, é possível encontrar a pedivela no padrão 5 braços também.

O câmbio traseiro pode ser combinados com cassetes de até 34 dentes enquanto a dianteira pode ser montada com duas ou três coroas.

Tiagra

imagem

Já com 10 velocidades na traseira e desempenho bem impressionante, o Tiagra 4700 herda várias características das gamas superiores, como os freios mais potentes e precisos. Nesta linha, todas as pedivelas utilizam o padrão de 4 braços e central integrado, com opção para duas ou três coroas.

Com câmbios de cage médio e curto, o grupo pode utilizar cassetes de até 34 dentes, com combinações 11-25, 12, 28, 11-32 e 11-34. Vale destacar Alavancas STI Dual Control com cabeamento interno.

O grupo também é o mais básico da linha Shimano de estrada equipado com a opção de freio a disco hidráulico. Porém, fica o alerta: as alavancas Tiagra 10v da série 4700 não são compatíveis com outros câmbios de 10 velocidades Shimano, tendo uma puxada de cabo exclusiva.

105

imagem

O 105, atualmente em sua versão 5800 é um grupo já voltado para o ciclista de estrada que busca um desempenho mais elevado. Com 11 velocidades na traseira e câmbios de cage médio e curto, os cassetes possuem pinhões separados, mantendo apenas os três maiores montados em peça única.

As pedivelas de 4 braços e eixo integrado possuem apenas a opção de duas coroas, embora três relações possam ser encontradas: 53-39, 52-36 e 50-34. Já o cassete existe com as seguintes combinações: 12-25, 11-28 e 11-32.

O grupo ainda conta com pedal, o PD5800, trocadores STI Dual Control com cabeamento interno e a opção de manetes de freio e pinças para freios a disco hidráulicos compatíveis com os de gama mais elevada.

Ultegra

imagem

Derivado diretamente do Dura-Ace, o Ultegra R6800 é um grupo de altíssimo desempenho que já conta com as mais avançadas tecnologias da Shimano, como o sistema de trocas eletrônicas Di2 e freios a disco hidráulicos.

Assim como outros grupos da linha, o Ultegra também conta com câmbios traseiros de cage médio e curto, com um total de cinco combinações de pinhões nos cassetes - 11-23, 11-25, 11-28, 14-28 e 11-32.

A pedivela pode ser encontrada nas versões 50-34, 52-36, 53-39 e 46-36. O Ultegra atual também possui seis opções de rodas, sendo 3 clinchers e 3 tubeless. O grupo também conta com seu próprio pedal.

Dura-Ace

imagem

O Dura-Ace é o mais avançado e leve grupo de estrada da Shimano, indicado para ciclistas que buscam desempenho acima de tudo. Atualmente na série R9100, o grupo conta com pedivelas de quatro braços que podem inclusive conter um medidor de potência e versão de trocas eletrônicas Di2.

Como era de se esperar, a opção de freios a disco hidráulicos também está presente no Dura-Ace, assim como a tecnologia Ice-Tech de resfriamento. Ao todo são 11 opções de rodas, com modelos de perfil alto e baixo, para freios a disco ou convencionais, além de modelos clincher, tubular e tubeless.

Para completar, o R9100 conta eixos passantes e cambio traseiro Shadow com suporte para cassetes de até 30 dentes. Para trocar as marchas, inúmeras opções de alavancas tanto no mecânico como no Di2.



Comentários

  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Marcio, teria que saber se seu câmbio é short cage e se ele tem capacidade para aceitar cassetes maiores do que 28, aí seria possível avaliar a instalação de um cassete de 32 dentes. Outra opção seria trocar a pedivela por uma tripla. Uma boa ideia é usar o forum do Pedal.com, lá tem muita informação e você também pode criar um tópico. Segue o link: www.pedal.com.br/forum/
    21 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Marcio Faria   

    Marcio Faria   

    Boa Tarde

    Estou com duvidas sobre a relação que devo colocar na minha bike.
    Esse ano comecei a participar dos eventos chamado AUDAX RANDONNEURS.
    Tenho uma speed com relação M105 da Shimano, pe de vela 50/34T. 11x28.
    Gostaria de aumentar minha relação, pois existem algumas provas muito dura em relação a subidas, com altimetria de 11000 KM, em 612 Km, de distancia.
    Pergunta.... Qual a relação deveria colocar na minha Bike, sabendo que tenho M105. Desde Já abradeço.

    23 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Chung, o cassete pode ser usado sem problemas. O que não tem como fazer é utilizar os trocadores 10V Tiagra para acionar um câmbio 105 10V antigo, por exemplo. Trocador 10V Tiagra só vai com Câmbio 10V Tiagra.
    6 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Chung   

    Chung   

    Bom dia, eu não entendi o significado o grupo tiagra tem uma puxada de cabo exclusiva'. Isso quer dizer que não posso colocar outro cassete de 10v dura ace ?
    6 mes(es) atrás - Denunciar




  • Relacionados